Segundo a OMS, o Brasil tem “um longo caminho a percorrer” antes que possa derrotar a pandemia

Segundo o diretor executivo da Organização Mundial da Saúde, Michael Ryan, a pandemia no Brasil ainda é “muito preocupante” e o caminho ainda é longo e requer muito “comprometimento” das autoridades brasileiras. Nos últimos dois meses, o Brasil mais que dobrou seus novos números de casos confirmados e passou de 283.755 para 635.288 desde 3 de junho – um aumento de 123%. O número de novas mortes nos últimos dois meses também excedeu o número total de mortes em abril e maio em 1.388, embora o país tenha atingido inicialmente um patamar de novas mortes e casos confirmados.

Ryan sugeriu que as autoridades estaduais e federais precisem melhorar a coordenação de seus esforços para testar, rastrear e isolar os pacientes do Covid-19. Até agora, o país tem a terceira maior taxa de casos Covid-19 por 100.000 habitantes, com 330,1, mesmo à frente dos Estados Unidos (271,9), que muitos consideram o hotspot Covid-19 do mundo.

De acordo com o Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças (ECDC), o número de novos casos confirmados no Brasil também aumentou 25% desde 3 de julho – uma indicação de uma possível segunda onda de casos do Covid-19 no país.

Segundo a diretora técnica da OMS Maria Van Kerkhove, o Brasil possui muitos recursos que lhe permitem lidar com a crise de saúde Covid 19. No entanto, ele não apenas precisa informar sua população, mas também motivá-la a tomar medidas de distância social.

Segundo a OMS, o Brasil tem “um longo caminho a percorrer” antes que possa derrotar a pandemiaSegundo a OMS, o Brasil tem “um longo caminho a percorrer” antes que possa derrotar a pandemia

Recentemente, de O relatório brasileiro, Mais da metade dos brasileiros nem seguiu as diretrizes de isolamento durante o culminar das diretrizes de distanciamento social que foram aprovadas pelas autoridades estaduais em abril e maio.