Ministro da Saúde se reúne com defensores do uso retal de ozônio como tratamento para Covid-19

O ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, se reuniu com membros da Sociedade Brasileira de Ozônio Terapêutico (SOBOM) nesta semana, que afirmam que o uso retal do gás ozônio pode ser usado como um tratamento eficaz para Covid-19. Pazuello foi fotografado nas redes sociais ao lado da presidente do SOBOM, Maria Emília Serra e mais três integrantes da organização. No Brasil, o assunto se tornou viral na terça-feira, quando o prefeito da cidade de Itajaí, Volnei Morastoni, defendeu o uso retal do ozônio como uma forma “rápida” e “fácil” de tratar o Covid-19 na televisão.

Ainda não está claro como a introdução retal de ozônio pode tratar doenças respiratórias como a Covid-19. Esta terapia é considerada experimental no Brasil e atualmente só é permitida sob diretrizes rígidas. O Conselho Federal de Medicina do Brasil desaconselha fortemente seu uso em laboratório.

A Prefeitura de Itajaí – única prefeitura do país a atestar publicamente a prática – afirma que a prática terapêutica da cidade está sendo aprovada como parte de um estudo da Associação Brasileira de Ozonoterapia (Aboz) para avaliar os efeitos da introdução retal do gás Trate Covid-19.

Ministro da Saúde se reúne com defensores do uso retal de ozônio como tratamento para Covid-19Ministro da Saúde se reúne com defensores do uso retal de ozônio como tratamento para Covid-19

24 de julho O relatório brasileiro discutiram como a hidroxicloroquina e outras “curas” para Covid-19 se tornaram populares na América Latina, apesar de pouca ou nenhuma evidência científica de sua eficácia. A ozonioterapia retal pode se tornar o próximo pseudo-regime em voga no Brasil.

Apoie este relatório →Apoie este relatório →