O Brasil está tentando encobrir o número de mortes após o Covid-19

Nesta semana, estamos falando das tentativas ativas do governo brasileiro de encobrir o problema do Covid 19. E a montanha-russa que era a taxa de câmbio do país.


Quebre o termômetro para curar a febre

O governo brasileiro não conseguiu conter a disseminação do coronavírus e tentou esconder o número de pandemias no país.

O governo federal começou a manipular dados oficiais na semana passada, quando o número de novas mortes consecutivas começou a se romper – sempre na faixa de quatro dígitos.

  • No início da semana passada, o governo começou a adiar suas atualizações até que todos os noticiários noturnos da televisão nacional terminassem.
  • Na sexta-feira, o painel on-line subiu ao ar com o progresso de 19 casos e mortes no Covid. Ele voltou quase um dia inteiro depois, mas continha apenas casos e perdas diárias, o que mantinha escondido o número total de pessoas afetadas.
  • No domingo, o governo publicou duas acusações muito diferentes, não uma. Às 20h40, foi divulgado que 1.382 mortes foram registradas nas últimas 24 horas. Então, às 21h50, esse número foi alterado para apenas 525 mortes – uma diferença de 857.

O que pode ter acontecido? O governo havia anunciado anteriormente que reportaria apenas as mortes ocorridas naquele dia, com exceção das mortes de dias anteriores que foram confirmadas posteriormente. Isso poderia explicar a discrepância entre 1.382 e 525.

O Brasil está tentando encobrir o número de mortes após o Covid-19
O Brasil está tentando encobrir o número de mortes após o Covid-19
  • Independentemente do motivo, o governo cria um ambiente no qual os dados oficiais simplesmente não podem ser confiáveis. Isso coloca o Brasil em uma categoria semelhante a países como a Venezuela.

Por que isso é importante? O governo está tentando reescrever a história. É o quanto o bilionário Carlos Wizard admitiu ter sido nomeado para um cargo sênior no Ministério da Saúde – mas renunciou após receber uma reação, porque reconheceu publicamente que o governo “contaria os mortos”.

  • Além de mascarar a realidade – e possivelmente criar uma falsa sensação de segurança que poderia tornar as pessoas mais expostas – a falta de dados confiáveis ​​tem um imenso impacto na pesquisa científica que já está sofrendo cortes no orçamento.

Ironia. O presidente Jair Bolsonaro diz que seu lema pessoal é uma passagem do evangelho de João: “Você conhecerá a verdade e a verdade o libertará”.

Corpos “ocultos”. No sábado, O relatório brasileiro mostraram que em cidades com baixas taxas de mortalidade por Covid 19, as perdas agudas da síndrome do desconforto respiratório dispararam – sugerindo que muitas mortes por Covid 19 não são diagnosticadas.

Reação. A promotoria federal abriu uma investigação sobre o caso e pediu ao ministério informações sobre por que ele mudou seus métodos de divulgação de dados.


Entenda a montanha-russa de moedas do Brasil

O real brasileiro se recuperou parcialmente em relação ao dólar na sexta-feira, com a taxa de câmbio caindo abaixo da marca de US $ 1: BRL 5 pela primeira vez desde 13 de março. Embora ainda seja a moeda com pior desempenho do mundo Este ano, o real brasileiro subiu 16% desde 13 de maio, quando atingiu seu nível mais baixo de dólar nominal.

  • O real brasileiro sofreu com a crise de três cabeças do país: turbulência política, recessão iminente e a pandemia de Covid 19. Enquanto isso, o banco central também reduziu a principal taxa de juros para novos mínimos de 3%, o que coloca pressão adicional sobre a moeda.

Um efeito incomum. Uma moeda mais fraca geralmente significa inflação mais alta à medida que o equipamento industrial se torna mais caro. No entanto, esse não foi o caso em 2020, e o Brasil realmente espera que deflação em maio. Desta vez, as empresas não podem repassar seus custos crescentes aos consumidores porque a pandemia de coronavírus diminuiu o consumo.

  • “A relação entre taxa de câmbio e inflação não mudou. O problema agora é que a renda, como a demanda, caiu. Temos inflação reprimida ”, explica o economista Michael Viriato, da Universidade de São Paulo contou UOL.

Fatores políticos. A evolução política em particular determinará o comportamento da moeda no futuro próximo. Internacionalmente, vale a pena monitorar a deterioração do relacionamento entre os Estados Unidos e a China – principal parceiro comercial do Brasil. “No entanto, a moeda brasileira é mais vulnerável a problemas políticos locais, especialmente aqueles que podem ter um sério impacto na política fiscal”, disse a economista Camila Abdelmalack.

