Reguladores de saúde aprovam quarto estudo de vacina no Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) deu permissão à Johnson & Johnson para prosseguir com os estudos de Fase 3 de uma vacina potencial contra Covid-19 no Brasil. São necessários cerca de 60 mil voluntários com idades entre 18 e 60 anos para o estudo da chamada vacina Ad26.COV2.S – cerca de 7 mil vêm do Brasil.

Segundo os órgãos reguladores, os testes incluirão uma única dose da vacina ou um placebo, e os centros responsáveis ​​pelas pesquisas também serão responsáveis ​​pelo recrutamento dos voluntários. A Anvisa afirmou que a aprovação da fase final dos testes no Brasil está condicionada ao andamento da primeira e da segunda fase de testes da vacina nos Estados Unidos e na Bélgica.

Os dados de apoio à aprovação também incluíram estudos não clínicos e coletaram dados não clínicos e clínicos de outras vacinas potenciais usando a mesma plataforma Ad26.

A corrida por uma vacina

Com a disseminação descontrolada do coronavírus e uma população faminta por vacinas, o Brasil se tornou um jogador importante na corrida pela imunização contra a Covid-19. Além da Johnson & Johnson, a empresa sueco-britânica AstraZeneca (em colaboração com a Universidade de Oxford), a gigante norte-americana Pfizer e a empresa de biotecnologia chinesa Sinovac também estão realizando testes no país.

Reguladores de saúde aprovam quarto estudo de vacina no Brasil
Reguladores de saúde aprovam quarto estudo de vacina no Brasil


Apoie este relatório →Apoie este relatório →