Novo acordo para melhorar o comércio do Brasil com os EUA

Hoje o Brasil e os EUA estão tentando melhorar as relações comerciais. A desconfiança dos brasileiros na ciência. O Senado está tentando manter os cortes de salários das empresas em andamento. E um julgamento do Supremo Tribunal que vai preocupar a Petrobras.

QUEBRA

Na terça-feira, a Polícia Federal lançou uma operação contra dois secretários estaduais do Pará acusados ​​de desvio de dinheiro destinado à saúde. Agora a polícia realiza operação semelhante contra o governador de Santa Catarina, Carlos Moisés. Ele é suspeito de sacar dinheiro com a compra de ventiladores para pacientes Covid-19.


Brasil-EUA. O comércio pode ter um impulso

O Brasil e os Estados Unidos supostamente chegaram a esta conclusão

Negociações sobre um plano para facilitar o comércio entre os dois países – que deve ser assinado nos próximos dias. A troca bilateral (US $ 29,8 bilhões entre janeiro e agosto) deve reduzir os custos em 15%.

O que está na mesa. O acordo é baseado em três pilares: facilitação do comércio, práticas regulatórias e esforços anticorrupção. Isso ajudaria a reduzir a burocracia e facilitaria os controles alfandegários.

  • O Brasil já tem acordos comerciais semelhantes com o Chile, a União Européia e o Mercosul.

Entrada global como um impulsionador do comércio. Outro passo para fomentar o intercâmbio entre Brasil e Estados Unidos é a decisão de Washington de lançar a segunda fase do programa Global Entry, que permite que viajantes pré-aprovados e de baixo risco desembarcem rapidamente nos aeroportos. Hoje são 20 executivos do Brasil-EUA. O Fórum Empresarial, grupo de aprimoramento das relações comerciais, é beneficiado pelo programa, que agora deve ser ampliado para um total de 100 executivos.


Brasileiros céticos em relação aos cientistas

Um novo pesquisa O livro, publicado pelo Pew Research Center, mostra o Brasil como o país onde menos gente confia em cientistas entre os 20 países estudados para fazer o que é melhor para a sociedade. Enquanto na maioria dos países o ceticismo em relação à ciência é político – com a direita tende a confiar menos nos cientistas – não há tal divisão ideológica no Brasil: apenas 22% da direita brasileira confia “muito” nos cientistas. exatamente a mesma taxa para pessoas de esquerda.

Por que isso importa. Os resultados sugerem que o Brasil é um terreno fértil para o discurso anticientífico. Durante a pandemia, desconsiderar as recomendações dos cientistas – muitas vezes do governo de extrema direita – foi um obstáculo para combater a disseminação do coronavírus.

Desconfiança e nojo. Os brasileiros geralmente desconfiam das instituições. O país tem algumas das taxas de confiança mais baixas para o governo (9%), mídia de notícias (12%) ou líderes empresariais (apenas 4%). Há também um problema significativo com a autoimagem, já que três em cada quatro brasileiros dizem não estar felizes com a situação em seu país – a terceira maior taxa entre 20 nações pesquisadas. Como parte dessa frustração geral, as percepções positivas sobre as realizações científicas do país são desproporcionalmente baixas em comparação com outros países – geralmente na casa de um dígito.

  • O resultado é um país onde apenas 41 por cento das pessoas acreditam que as decisões devem ser tomadas por especialistas. A maioria dos brasileiros afirma que a “experiência prática” é um bem maior na tomada de decisões.

Dreno cerebral. O maior problema da ciência brasileira, porém, não é a falta de cientistas altamente qualificados, mas a falta de recursos e estruturas. O financiamento de pesquisas científicas em universidades públicas tem estado em alta na última década, e muitos dos melhores cientistas do país o fizeram deixou para trabalhar em instituições estrangeiras. E o Ministério da Educação já anunciou que vai reduzir ainda mais o orçamento de institutos federais de pesquisa e universidades.

  • o Maglev Cobra O projeto, um protótipo de trem maglev supercondutor desenvolvido pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, alcançou um nível de prontidão tecnológica de 7 (em 9) e transportou experimentalmente mais de 20 mil pessoas – mas foi interrompido por falta de financiamento.

Legislativo pode vetar cortes de impostos sobre salários

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, agendou hoje uma votação sobre o veto do presidente Jair Bolsonaro contra a extensão dos cortes de impostos sobre salários a empresas em 17 setores até o final do próximo ano. O governo tentou negociar a favor da manutenção do veto e tentará frear a votação convencendo os aliados a não comparecerem à reunião para evitar que o quorum mínimo seja atingido.

