Insegurança alimentar atingiu 10,2 milhões de brasileiros antes da pandemia

Hoje estamos falando sobre a questão da insegurança alimentar no Brasil, que tem um impacto humano e econômico significativo no país. Os problemas com as vagas nos reguladores. E os múltiplos processos de impeachment em todo o Brasil.

Brasil de volta ao mapa da fome

Brasil fez seu retorno indesejado aos Estados Unidos

Mapa mundial da fome – a lista de países onde mais de 5% da população não tem alimentos seguros. Novos dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística mostram que 4,6 por cento das famílias foram afetadas por insegurança alimentar grave em 2018. Em apenas cinco anos, mais de 3 milhões de brasileiros entraram na categoria de quem não tem o que comer regularmente. O número total no país nessa categoria é de 10,2 milhões.

Por que isso importa. Os dados referem-se a 2018 – o que significa que a situação pode ser ainda pior após a pandemia. “Em 2020, quem já tinha empregos informais e precários perdeu a renda”, diz o economista Marcos Andrade, professor da Universidade Mackenzie de São Paulo.

  • Por razões orçamentárias, o governo tem reduziu pela metade o salário de emergência do coronavírus para populações vulneráveis ​​agora avaliadas em R $ 300 ($ 57). Para os 10% mais pobres do país, o corte resultou em uma perda imediata de 44% do poder de compra.
  • Além disso, o acesso aos alimentos foi restrito devido a recentes aumentos de preços. Já em fevereiro, R $ 100 (US $ 19) davam para comprar 21 quilos de feijão marrom. agora é apenas o suficiente para 14 kg. A mesma quantidade comprou 35 quilos de arroz em fevereiro – agora compra apenas 26 quilos.

Desigualdade. Os dados de segurança alimentar fornecem uma imagem clara das desigualdades arraigadas no Brasil. A fome é mais comum nas áreas rurais, entre negros e pessoas multirraciais e em lares monoparentais.

Futuro comprometido. Metade do brasil Crianças menores de cinco anos vivem em famílias com insegurança alimentar. Além do imenso impacto humano, a incapacidade do Brasil de proteger sua população da desnutrição terá um impacto significativo. De acordo com Painel Global sobre Agricultura e Sistemas Alimentares para NutriçãoOs problemas nutricionais geram custos por meio de dificuldades de aprendizagem, baixo desempenho escolar, diminuição da produtividade do trabalho adulto e aumento dos custos com saúde.

  • A renda de adultos é reduzida em 2,4% para cada 1% de perda de altura potencial.

O problema com os reguladores brasileiros

A Lei Geral de Proteção de Dados entra em vigor hoje, mas sem um regulador para supervisionar como as novas regras para lidar com dados pessoais de clientes são implementadas. Apesar de um 26 de agosto decreto No que se refere à estrutura e responsabilidades da Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), o governo ainda não indicou nenhum de seus cinco conselheiros. Quem por sua vez deve ser confirmado pelo Senado.

  • Um total de 43 associações empresariais instou o governo a agir rapidamente, alertando que a falta de um regulador levaria a litígios desnecessários e incerteza sobre a interpretação da nova lei.

Grande imagem. Os problemas em curso com a ANPD são parte de um problema maior: já se passaram 14 meses desde a última vez que o governo chamou alguém para o país 11 Autoridades de supervisão. Os membros provisórios atualmente detêm 40% dos mandatos do conselho.

Quem é o culpado. Embora a incompetência do governo certamente seja a culpada, o Senado também tem alguma responsabilidade por essa situação. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, Audiências de confirmação retidas quando os nomes apresentados pela administração não correspondiam aos seus interesses. O mesmo cenário também aconteceu com o Cade e a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Por que isso importa. As decisões regulatórias, consideradas a “quarta camada” da governança no Brasil, podem ter um tremendo impacto na vida diária das pessoas, estabelecendo regras e padrões em uma série de setores-chave


