Ministério da Economia lança programa de empréstimos para pequenas empresas

O ministro da Economia Paulo Guedes anunciou planos para um programa de empréstimos para pequenas empresas na sexta-feira. O programa traçará declarações fiscais de pequenas empresas em 2021, ou em um futuro próximo, para subsídios do governo federal em 2020.

A medida visa mitigar o golpe financeiro que as empresas brasileiras enfrentaram com a pandemia do Covid 19. O PIB brasileiro cairá até 8% este ano. As pequenas empresas que contam com um fluxo regular de clientes, como restaurantes e lojas físicas, são particularmente afetadas e se beneficiarão mais do novo programa.

A premissa geral é que as empresas que são capazes de gerar receita tributária igual ou superior a seus empréstimos federais contraídos em 2020 mais as taxas de juros são automaticamente concedidas por esses empréstimos. Há duas vantagens: as pequenas empresas terão capital suficiente para enfrentar a tempestade econômica de 2020 e o governo não perderá uma fonte anual de receita tributária.

“Se em um ano você puder pagar tudo o que lhe emprestei com juros, você será recompensado. Você receberá um bônus [for good taxpaying records]. É benéfico salvar uma empresa que compensa [faithfully] anualmente ”, disse Guedes. “[The business] paga BRL 200.000 ($ 39.609) a cada ano. Por que você não empresta BRL 200.000 quando está morrendo? Emprestarei 200.000 e você me paga BRL 200.000 a cada ano [in taxes]. “

Ministério da Economia lança programa de empréstimos para pequenas empresasMinistério da Economia lança programa de empréstimos para pequenas empresas

Não como sempre

Apesar das tentativas de impulsionar a economia reabrindo negócios e negócios não essenciais, espera-se que os fluxos de clientes ainda estejam abaixo dos níveis relatados anteriormente pela pandemia O relatório brasileiro. Em São Paulo, a maior cidade do Brasil, a taxa de isolamento social permaneceu constante em 48% nesta semana, apesar da reabertura de shopping centers e comércio de rua.

Isso poderia indicar uma maior dependência do crédito de pequenas e médias empresas em 2020, pois a reabertura pode não gerar a receita necessária para permanecer à tona.

Apoie este relatório →Apoie este relatório →