Especial Raul Gil Parte IV – Um Novo Recomeço

Olá amigos do Recreio que sempre nos acompanham… hoje, vamos relembrar brevemente de um período muito difícil na vida do Seu Raul e o começo da volta por cima, tudo isso envolvendo a Rede Record de Televisão.

Até 1987, o nosso homenageado estava apresentando o seu programa todo sábado, nessa época indo das 13h00 até as 17h00, porém a audiência não correspondia, até porque enfrentava concorrência direta e pesada do Chacrinha e do Bolinha.

Porém o programa dele foi exibido até o mês de dezembro, e provavelmente a emissora não renovou o contrato para o ano seguinte. Vale lembrar que a Record nessa época era comandada por Paulo Machado de Carvalho, e estava passando por sérias dificuldades financeiras. Não atoa, para o lugar dele a emissora escalou apenas filmes tapa-furo.

Especial Raul Gil Parte IV – Um Novo RecomeçoEspecial Raul Gil Parte IV – Um Novo Recomeço

Chacrinha, Velho-Guerreiro por excelência, aguentou a batalha até junho de 1988, quando faleceu. Sem Raul Gil e o Velho-Guerreiro, as tardes de sábado ficaram livres para Edson “Bolinha” Cury, que passou a dominar muitas vezes a vice-liderança nas tardes de sábado e a preferência entre os programas de auditório do horário até o seu afastamento em 1994 (essa história contaremos em detalhes em breve aqui no Memórias).

No final de 1989, Paulo Machado de Carvalho (e também Sílvio Santos, que ainda era sócio) venderam a Record para a Igreja Universal do Reino de Deus, história essa que muitos já conhecem. A IURD tomaria posse da Record no ano seguinte, sem muito alarde e com um investimento inicial apenas em séries e jornalismo.

Enquanto isso entre 1989 e 1990, com a direção de Roberto Jorge, Raul Gil foi tentar a sorte na TV Rio (emissora local), mas sem grande repercussão e audiência, numa fase aonde Raul tinha que ir vendendo tudo o que ele tinha conquistado até então para se manter. E essa TV Rio, não muitos anos depois, acabou sendo adquirida e virou a TV Record do Rio de Janeiro.

A sorte mudaria para o Seu Raul a partir de outubro de 1991, pois a Record, agora sob nova direção, recontrataria o Seu Raul. Nessa época, a emissora ainda tinha poucos investimentos e buscava apenas formar a sua rede de televisão. O programa, nessa fase inicial, ficava cinco horas no ar, indo das 14h00 até as 19h00.

Os investimentos eram tão poucos que o programa era apresentado Ao Vivo até 1993. Os quadros nessa época eram basicamente O que é o que é? (ainda com o “robozinho) e o Concurso de Calouros, dessa vez já realizado de uma forma mais séria, numa espécie de concurso de duplas sertanejas, que estavam em evidência no começo dos anos 1990 (inclusive desse concurso em 1993 saíram a dupla Edson e Hudson, ganhadores dessa edição).

Nessa fase da Record, o júri tinha dois jurados fixos: ainda o Jorge Mascarenhas, que até então sempre seguiu o programa Raul Gil em todas as emissoras, e também Marli Marley (guardem esse nome, pois falaremos dela em outras partes).

Em relação a audiência, o programa do seu Raul variava entre 4 e 7 pontos, e acabava sendo a maior audiência da Record juntamente com o Especial Sertanejo (apresentado pelo Marcelo Costa). Além disso, o programa concorria ponto a ponto com o Clube do Bolinha, disputando a preferência entre os programas de auditório do sábado. Posteriormente, o Novo Show de Calouros, pelo SBT, também entraria na disputa.

Na próxima semana, vamos contar a trajetória do seu Raul a partir de 1994, aonde o seu programa sofreria algumas mudanças (tanto técnicas como de conteúdo, com “novos” quadros). Abaixo, uma chamada de 1993 do Programa Raul Gil, do grande canal AGC, em tempos precários da Record. Até a próxima!