Qual é o seu temperamento?

Olá queridos leitores do Recreio! Sempre bom ter vocês aqui!

Hoje vamos falar sobre os temperamentos humanos!

Temperamento designa em psicologia um aspecto especial da personalidade: as particularidades do indivíduo ligadas à forma do comportamento, principalmente ligadas aos “três As da personalidade”: afetividade, atividade (excitação) e atenção. A conceituação de temperamento é, no entanto difícil e se confunde muitas vezes com outros conceitos como traços de personalidades do indivíduo.

Uma pequena historinha….

Qual é o seu temperamento?
Qual é o seu temperamento?

Os quatro temperamentos foram amarrados dentro de um saco. Depois de tanta luta conseguiram sair, o primeiro foi o Sr. Colérico cheio de ira, querendo saber quem tinha feito isso com ele (todo cheio de razão), o segundo foi o
Sr. Melancólico todo cabisbaixo achando que o culpado de todos estarem presos era ele (sempre se culpando), logo atrás vem o Sr. Sanguíneo todo serelepe, cantando e dançando dando graças a Deus por estar solto (super alto astral), por último o Sr. Fleumático, quando saiu logo viu o saco no chão e pensou com ele mesmo porque não? Ajeitou o saco e dormiu.

Resumindo:

Sanguíneo – É sempre cordial, eufórico e vigoroso.
Melancólico– É analítico, abnegado, bem dotado e perfeccionista.
Colérico – É ardente, vivaz, ativo, prático e voluntarioso.
Fleumático– É calmo, frio e bem equilibrado, raramente explode em riso ou raiva.

Para quem tem paciência de ler, a seguir os temperamentos de forma mais detalhada.

Qual é o seu temperamento? Conta pra gente!

O Temperamento Colérico

O temperamento colérico é encontrado no indivíduo explosivo, vivo, ativo, prático e decidido, que tende a ser autossuficiente, independente, decisivo e de opinião forte, achando fácil fazer decisões por si mesmo, bem como por outros. Eles gostam de estar no comando de tudo, são líderes nato. Gostam de atividades, estimulam seu ambiente com as suas ideias, planos e ambições inesgotáveis. A sua contínua atividade não é sem objetivo, visto que tem a mente aguçada e prática, capaz de tomar decisões rápidas e de planejar a longo alcance projetos importantes.

Não se deixa pressionar pelo que os outros pensam, tem posicionamentos definidos e está sempre engajado ou lutando por alguma causa social. Raramente se amedronta pelas adversidades, possui uma determinação obstinada e com frequência é bem sucedido onde outros falham, não tanto pelos projetos, mas pelo otimismo de seguir em frente enquanto outros desistem no percurso.

A natureza emocional do Colérico é a parte menos desenvolvida do seu temperamento. Ele não simpatiza facilmente com os outros, e nem mostra ou exprime compaixão natural. Na realidade, sempre se embaraça ou se desgosta com as lágrimas de alguém. Uma vez que tenha tomado à direção do seu objetivo, tratará sem consideração a quem postar-se no seu caminho. Tende a ser dominador, e é constantemente considerado um oportunista.

Muitos dos grandes generais e líderes do mundo têm sido coléricos. São bons administradores, homens dotados de ideias, produtores, ditadores ou criminosos, dependendo do seu modelo de moral. Tal como o sanguíneo, o indivíduo colérico é extrovertido, posto que um tanto menos intensamente.

Suas fraquezas usualmente fazem dele uma pessoa difícil de conviver com ela, pois pode ser de temperamento impulsivo, cruel, impetuoso e autossuficiente. A pessoa com esse temperamento com frequência é mais bem apreciada por amigos e companheiros do que pelos membros de sua própria família.

O Temperamento Sanguíneo

O indivíduo com o temperamento sanguíneo é afetuoso, alegre, animado, compassivo e atencioso. É naturalmente acolhedor, e as impressões externas o afetam com facilidade. Toma a maior parte de suas decisões baseado mais nas emoções do que no raciocínio. Tanto as crianças quanto os adultos gostam dele, sendo sempre bem-vindo às festas e reuniões sociais. No entanto, algum tempo sozinho é fundamental para quem tem esse temperamento, são cronicamente atrasados, tendem a serem esquecidos e às vezes um pouco sarcásticos. Muitas vezes, quando eles buscam um novo hobby, eles perdem o interesse assim que deixa de ser interessante ou divertido. Eles são muito pessoas do povo. Eles são faladores e não tímidos.

