Quem nunca balançou o esqueleto ao som de uma música?

Dia 29 de abril é comemorado o Dia Internacional da Dança.

Quem nunca balançou o esqueleto ao som de uma música?

Mesmo aqueles que não são adeptos da arte de dançar, com certeza já deu uns passinhos.

Não é somente através do som de uma música que se pode dançar, pois os movimentos podem acontecer independente do som que se ouve, e até mesmo sem ele.

Quem nunca balançou o esqueleto ao som de uma música?Quem nunca balançou o esqueleto ao som de uma música?

Dançar, dançar, dançar…basta querer, é só começar!

A dança é uma das expressões artísticas mais antigas. Na pré-história dançava-se pela vida, pela sobrevivência, o homem evoluiu e a dança obteve características sagradas, os gestos eram místicos e acompanhavam rituais. Na Grécia, a dança ajudava nas lutas e na conquista da perfeição do corpo, já na Idade Média se tornou profana, ressurgindo no Renascimento. A dança tem história e essa história acompanha a evolução das artes visuais, da música e do teatro.

O povo primitivo iniciou a arte de dançar e a praticava em diferentes ocasiões: no período de colheitas, nos rituais aos deuses, na época das caçadas, nos casamentos, em momentos de alegria ou tristeza, ou ainda, em homenagem à mãe natureza. É considerada a mais completa das artes, pois envolve elementos artísticos como a música, o teatro, a pintura e a escultura, sendo capaz de exprimir tanto as mais simples quanto as mais fortes emoções.

A dança teve forte influência nas sociedades ao longo dos tempos. Como via de socialização e disseminação de cultura, proporcionou ao mundo o conhecimento sobre a diversidade cultural dos diferentes povos em todo mundo, especialmente através das danças folclóricas.

A dança do ventre, era praticada por mulheres do Norte de África e da Ásia Ocidental e Meridional. Originalmente, esta dança era parte integrante do ritual de fertilidade consagrado a deusa Ísis no antigo Egito, depois saiu dos templos e campo religioso para os palácios se expandindo pelo mundo através dos ciganos e beduínos inserindo novas variações e se distanciando cada vez mais da sua essência, hoje em dia é apenas uma dança sensual.

As danças de salão surgiram na Itália entre os séculos XV e XVI e são caracterizadas por movimentos precisos e elegantes. A partir do século XVII a dança de salão do estilo francês ganhou mais popularidade e com a Revolução Francesa perderam o aspecto cerimonial, ficando mais livre.

A influência do continente americano na dança de salão ganhou força no século XX, com danças como o tango (Buenos Aires), foxtrot, o charleston, a rumba, etc. Depois da Segunda Guerra Mundial, ficaram conhecidas o mambo, o cha-cha-cha, o samba e o twist.

Assim como a mistura dos povos foram acontecendo, os aspectos culturais foram se difundindo. O maracatu, o samba e a rumba são prova disso, pois através das danças vindas dos negros, dos índios e dos europeus esses ritmos se originaram.

Hoje em dia as danças voltaram-se muito para o lado da sensualidade, sendo mais divulgadas e aceitas por todo o mundo. Nos países do Oriente Médio a dança do ventre é muito difundida; e no Brasil, o funk e o samba são populares.

Além desses, o striptease tem tido grande repercussão, principalmente se unido à dança inglesa, pole dance, também conhecida como a dança do cano.

Dançar também faz bem a saúde!

A dança trás benefícios a saúde, sendo incorporada como complemento nas escolas através da Educação Física, academias de ginásticas que adotam a dança para atrair um público específico sendo uma opção para quem não gosta de exercícios físicos pesados e que não dão prazer.

Tipos de danças

Danças para todos os gostos!!!

Escolha a sua e comece a dançar!

…🌹…

Gracias!