Tribunal de Contas para rever gastos com publicidade do governo

O Tribunal Federal de Contas – um tipo de tribunal de auditoria que monitora os gastos públicos – analisará o possível uso indevido de fundos públicos para financiar campanhas publicitárias do governo. O governo Jair Bolsonaro pagou R $ 83,9 milhões (US $ 17,1 milhões) do Bolsa Família, seu principal programa de transferência de dinheiro, ao orçamento de publicidade. Foi preenchida uma lacuna que permitia que o orçamento federal para gastos relacionados aos vírus corona fosse reorganizado. No entanto, esses fundos são destinados ao assessor de imprensa do governo, o que violaria as leis existentes.

O promotor federal pediu ao tribunal que bloqueie as transferências, dizendo que “desconsidera a constituição”. O governo alega que os fundos foram “liberados” por meio do programa salarial de emergência por coronavírus de três meses, que já inclui famílias inscritas no Bolsa Família. No entanto, especialistas alertam para os perigos de uma administração restrita que aumenta seu orçamento de publicidade.

Desde que a pandemia chegou ao Brasil, o governo adicionou 1,2 milhão de novas famílias ao Bolsa Família, um total de 14,27 milhões, um aumento de 9% em relação a março de 2020, segundo o jornal de dados Núcleo. No entanto, de acordo com um artigo do UOL publicado em 28 de abril, o governo gastou apenas 3,7% do orçamento total do programa social naquele mês.

Um grupo de economistas do Instituto Brasileiro de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) acredita que a maneira de evitar um colapso econômico não é expor os cidadãos a um vírus mortal, mas expandir programas sociais para lidar com os efeitos financeiros adversos do vírus mitigar. E qualquer expansão das iniciativas de bem-estar exigiria que o governo melhorasse seu maior e mais bem-sucedido programa social.

Tribunal de Contas para rever gastos com publicidade do governo
Tribunal de Contas para rever gastos com publicidade do governo
Apoie este relatório →Apoie este relatório →