Líderes indígenas relatam novas mortes suspeitas de Covid-19

Nas últimas 24 horas, líderes indígenas do grupo étnico Xavante relataram nove novas mortes suspeitas de Covid 19 no Mato Grosso – três das vítimas foram diagnosticadas com o coronavírus. Os outros seis foram testados, mas os resultados ainda não foram confirmados. Se isso fosse confirmado, significaria que os aproximadamente 22.000 Xavantes sofreram 21 mortes por coronavírus desde o início da pandemia.

É outro exemplo de como é o vírus mortal entre os indígenas brasileiros. Segundo especialistas, o financiamento do governo para incursões evangélicas nessas comunidades, juntamente com invasões de terra por lenhadores e mineiros, está exacerbando a situação.

Além dos custos humanos, há também um risco significativo para o futuro das tradições culturais desses grupos – já que as tribos indígenas dependem fortemente da transmissão oral de pessoas idosas, a faixa etária mais vulnerável.

A comunidade Xavante já registrou 102 casos de coronavírus e outros 62 casos suspeitos, de acordo com o último boletim publicado em 25 de junho pelo Distrito Especial de Saúde Indígena de Xavante.

Líderes indígenas relatam novas mortes suspeitas de Covid-19
Líderes indígenas relatam novas mortes suspeitas de Covid-19

Esses números diferem significativamente das estatísticas oficiais do governo, que relataram apenas cinco mortes e 84 infecções em Xavante. Há uma discrepância notável entre os números oficiais e os relatados pelo distrito de saúde, o que novamente questiona a confiabilidade dos números oficiais do governo.

Apoie este relatório →Apoie este relatório →