Fênix: pássaro lendário da mitologia grega

O termo mitologia refere-se ao estudo dos mitos e conjunto de mitos, geralmente os mitos são histórias baseadas em tradições e lendas que explicam o universo, a criação do mundo, e os fenômenos naturais. A maioria dos mitos envolve alguma divindade e lendas, passadas de geração em geração. Alguns usam a palavra mitologia para desacreditar histórias, ela nasceu do hábito de contar histórias e feitos pessoais, e contar histórias sempre foi o principal passatempo do ser humano. Segundo Joseph Campbell (um conhecido estudioso da mitologia mundial), a função primordial da mitologia e do mito sempre foi oferecer símbolos que fazem progredir o espírito humano.

O Mito Da Fênix

A fênix é um pássaro lendário da mitologia grega, que ao morrer, entrava em autocombustão (queimava-se) e depois renascia das próprias cinzas. Seu final de cada ciclo de vida, sua vida longa e o seu dramático renascimento transformaram-na em símbolo da imortalidade e do renascimento espiritual. Alguns estudiosos acreditam que a lenda surgiu no Oriente.

Fênix: pássaro lendário da mitologia grega
Fênix: pássaro lendário da mitologia grega

A Fênix tem sido um símbolo mitológico duradouro há milênios e em várias culturas diferentes. Apesar da variedades de sociedades e épocas, ela é sempre caracterizada como um pássaro com brilhante plumagem colorida, Que, depois de uma longa vida, morre em um incêndio feito por ela mesma, para em seguida ressuscitar das cinzas. Do simbolismo religioso e naturalista no antigo Egito, a um símbolo secular para os exércitos, comunidades, e até mesmo as sociedades, bem como um símbolo literário, a representação desta ave mítica de morte e renascimento parece ressoar com as aspirações da humanidade.

Diversas culturas incluem variações sobre a Fênix e apesar de muitas culturas terem a sua própria interpretação do pássaro, as diferenças em nuance são ofuscadas pelas características mais homogêneas da criatura mítica. A Fênix é sempre um pássaro, geralmente tendo uma plumagem com cores correspondentes ao fogo: amarelo, laranja, vermelho e ouro. A característica mais universal é habilidade do pássaro para ressuscitar.

_

Algumas Curiosidades

Suas lágrimas tinham propriedades para curar qualquer tipo de enfermidade ou ferida, e também suportava cargas muito pesadas (como elefantes), e dominava a arte da Pirocinese (produzia e manipulava o fogo). Muitos diziam que suas cinzas tinham o poder de ressuscitar os mortos. Alguns imperadores comiam a carne da Fênix almejando a imortalidade.

Na arte cristã, a fênix renascida tornou-se um símbolo popular da ressurreição de Jesus Cristo. A crença existiu em vários povos da Antiguidade, como gregos, egípcios e chineses. Em todas as mitologias o significado é preservado: a perpetuação, a ressurreição, e a esperança que nunca acaba. Há uma comparação com o sol, que morre todos os dias no horizonte para renascer no dia seguinte, tornando-se o eterno símbolo da morte e do renascimento da natureza. Ela também simbolizava os ciclos da natureza, inclusive os astronômicos. Entre os egípcios, era conhecida como Benu, e associada ao culto do Deus-Sol (Rá).

Para os gregos, estava ligada ao deus Hermes e é representada em muitos templos antigos. Na China antiga foi representada como uma ave maravilhosa que representa a felicidade, virtude, força, liberdade e inteligência. Na sua plumagem, brilhavam cinco cores (consideradas sagradas): Púrpura, azul, vermelha, branco e o dourado. Os romanos viam na ave uma metáfora para o caráter imortal e intocável do Império Romano e estamparam algumas moedas com sua figura.

Não há um consenso sobre a duração da vida da Fênix, uns deduzem quinhentos anos, outros aproximadamente 97 mil anos. A cada ciclo existencial, a ave sente a proximidade da morte e prepara uma fogueira funerária com ramos de canela, sálvia e mirra. Depois de um período não definido, ela revive, simbolizando assim os ciclos naturais de morte e renascimento, a continuidade da existência após a morte.

_

Simbolismo Da Pira

Canela: Tem o poder de favorecer a espiritualidade e consegue atrair sorte, sucesso, proteção e amor.

Sálvia: Oferece força, sabedoria, clareza de pensamento e limpa os maus pensamentos.

Mirra: Fortalece e revitaliza o espírito; Atrai paz, proteção e purificação; Acalma medos e incertezas futuras.

Diante da perspectiva da morte, ela era considerada como um símbolo de esperança, de persistência e de transformação de tudo que existe, um sinal da vitória da vida e da inexistência da morte. Seu canto era extremamente doce e triste, por causa da proximidade da morte, sua melancolia influenciava profundamente outros animais, podendo até matá-los.

Origem Africana DA Fênix – Benu

Muitos estudiosos acreditam que a origem do mito não é grega e sim africana, sendo copiado e modificado pelos antigos gregos. O pássaro Benu criou-se a partir de um fogo que ardia no topo de uma árvore sagrada e descansou numa pedra, e foi mais tarde chamado de Fênix pelos gregos. Seu nome significa subir, aumento do brilho ou brilho. Heródoto, pai da história branca, escreveu sobre o pássaro Benu considerando-o como uma apropriação para a estruturação do surgimento da Fênix na mitologia grega. Os gregos copiaram dos egípcios a ideia da Fênix, e os egípcios adoravam Benu, ave sagrada semelhante à cegonha, assim como a Fênix, e que estava ligada aos rituais de adoração do Sol. As duas aves somente representavam o Sol, que morre em chamas toda tarde e emerge a cada manhã.

Fonte: Wikipedia, Wikipédia

_

“Quero ser a Fênix deste meu eterno entender,
Mas não vou esquecer, o que me situou
Foi a simplicidade desta minha alegria de viver
E sorrir quando as lágrimas invadira o que de mim sobrou…
Como a Fênix… Quando todos julgam que estou vencida, derrotada…
Eu ressurjo…Renasço das cinzas e das dores…
Às vezes ferida e machucada, mas cada vez mais forte
e com mais vontade de lutar!”