Metade das comunidades do país indígena de Rondônia suspeita da Covid 19 casos

Pelo menos metade das 28 comunidades tradicionais da terra indígena protegida de Sete de Setembro, no estado de Rondônia, no norte do Brasil, registrou casos suspeitos de Covid-19, de acordo com o líder Celso Lamitxab Suruí. Até quinta-feira, o número de casos confirmados na região chegava a 50. Cerca de 1.800 pessoas vivem na região. Segundo o jornal, há casos confirmados em cinco comunidades diferentes.

De acordo com o jornal Folha, foram 17.498 casos confirmados e 564 Covid 19 mortes entre indígenas de 123 grupos da Amazônia brasileira desde o início da semana, citando dados da Coiab. O estado do Amazonas tem o maior número de mortos.

Em março, o editor Euan Marshall relatou que a Covid-19 corre o risco de destruir muitas comunidades no país. Um estudo da Universidade Estadual de Campinas, em abril, descobriu que o número de indígenas em áreas remotas do Brasil que poderiam ser “criticamente suscetíveis” ao coronavírus é de 81.000.

Mas O relatório brasileiro também afirmou que o coronavírus não é o único risco que a pandemia representa para as comunidades indígenas na América Latina. A Agência das Nações Unidas para os Refugiados (UNCRH) alertou que até 5.000 indígenas de diferentes etnias estão sendo deslocados no Brasil.

Metade das comunidades do país indígena de Rondônia suspeita da Covid 19 casosMetade das comunidades do país indígena de Rondônia suspeita da Covid 19 casos
Apoie este relatório →Apoie este relatório →