Os casais mais lindinhos da ficção e curiosidades

Namorar não é só beijos e abraços apertados:
Namorar é carinho, é ser amigo, é ser companheiro
Namorar é ter respeito, é brincar, sorrir, e chorar o mesmo choro
Namorar é ser sincero e ouvir os planos de cada um para o futuro que nós espera
Namorar é acreditar que tudo vai dá certo, e que obstáculos fazem partes da vida Namorar é segurar as mãos e dizer:

A seguir uma “pequena” seleção de casais marcantes e lindinhos da ficção. Aqueles casais que torcemos para que tenham um final feliz.

Parece que em alguns casos sim ou enxergam além até chegar a alma do outro. Em alguns casos não foi amor a primeira vista o amor não foi a primeira vista, rs.

Os casais mais lindinhos da ficção e curiosidadesOs casais mais lindinhos da ficção e curiosidades

Lety e Fernando / Betty e Armando

Shrek e Fiona

Juntos viveram altas emoções, os opostos se atraiam, as barreiras eram vencidas, perseverança foi necessária em alguns momentos, mas tiveram um final feliz!

Diego & Roberta, Carla & Tomás, Pedro & Alice

Arthur & Cilene.

Não tem como não rir com estas figuras, o amor resistindo ao tempo, aos filhos, os dois empregos,rs.

Rochelle e Julius

Dizem que o amor e ódio são os lados da mesma moeda

Catarina e Petruchio que o digam…

Aqueles casais enrolados…

Dona Florinda e Professor Girafalles, só falta

o casamento nesta história…

O final (ou o começo) nem sempre é feliz…

Bruxa 71 e Seu Madruga

Pobre Dona Clotilde, rs.

Mas pelo menos no sonho de alguém o final foi feliz.

Foi bom enquanto durou resume bem estes casais, sem contar as lindíssimas músicas associadas aos casais!

Jack e Rose Titanic

Uma dos casais mais marcantes do cinema e da TV, já que virou arroz de festa na tela da Record!

Landon Carter e Jamie Sullivan de Um amor pra Recordar

Gus e Hazel de A culpa é das estrelas

Pena que não tiveram um final feliz !

Mas tem amor que vai além do tempo, distância ou da morte…

Luna e Rafael de Alma Gêmea

Bella e Edward da Saga Crepúsculo

Com certeza faltaram muitos casais lindinhos nesta lista, mas você pode completar através dos comentários!

Curiosidades – Origem do dia dos namorados

No Brasil, há muitas décadas, em todo 12 de junho comemora-se o Dia dos Namorados. Essa data, além de fazer referência óbvia ao amor, ao afeto e ao carinho entre casais, remete também à imensa movimentação comercial que a acompanha. Em outros países, há também um dia específico que tem o mesmo propósito. Contudo, não é o dia 12 de junho, mas sim o dia 14 de fevereiro, como acontece nos Estados Unidos. O dia dos namorados estadunidense é nomeado como Valentine’s day, isto é, “Dia de São Valentim”. Mas por que a diferença entre os dias de comemoração? E por que a referência a um santo?

Para compreendermos a razão de o dia dos namorados ser comemorado em vários dos países do mundo no dia 14 de fevereiro e ser chamado de Valentine’ s Day, é necessário nos remetermos à transição da Antiguidade para Idade Média.

Durante os três primeiros séculos dessa era, o cristianismo avolumou-se no coração do Império Romano. Muitas pessoas que viviam na Europa, antes adeptas das religiões pagãs, converteram-se à religião cristã e passaram a exercer uma conduta que se ajustava aos dogmas e à moral do cristianismo. Nesse contexto, muito imperadores empreenderam perseguições contra os cristãos, sobretudo contra aqueles que se destacavam ou realizavam alguma atividade que incomodava as determinações do Império.

No século III d.C., Valentim, um dos bispos da Igreja, celebrava casamentos de jovens cristãos que queriam levar adiante o sacramento do matrimônio. A instituição do casamento feria os interesses do então imperador Cláudio II, que via no matrimônio monogâmico algo nocivo aos jovens em idade militar. O imperador proibiu que se celebrasse o casamento. Entretanto, Valentim continuou levando a cabo suas atividades. Tendo contrariado as diretrizes do imperador, Valentim foi preso e, depois, decapitado em 14 de fevereiro de 270 d.C. O seu martírio fez com que a Igreja Católica considerasse-o santo a posteriori.

Especula-se, sem precisão histórica, que, quando Valentim estava preso, ele apaixonou-se por uma moça. Essa paixão resultou na troca de bilhetes de confissão amorosa. Com sua morte, Valentim teria se tornado símbolo da união amorosa, tanto por conta dos casamentos que celebrava quanto pelos bilhetes trocados. Sendo exata ou não, a história dos bilhetes ou cartões de conteúdo amoroso passou a circular na Europa medieval e moderna, acrescida das narrativas sobre a morte de Valentim. Aos poucos, essas histórias e a data de sua morte ficaram associadas ao dia dos namorados.

A tal associação também se somavam os antigos festivais da lupercalia, uma festa pagã realizada em Roma que tinha por propósito uniões sexuais. Tais festas também ocorriam em fevereiro, em data próxima àquela em que Valentim foi morto.

No caso do Brasil, o Valentine’s Day não teve a recepção que teve em outros países. No ano de 1949, João Dória, empresário do ramo de publicidade, elaborou um programa comercial que estaria relacionado com a comemoração do dia dos namorados no Brasil. O dia escolhido por Dório, no entanto, foi o 12 de junho, um dia antes da comemoração do dia de Santo Antônio, considerado o Santo Casamenteiro. Desde então, a data do dia 12 de junho segue sendo a data do dia dos namorados no Brasil.

Fonte:http://brasilescola.uol.com.br/datas-comemorativas/dia-dos-namorados.htm

__________________________________________________________

“O amor é a força mais sutil do mundo”.

Mahatma Gandhi

Gracias!S. R. 🌹