  • Bolsonaro vetou uma lei que permitiria às empresas pagar impostos com base em seus ganhos, em vez de uma taxa de 20% sobre sua folha de pagamento.

Por que isso importa. O impasse durou três meses e já está impactando o planejamento econômico das empresas para 2021.

O que você diz. O governo está tentando evitar a perda de receita enquanto luta para elaborar programas de bem-estar para o próximo ano, quando o salário de emergência do coronavírus terminar. No entanto, as empresas estão defendendo fortemente os cortes de impostos, dizendo que manter o veto as forçaria a demitir funcionários e impediria a criação de até 6 milhões de novos empregos.

  • O possível levantamento do veto também foi utilizado por Alcolumbre como base para as negociações. Ele quer emendar a constituição para obter outro mandato no Senado – e pode acatar os pedidos do governo em troca de apoio para sua estratégia.

Supremo Tribunal Federal decide sobre privatização da Petrobras

O Supremo Tribunal Federal realizará hoje um julgamento sobre se a estatal petrolífera Petrobras tem o direito de dividir seus ativos em várias subsidiárias, a fim de acelerar sua privatização.

  • O tribunal decidiu anteriormente que as empresas controladoras controladas pelo governo precisam da aprovação do Congresso para vender ativos – mas elas teriam autonomia sobre as subsidiárias. Pensando nisso, a Petrobras decidiu transferir o controle das refinarias de petróleo para suas subsidiárias para impulsionar os desinvestimentos. No entanto, o Congresso chamou o jogo sujo.

Na linha. A Petrobras está tentando vender oito de suas refinarias de petróleo por meio de subsidiárias.

Por que isso importa. A decisão é fundamental para a estratégia da Petrobras de desalavancagem e foco de esforços nas reservas de águas profundas do pré-sal. A empresa intensificou esse plano durante a pandemia, quando a crise do coronavírus derrubou os preços do petróleo em todo o mundo.

O processo. Até agora, três juízes votaram – todos os três a favor de uma liminar para suspender a privatização.


O que mais você precisa saber hoje?

  • Economia. De acordo com o think tank Fundação Getulio Vargas, a confiança empresarial na indústria e no comércio atingiu níveis acima do que era imediatamente antes da pandemia. Na indústria, o otimismo atingiu seu nível mais alto desde janeiro de 2013 – antes da recessão de 2014-2016. Nesse caso, porém, o otimismo é apenas de curto prazo – quando se trata de olhar seis meses para o futuro, os empresários já estão menos entusiasmados com as perspectivas econômicas do Brasil.
  • Arredores. Um tribunal federal do Rio de Janeiro emitiu liminar para suspender decisões do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), revogar a proteção de áreas costeiras e nomear “riscos evidentes de danos irreparáveis”. O gabinete do procurador-geral tem o direito de apelar da decisão, mas se recusou a comentar.
  • Debate Trump-Biden. O ex-vice-presidente Joe Biden queria destacar a liderança do presidente dos EUA, Donald Trump usou o Brasil como argumento. “As florestas tropicais do Brasil estão sendo demolidas […] Gostaria de reunir e garantir que os países do mundo levantem $ 20 bilhões e diria: “Aqui estão $ 20 bilhões. Pare de destruir a floresta. E se você não fizer isso, você vai consequências econômicas significativas. ‘”
  • Ajuda de emergência. Segundo o Ministério da Cidadania, cerca de 5,7 milhões de pessoas deixarão de receber Salário de emergência por coronavírus. Nos próximos quatro meses, o governo vai fazer pagamentos de R $ 300 e elevar o nível de qualificação da população para a ajuda. Uma autoridade disse que a mudança foi resultado das lições que o governo aprendeu sobre a política.
  • Justiça. O Supremo Tribunal Federal deve abrir um caso hoje para determinar se o “direito ao esquecimento” deve ou não existir na legislação brasileira. Embora o direito à privacidade seja a proteção de informações que não estão publicamente disponíveis, o direito de ser esquecido inclui a remoção de informações que eram publicamente conhecidas em um determinado momento e a prevenção de terceiros de acessarem as informações. Este direito não existe tecnicamente no Brasil, embora seja frequentemente usado como argumento em processos judiciais. Os juristas se esforçam para chegar a um acordo sobre o assunto, alegando que esse direito pode aumentar a censura na internet e permitir que a história seja reescrita.

Leia a história completa AGORA!

Comece seu teste de 7 dias

Conecte-se

Inscrever-se para

O Pós-Novo Acordo para Melhorar o Comércio do Brasil com os EUA apareceu pela primeira vez no relatório brasileiro.