Sua forma de vida exuberante, aparentemente excitada e extrovertida, transformam-no em objeto de inveja dos tipos mais tímidos de temperamento. Suas maneiras ruidosas, tempestuosas e amistosas fazem-no parecer mais confiante em si mesmo do que realmente é, mas sua energia e adorável disposição ajudam-no a atravessar as dificuldades da vida. Os outros tendem por desculpar as suas fraquezas, dizendo: “Ele é assim mesmo”. O mundo é enriquecido por esses sanguíneos joviais e simpáticos. Eles se tornam bons vendedores, funcionários de hospitais, professores, conversadores, atores, oradores e líderes.

O Sanguíneo geralmente é eleito como “A pessoa indicada para vencer”; porém, com frequência, essa predição é falha no tocante a ele. Sua vontade fraca pode torná-lo deficiente e inconstante. Ele tende a ser emocionalmente inquieto; indisciplinado, egoísta e explosivo.

O Temperamento Melancólico

O “temperamento negro ou sombrio” geralmente caracteriza o indivíduo melancólico. O melancólico é analítico, introvertido, abnegado e um perfeccionista dotado de natureza emocional extremamente sensível. Tidos como grandes pensadores analisam de forma mais clara problemas muito difíceis pra outros. Ninguém aprecia melhor as belas-artes do que o Melancólico. Por natureza, é propenso a ser introvertido, mas, por se deixar dominar pelas emoções, possui humor variável.

Em algumas ocasiões, esse humor o elevará a um estado de êxtase, que o fará agir da maneira mais extrovertida. Contudo, em outros momentos, tornar-se-á tristonho e deprimido, e, durante esses períodos, se retrai, podendo ser até mesmo hostil.

O Melancólico é amigo de confiança, mas, ao contrário do Sanguíneo, não faz amizades facilmente. Não se esforçará para travar relações com as pessoas; antes, esperará que estas venham a ele. Talvez seja o mais fiel dos temperamentos, pois suas tendências perfeccionistas não lhe permitem ser um relapso ou abandonar as pessoas que dele dependem.

A sua natural relutância em se pôr em evidência não indica que não goste das pessoas, pois, como todos nós, não somente gosta delas como tem forte desejo de ser amado por elas. As decepções tornam-no relutante em aceitar as pessoas como elas parecem ser, e, por isso, desconfia quando o procuram ou lhe dão muita atenção.

Sua excepcional capacidade de análise faz com que possua um diagnóstico profundo dos obstáculos e perigos de qualquer projeto que ajude a planejar. Essa previsão contrasta de modo acentuado com o temperamento colérico, que raramente prevê os problemas ou dificuldades, mas antes, julga-se capaz de resolver qualquer situação que surja. Essa característica faz com que o melancólico hesite a iniciar algum projeto novo ou entre em conflito com aqueles que desejam iniciá-lo.

Ocasionalmente, quando está em um de seus estados emocionais de êxtase ou inspiração, pode produzir grande obra de arte. Essas realizações, via de regra, são acompanhadas de períodos de grande depressão.

Geralmente encontra seu maior significado na vida através do sacrifício pessoal. Parece ter vontade de sofrer, e buscará uma vocação difícil, que envolva grande sacrifício pessoal. Uma vez que a sua decisão tenha sido tomada, tende a ser muito meticuloso e persistente em alcançar seu objetivo, e provavelmente realizará um grande bem.

É dono de grande potencial natural. Muitos dos maiores artistas, músicos, inventores, filósofos, educadores e teóricos são de temperamento melancólico.

As fraquezas do indivíduo melancólico são numerosas: ele tende a ser egocêntrico, sensível, pessimista, crítico, mal humorado e vingativo. Esse temperamento tem produzido a maior parte dos gênios do mundo e grande parte dos homens imprestáveis, dependendo de a pessoa ter dado ênfase aos seus pontos fortes, ou ter sido vencida por suas fraquezas.

Os melancólicos, geralmente, têm mais problema em fazer um ajustamento emocional com a vida do que outros e, quando esmagados por suas fraquezas, são consumidos por complexos de perseguição, excessivos complexos de culpa, depressão, hipocondria, medos infundados e hostilidade.