Como foi o dia do impeachment

Quinta-feira foi um dia agitado e incomum – até para os padrões da política brasileira. Contudo três processos de impeachment ouvi perante legisladores locais sobre dois governadores e o prefeito da cidade mais famosa do Brasil. Isso é o que aconteceu:

  • Rio de Janeiro (estado). Em uma votação gritante de 24-0, um comitê especial autorizou o Congresso do Estado a realizar um processo de impeachment contra ele suspenso Governador Wilson Witzel. Ele é acusado de desvio de fundos para lutar contra a Covid-19. A votação unânime sem precedentes sugere que o caso de Witzel não pode ser salvo.
  • Rio de Janeiro (cidade). Nesse ínterim, a prefeitura da capital paulista decidiu por 24 a 20 votos não iniciar o processo de impeachment contra o prefeito Marcelo Crivella. Ele está sob investigação criminal por supostamente sacar fundos públicos e lavagem de igrejas evangélicas. Esta foi a quinta vez que o Sr. Crivella escapou do impeachment.
  • Santa Catarina. O governador Carlos Moisés foi acusado de irresponsabilidade tributária ao conceder aumentos salariais ao Ministério Público sem a aprovação legislativa. Em uma votação de 33-6, o legislativo decidiu seguir em frente com o processo de impeachment. Agora, uma comissão formada por cinco parlamentares, cinco juízes estaduais e o presidente do Tribunal de Justiça de Santa Catarina tem cinco dias para avaliar as denúncias e fazer uma recomendação ao Congresso do Estado – que vota a denúncia de Moisés.

O que mais você precisa saber hoje?

  • Empresas. O setor de serviços é a espinha dorsal da economia brasileira. Mas um novo estude O think tank Fundação Getulio Vargas mostra que após a conclusão dos programas de ajuda governamental às empresas, 25 por cento das empresas do setor de serviços irão despedir ou encerrar definitivamente. 10% das empresas que procuram demitir funcionários dizem que as demissões podem afetar até 20% de seus funcionários.
  • Diplomacia. O secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, chega hoje a Boa Vista, no estado de Roraima, no extremo norte do Brasil, para discutir a migração de cidadãos venezuelanos. O Sr. Pompeo se encontrará com o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, antes de viajar à Colômbia para se encontrar com o presidente Ivan Duque.
  • Arredores. Na próxima semana, o Supremo Tribunal Federal realizará uma audiência pública para discutir como o governo está administrando um fundo para promover programas ambientais. Nos dias que antecederam a audiência, a Secretaria de Meio Ambiente tentou liberar recursos que haviam permanecido intocados no último ano e meio e aprovou R $ 530 milhões (US $ 101 milhões) para as medidas previstas Combate às mudanças climáticas.
  • Justiça. O juiz da Suprema Corte, Marco Aurélio Mello, suspendeu um depósito que o presidente Jair Bolsonaro deve dar na próxima semana – como parte de uma investigação para saber se ele interferiu ilegalmente na Polícia Federal. Outro juiz ordenou que o Sr. Bolsonaro prestasse um depoimento pessoal (em vez de um por escrito), mas o juiz Mello atrasou o processo até que o banco do Supremo Tribunal considerasse o assunto. A data de negociação deve ser definida por Supremo Tribunal Federal Luiz Fux.
  • Reformas. O chicote do governo na Câmara dos Deputados, o deputado Ricardo Barros, disse quinta-feira que o governo acredita ser possível aprovar duas grandes reformas – uma revisão do Pacto da Federação que acrescenta novas responsabilidades a estados, comunidades e ao governo federal, além de civis define a reforma do serviço – antes do final de 2020. Mas como nós Mostrado no início desta semanaO prazo médio para a adoção legislativa de emendas constitucionais é de pelo menos 246 dias. Em anos eleitorais como 2020 a 327 dias, vai demorar ainda mais.

Leia a história completa AGORA!

Comece seu teste de 7 dias

cadastro

Inscrever-se para

A insegurança pós-dieta atingiu 10,2 milhões de brasileiros antes da pandemia aparecer pela primeira vez no relatório brasileiro.