Existem 9,8 milhões de testes de coronavírus não utilizados no Brasil devido à falta de informações

Quase seis meses após a pandemia de coronavírus declarar estado de emergência, o Ministério da Saúde do Brasil ainda possui 9,8 milhões de testes Covid-19 não utilizados. São quase o dobro dos testes que o governo federal realizou em estados e municípios, conforme documentado em documentos internos do jornal O Estado de S.Paulo.

Este dispositivo de diagnóstico pertence à variedade PT-PCR, o “padrão-ouro” para a identificação do Covid-19, de acordo com a Organização Mundial da Saúde.

A razão pela qual os kits de teste não podem ser usados ​​é devido à falta de informações. As agências estatais dizem que os kits serão inúteis se certos reagentes não forem transferidos. “No início, o Brasil não testou porque não possuía kits. Depois, encontramos, entre outras coisas, falta de tubos e material de extração”, disse Gonzalo Vecina, professor da Universidade de São Paulo. “Tudo o que falta agora é competência”.

A jornalista de dados Aline Gatto Boueri disse que os dados oficiais do Brasil mostram um número excepcionalmente alto de testes positivos: 38%. Esta é a prova de quão pobre o país estava no monitoramento da propagação do vírus.

Existem 9,8 milhões de testes de coronavírus não utilizados no Brasil devido à falta de informações
Existem 9,8 milhões de testes de coronavírus não utilizados no Brasil devido à falta de informações

Argentina e Colômbia – o país mais populoso da América do Sul depois do Brasil – também registraram taxas crescentes de críticas positivas, de acordo com a plataforma de agregação de dados Our World in Data. No entanto, esses dois países implementaram medidas de isolamento social muito mais rigorosas em seu território.

A falta de testes impede o Brasil de monitorar e conter a disseminação do coronavírus. De acordo com o Imperial College de Londres, a taxa de infecção do país aumentou de 1,01 para 1,08 – o que significa que cada 100 pacientes infectados provavelmente contaminam outros 108.