Governo federal penúltimo no ranking de transparência pandêmica

Segundo o ranking da organização internacional anticorrupção Transparency International para compras emergenciais no Brasil durante a pandemia, o governo federal é a segunda administração menos transparente do país e supera apenas o estado amazônico de Roraima. É a primeira vez que o governo federal é incluído nesse ranking, que mede todas as administrações estaduais e capitais.

O estudo divulgado na sexta-feira foi a terceira edição do ranking.

O governo federal marcou apenas 49,3 dos 100 possíveis pontos, enquanto Roraima marcou apenas 40,5 pontos. Segundo a Transparency International, o principal portal de informações do governo federal contém muito poucos detalhes sobre contratos de emergência e nenhum dado aberto considerado crucial para a transparência. Portais semelhantes usados ​​pelos governos estaduais mostram significativamente mais detalhes, incluindo os números reais contidos nos contratos, de acordo com a organização.

O estudo analisou sites, redes sociais e portais de 26 estados e do distrito federal, bem como 27 capitais estaduais, com base nas diretrizes para contratos de transparência e emergência em resposta ao Covid-19, criado em colaboração com o Tribunal de Contas da União. O ranking médio de transparência entre os estados brasileiros foi de 59,5 pontos. Ceará, Espírito Santo e Rondônia receberam uma pontuação perfeita de 100 pontos.

Governo federal penúltimo no ranking de transparência pandêmicaGoverno federal penúltimo no ranking de transparência pandêmica
Apoie este relatório →Apoie este relatório →