Recuperação do Brasil falha com alta dos preços dos alimentos

Hoje cobrimos as perspectivas de recuperação econômica do Brasil. Como o aumento dos preços dos alimentos está preocupando o governo. E o estado da Covid-19 no país.

Fraca recuperação do Brasil torna-se ainda mais incerta

Esta semana, a consultoria Horizon, sediada em Genebra, tem seu

Ranking do Índice de Recuperação Econômica da Covid-19, que analisa como 122 países estão posicionados para a recuperação. O Brasil terminou em 51º.

BRICS. Durante a cúpula do BRICS em Brasília no ano passado, argumentamos que o A aliança BRICS era mais parecida com “China & amp; Co. “ O estudo Horizon confirma essa visão: a China foi classificada como a economia emergente de melhor desempenho (32º no geral), à frente da Rússia (36º), Brasil, Índia (63º) e África do Sul (77º, o pior entre o G20) Estados).

Potencial de recuperação da América Latina. Muitos países de renda média na região, como Brasil, México, Colômbia, Equador e República Dominicana, têm menos capacidade de absorver choques de curto prazo e nenhuma capacidade de se recuperar rapidamente.

Brasil. A “alta dependência do país de indústrias ameaçadas, imensa desigualdade de renda e desempenho abaixo do ideal do mercado de trabalho” são vistos como os principais motores do Brasil.

Por que isso importa. As barreiras para uma recuperação mais rápida listadas pela Horizon tendem a aumentar no curto prazo. Enquanto o salário de emergência do coronavírus era prorrogado, os pagamentos mensais foram cortados pela metade para apenas R $ 300 ($ 56), reduzindo o poder de compra das famílias.

  • Para os 10% mais pobres do Brasil, espera-se um declínio de renda de 44%. Quando a concessão terminar – o que deve acontecer depois de dezembro – o declínio aumentará para 77 por cento.

Transferências de dinheiro. O salário emergencial está orçado em R $ 50 bilhões por mês, valor que está além dos recursos do governo. O muito elogiado programa Renda Brasil, uma versão aprimorada do mundialmente famoso Bolsa Família, ainda não foi implementado. “Se nenhuma medida compensatória for implementada até janeiro de 2021, a população de baixa renda do Brasil experimentará um declínio brutal na renda”, disse Daniel Duque, economista da Fundação Getulio Vargas.

Efeitos. Episódio 114 do nosso podcast “Explicando o Brasil” discutiu as implicações sociais de uma grande crise econômica – incluindo um aumento acentuado nas taxas de criminalidade.


O governo está tentando domar o aumento dos preços dos alimentos

Durante a campanha de 2018, Jair Bolsonaro e seu guru econômico Paulo Guedes falaram sobre a necessidade de menos intervenção governamental na economia brasileira. No entanto, à medida que os preços dos alimentos aumentam dramaticamente, o governo está trocando a proverbial mão invisível do mercado por uma abordagem prática.

  • O Departamento de Justiça pediu aos principais produtores e vendedores de alimentos que prestassem declarações dentro de cinco dias sobre os recentes aumentos de preços de produtos como arroz, leite e óleo de soja, que aumentaram 20% este ano. A título de comparação: a inflação global desde janeiro foi de 0,7 por cento.

Por que isso importa. Preços de alimentos colocar um fardo desproporcional sobre os pobres e desencadear a raiva em massa em uma proporção significativa de eleitores.

Bolsonaro. Apesar de instruir as empresas privadas a explicar suas políticas de preços, o presidente Jair Bolsonaro disse que não interviria e congelaria os preços. “Mas eu pergunto [vendors] limitar suas margens em produtos importantes a quase zero ”, acrescentou ele, apelando para o“ senso de patriotismo ”dos empresários.

Por que os preços estão subindo. Vários fatores influenciam aqui, como a desvalorização da moeda brasileira, a enorme demanda da China e a entressafra agrícola.

  • O governo decidiu remover as tarifas de importação de vários alimentos até o final do ano. A mudança terá um impacto limitado sobre os preços (se houver), no entanto, uma vez que os preços internacionais são em dólares americanos – e o real brasileiro perdeu 32% de seu valor em relação ao dólar americano este ano.

Uma curva decrescente de coronavírus deve ser abordada com cautela

As curvas de infecções e mortes por coronavírus vêm caindo nos últimos dias. No entanto, os especialistas recomendam cautela como precaução. Primeiro, porque o Brasil acaba de ter um fim de semana de três dias após as comemorações do Dia da Independência em 7 de setembro. A coleta de dados foi severamente prejudicada nos finais de semana e feriados.

