Pesquisa: taxas de rejeição de Bolsonaro em alta histórica

O pesquisador Datafolha divulgou sua última pesquisa esta tarde, analisando o desempenho dos governos de Jair Bolsonaro. As taxas de rejeição administrativa aumentaram cinco pontos percentuais e atingiram seu nível mais alto até agora, com 43%, mas o número de pessoas que consideram o desempenho de Bolsonaro como “bom” ou “ótimo” permaneceu constante. Eleitores que o governo chama de “OK” 22% após 26% na pesquisa de abril.

Brasileiros e graduados são os mais pessimistas em relação ao presidente – 56% e 65% de cada grupo o rejeitam. Empresários e eleitores de alta renda mostraram a maior taxa de apoio entre os que elogiam o trabalho de Bolsonaro. No entanto, os brasileiros ricos são o grupo com a opinião mais polarizada. Enquanto 49% vêem o governo do presidente como “ruim” ou “terrível”, 42% apóiam Bolsonaro.

Uma das razões da crescente rejeição do presidente Bolsonaro é seu desprezo pela pandemia do Covid 19. Como Benjamin Fogel disse nesta semana, o presidente quebra o isolamento social todos os domingos para encontrar partidários – às vezes atacando instituições democráticas. Sua aprovação da cloroquina para o tratamento do Covid-19, embora tenha se mostrado ineficaz, lançou luz sobre o abuso da pandemia pelo presidente.

Pesquisa: taxas de rejeição de Bolsonaro em alta históricaPesquisa: taxas de rejeição de Bolsonaro em alta histórica

Apoie este relatório →Apoie este relatório →