Indústria brasileira registra queda recorde devido ao Covid-19

A produção industrial brasileira caiu em uma taxa média sem precedentes de 18,8% entre março e abril entre março e abril, de acordo com os últimos dados do Instituto Nacional de Geografia e Estatística, devido à crise de Covid-19. O declínio mensal foi o maior da história do Brasil e superou o recorde anterior durante a greve de caminhões de 2018.

Treze dos 15 países examinados mostraram um declínio na produção industrial. A indústria de São Paulo – o centro industrial e financeiro do Brasil, responsável por mais de um terço da produção industrial do país – registrou uma queda média de 23,2% em abril. Este foi o declínio mais acentuado da história do estado.

O estado do Amazonas, outro grande contribuinte industrial, teve o maior declínio, com a produção caindo 46,5% no mesmo período. Os números da indústria pré-pandêmica na Amazônia foram animadores. Entre janeiro e outubro de 2019, os lucros aumentaram 11,57%.

Um dos setores mais afetados são as indústrias automotiva e têxtil, onde a produção quase parou em abril. Os únicos setores com números positivos foram produtos farmacêuticos, alimentos e produtos de limpeza, o que levou ao crescimento nos estados de Goiás (2,3%) e Pará (4,9%).

Indústria brasileira registra queda recorde devido ao Covid-19Indústria brasileira registra queda recorde devido ao Covid-19

Na segunda-feira, informamos que o Banco Mundial previu que o PIB brasileiro encolheria 8% em 2020, piorando o declínio global esperado de 5%.

Apoie este relatório →Apoie este relatório →