  • Além disso, a distribuição em um país tão grande como o Brasil se desenvolve de forma muito diferente dependendo da região. Enquanto muitos estados do Sul e Sudeste tiveram menos casos e perdas, outros no Norte viram as curvas subirem mais recentemente.
  • Os especialistas ainda estão debatendo se a pandemia no Brasil já atingiu o pico. Rodrigo Corder, um pesquisador de modelagem de doenças infecciosas, disse O relatório brasileiro que certas partes do país podem estar à beira da imunidade coletiva. Mas é muito cedo para saber.

Vacinações. O governador de São Paulo, João Doria, disse na quarta-feira que os ensaios clínicos de fase 3 de uma potencial vacina Covid-19 desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac Biotech mostraram “resultados promissores” e os brasileiros podem já estar Dezembro estão disponíveis. O Sr. Doria acrescentou que os estudos de fase 2 em idosos mostraram uma resposta imunológica de 98 por cento.

  • Uma quinta vacina potencial está sendo testada no Brasil. A gigante dos laboratórios Dasa anunciou parceria com a Covaxx, divisão do grupo norte-americano United Biomedical. O projeto de pesquisa ainda está na fase 1 e está sendo testado em Taiwan. As fases 2 e 3 acontecerão no Brasil com um mínimo de 3.000 voluntários brasileiros participando dos estudos planejados. Os pacientes serão recrutados em novembro, depois que os reguladores aprovarem os estudos da vacina.

O que mais você precisa saber hoje?

  • Suprema Corte. Luiz Fux é nomeado presidente da Suprema Corte do Brasil hoje. Seu mandato de dois anos à frente da mais alta corte do país começa em meio a uma crise política – combinada com uma emergência de saúde e uma depressão econômica que se aproxima no horizonte. Muitos casos polêmicos serão ouvidos nos tribunais nos próximos meses, incluindo um que pode anular condenações criminais contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva – o que o colocaria nas eleições de 2022. Nosso O relatório semanal de 8 de setembro explicou quem é o Sr. Fux.
  • Rio. O juiz do Supremo Tribunal Federal Dias Toffoli rejeitou a moção do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, para suspender a suspensão de 180 dias. A Suprema Corte decidiu que Witzel deveria ser temporariamente afastado durante uma investigação de corrupção – ele é suspeito de dirigir uma quadrilha de crime que desviou fundos destinados à luta contra o coronavírus. Falaremos sobre isso no final desta semana no Podcast Explicando o Brasil A queda do Rio no caos político.
  • Comércio. O presidente Jair Bolsonaro decidiu estender a cota de isenção de impostos do Brasil para o etanol estrangeiro em 90 dias, o que beneficiará os produtores americanos, poucos dias após a imposição da Casa Branca de Donald Trump redução das cotas de importação de produtos siderúrgicos brasileiros semiacabados. A medida, que ainda não foi anunciada oficialmente, marca outra ruptura com o princípio da reciprocidade para Bolsonaro. A política comercial brasileira tem tradicionalmente seguido.
  • Flop. No final de semana do Dia da Independência, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva falou à nação no canal oficial do Partido Trabalhista no YouTube. Os 23 minutos manifesto – que falou sobre o combate à pobreza e a cura da democracia brasileira – serviu a todos, exceto Lula, novamente como candidato presidencial para as eleições de 2022 (mesmo que ele não seja elegível por enquanto). No entanto, no momento da escrita, o vídeo foi visto apenas 695.000 vezes. And Dislikes (116.000) são mais numerosos do que Dislikes (103.000), sugerindo que muitas dessas visualizações vieram de críticos que clicaram no vídeo para mostrar seu desgosto pelo ex-presidente.
  • Moeda. Após dois anos sem um único contrato internacional, o Moeda brasileira assinou um contrato de US $ 20,6 milhões com a Argentina para a produção de cédulas de 400 pesos argentinos. O novo contrato ajudará a moeda a ficar no azul em 2020 – após três anos de perdas. É a primeira vez desde 2018 que a Casa da Moeda exporta notas para a Venezuela.

Leia a história completa AGORA!

Comece seu teste de 7 dias

cadastro

Inscrever-se para

A recuperação do Brasil fracassa com a alta dos preços dos alimentos. Isso apareceu pela primeira vez na reportagem brasileira.