OMS retoma estudos de cloroquina sobre o uso do Covid-19

A Organização Mundial da Saúde recomeça os testes do Covid-19 com o medicamento contra a malária da cloroquina apenas uma semana e meia após a exposição, depois que preocupações de segurança foram levantadas em um artigo da revista médica Lancet. “O Grupo Executivo recebeu esta recomendação e endossou todos os esforços de solidariedade, incluindo [those using] Cloroquina ”, disse o diretor da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

A publicação científica na qual a decisão se baseia é revisada de acordo com o The Guardian constatou que muitos dos dados foram fornecidos pela Surgisphere, uma empresa norte-americana cujos “funcionários têm pouco ou nenhum dado ou formação científica”. A edição australiana do jornal também encontrou inconsistências no país de dados usado no estudo.

As inconsistências com o estudo da Lancet são um exemplo de problemas nos trabalhos de pré-impressão, ou seja, a publicação de estudos em repositórios on-line de artigos científicos antes de serem submetidos a uma revisão por pares. Os cientistas fizeram essa ligação devido à necessidade urgente de informações confiáveis ​​em um ambiente em que surgiram teorias de desinformação e conspiração sobre o vírus corona.

Cloroquina no Brasil

No Brasil, a Fundação Oswaldo Cruz é responsável pelo teste de cloroquina como parte da Iniciativa de Solidariedade da OMS para tentar encontrar um medicamento eficaz para combater o Covid-19. Apoiada pelo presidente Jair Bolsonaro como uma “possível cura” para o Covid-19, a droga se tornou um problema político no Brasil, à medida que os cientistas que trabalhavam nos estudos eram expostos a ameaças.

OMS retoma estudos de cloroquina sobre o uso do Covid-19OMS retoma estudos de cloroquina sobre o uso do Covid-19


O Partido Trabalhista solicitou ao Tribunal de Contas Federal a revisão dos protocolos brasileiros de cloroquina. O tribunal concedeu ao Ministério da Saúde 10 dias para divulgar qualquer informação que o governo tenha sido cientificamente capaz de recomendar o uso do medicamento para pacientes leves do Covid 19 e para aconselhamento técnico de cães de guarda.

Apoie este relatório →Apoie este relatório →