Interesse. Na próxima semana, espera-se que o banco central corte as principais taxas de juros para apenas 2,25% ao ano, enquanto os investidores discutem se alcançamos o ponto em que um corte nessas taxas não terá impacto econômico.


Mercados

O Covid-19 impôs um cenário desafiador para shopping centers. No entanto, existem alguns pontos positivos na indústria. A gigante do setor BR Malls firmou uma parceria com a empresa de comércio eletrônico B2W para a venda on-line de produtos de 6.000 lojas, as lojas estacionárias sendo usadas para compras de clique e coleta. Além disso, a BR Malls já reabriu 11 de seus 32 shopping centers em todo o país.

Natália Scalzaretto


Streaming v. Televisão paga

O número de assinantes de serviços de streaming na América Latina excederá o número de assinantes de TV paga pela primeira vez este ano. A região deve terminar em 2020 com 62,2 milhões de assinantes de serviços de streaming de vídeo, um aumento de 36% em relação ao ano anterior. Em 2024, esse número quase dobrará.


olhando para o futuro

  • Arredores. Depois de ser punido internacionalmente por aumentar as taxas de desmatamento, o governo brasileiro apresentará um plano de proteção florestal que incluirá medidas a serem tomadas até junho de 2023. O plano é liderado pelo vice-presidente Hamilton Mourão – depois de gravado o ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles, ele disse que o governo deveria aproveitar a “oportunidade” que a pandemia do Covid-19 oferece a “Executar o rebanho de gado“Através da Amazônia”, altere todas as regras e simplifique os padrões. “
  • Inflação. O Brasil conhecerá sua taxa oficial de inflação para maio na quarta-feira. Os analistas do Bradesco BBI Bank esperam uma deflação de 0,45% no mês, refletindo a queda nos preços de combustíveis e bens de capital e a desaceleração no setor de serviços. Um estudo da Fundação Getulio Vargas pressupõe que a taxa de inflação em 2020 possa ser a mais baixa desde 1933 – quando o Brasil sentiu os efeitos da crise econômica global.
  • Estoques. O índice de referência brasileiro Ibovespa alcançou quase 95 mil pontos na sexta-feira, nível que os analistas esperavam apenas no final do ano. A rápida mudança de perspectiva se deve ao fato de outras economias mundiais terem melhorado suas expectativas econômicas, sem mencionar notícias promissoras sobre os esforços para produzir uma vacina Covid-19. A recuperação em forma de V continuará? Ou existe um cenário em forma de W?

Caso você tenha perdido

  • Protestos. Os temores de que manifestantes pró e anti-Bolsonaro possam levar a confrontos violentos nas ruas não se concretizaram neste fim de semana, e comícios em 12 estados foram amplamente pacíficos no domingo. Em São Paulo, a manifestação a favor do presidente reuniu cerca de 100 pessoas que foram superadas pelos 3.000 manifestantes que pediram sua queda. No entanto, a oposição continua dividida – muitos grupos saem contra Protestos de rua sobre os riscos à saúde associados a reuniões públicas.
  • Política. O governo Bolsonaro formou uma aliança com o chamado Big Center – um grupo de partidos de centro-direita sem rosto com um grande banco no Congresso – na esperança de descartar possíveis processos de impeachment contra o presidente. No entanto, o procurador-geral Augusto Aras fez alegações de corrupção contra o congressista Arthur Lira, um membro proeminente do Big Center, na sexta-feira. A promotoria poderia abalar o relacionamento do presidente Jair Bolsonaro com seus novos aliados, pois Aras era considerado totalmente focado no gabinete do presidente.
  • Indústria. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística divulgou seus últimos números da produção industrial em abril, que mostram uma queda de 18,8% na produção. Apesar de ser o pior resultado existente, graças aos resultados positivos das empresas de processamento de alimentos (+3,3%) e das empresas farmacêuticas (+6,6%), o setor realmente superou as expectativas.
  • Kickstart. O governo anunciou que uma nova estrutura legal sanitária seria uma aposta para atrair investimentos e impulsionar a economia após a pandemia. O Ministério da Economia espera que o projeto de lei em discussão desde o governo Michel Temer (2016-2018) seja submetido a votação no final de junho. Pode arrecadar até R $ 700 bilhões em novos investimentos.

Leia a história toda

Comece seu teste gratuito de 7 dias

cadastro

Inscrever-se para

A contribuição do Brasil, tentando encobrir o número de mortes após o Covid-19, apareceu pela primeira vez no relatório brasileiro.