FMI: Dívida do Brasil após a pandemia é a segunda maior do mundo

Um relatório do Fundo Monetário Internacional (FMI) mostra que o Brasil poderia ter o segundo pior desempenho econômico entre os países de renda média em 2020. O fundo prevê a dívida externa do país, que já responde por 89% do PIB e aumentará para 98% até o final do ano. Das 36 economias emergentes pesquisadas, Angola é o único país com uma previsão muito pior do que o Brasil, cuja dívida externa deve exceder 130% do PIB.

A publicação do FMI não inclui dados de seus vizinhos brasileiros, Venezuela e Argentina, como “não há dados confiáveis”. Enquanto o primeiro está envolvido em uma profunda crise política e econômica, o segundo ainda está procurando maneiras de pagar o fundo de empréstimo aprovado de US $ 44 bilhões exatamente dois anos atrás hoje. Para outros países da América do Sul, a dívida externa deve aumentar em cerca de 5 pontos percentuais, já que o Chile deve permanecer estável em 32,3% do PIB em 2020.

Para 2021, a dívida externa do Brasil deverá permanecer estável em 98% do PIB. Desde o início da pandemia, as autoridades do FMI alertaram para o impacto econômico que a falta de uma resposta efetiva à saúde pública no Brasil poderia ter.

Apoie este relatório →Apoie este relatório →

FMI: Dívida do Brasil após a pandemia é a segunda maior do mundoFMI: Dívida do Brasil após a pandemia é a segunda maior do mundo