Os números do comércio brasileiro estão caindo no meio de uma pandemia

O Brasil registrou uma queda de 7% nas exportações entre março e abril, enquanto as importações caíram 20,6% no mesmo período, segundo a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Comparado ao primeiro trimestre de 2019, os números de exportação e importação diminuíram 5 e 15%, respectivamente.

Ao contrário de outros membros do G20, no entanto, o Brasil teve um superávit comercial. As economias do G20 registraram um declínio médio de 4,3% nas exportações e 3,9% nas importações – o número mais baixo desde o segundo trimestre de 2017. No Brasil, as exportações aumentaram 0,9% e as importações 2,8% Porcentagem em relação ao trimestre anterior. Segundo a OCDE, o Brasil “estava inicialmente menos exposto ao surto de Covid-19 do que a maioria das economias do G20 durante esse período, como crescimento exponencial [in cases] começou no final de abril. “

Não apenas o vírus corona

Embora a pandemia tenha impactado o comércio brasileiro, apenas exacerbou uma tendência de queda iniciada em 2018. No quarto trimestre de 2019, o país registrou um declínio de 8,1% nas importações e um declínio de 1,5% nas exportações. Nesse contexto, a OCDE constatou que “o aumento no primeiro trimestre de 2020 é um” efeito de recuperação “, mas os valores reais ainda estão abaixo dos relatados no terceiro trimestre do ano passado”.

Os outros dois países latino-americanos do G20 registraram déficits comerciais no primeiro trimestre de 2020. A Argentina teve o pior desempenho entre os membros do grupo desde 19 de março, com as exportações caindo 14,3% e as importações, 1,7%. No México, onde o presidente Andrés Manuel López Obrador inicialmente negou a gravidade do Covid-19, o país viu um aumento de 1% nas exportações, mas uma redução de 1,2% nas importações.

Os números do comércio brasileiro estão caindo no meio de uma pandemiaOs números do comércio brasileiro estão caindo no meio de uma pandemia
Apoie este relatório →Apoie este relatório →