Dois meses para o dia das eleições: o que está em jogo?

O que você precisa saber sobre a temporada de eleições hoje. A devastação do Pantanal. E por que você não deveria esperar reformas em 2020?

Contagem regressiva de escolha: 60 dias

Em exatamente dois meses, os brasileiros vão eleger novos prefeitos e vereadores em 5.568 municípios.

Na semana passada explicamos o país planeje realizar eleições seguras durante uma pandemia. Agora vamos explicar o que significa 15 de novembro.

Por que isso importa. Embora os temas das eleições locais sejam locais, essas disputas se tornaram cada vez mais importantes para a política nacional e vão preparar o terreno para as eleições gerais de 2022.

  • Isso não significa que as eleições de 2020 serão uma previsão do que acontecerá em 2022. Na política (especialmente na política brasileira), dois anos provou ser muito tempo.

Como é constituída a mesa eleitoral. O Partido da Social-Democracia (PSDB) é mais fortemente representado nos principais centros e controla 30 das 96 maiores cidades do Brasil. O partido subiu nas eleições locais graças ao crescente sentimento anti-esquerdista entre os eleitores – até o surgimento de Jair Bolsonaro, o PSDB era a principal força conservadora no Brasil.

  • À esquerda, o Partido Trabalhista não governa uma única comunidade entre as 96 primeiras, mas é mais forte em cidades menores e mais pobres.

Bolsonaro. Ao menos publicamente, o presidente Jair Bolsonaro diz que se absterá de participar de disputas municipais. No entanto, seus assessores confirmaram à correspondente de Brasília, Débora Álvares, que o presidente usará seu popularidade recém-descoberta Influência no resultado das eleições em São Paulo (com o maior orçamento do país), no Rio de Janeiro (sua casa eleitoral), além de outros grandes centros urbanos como Porto Alegre (1 milhão de eleitores) e Belo Horizonte (1,9 milhão).

  • No entanto, o presidente “só terá disputas que sabe que pode vencer”, disse um assessor. “Portanto, seu plano é esperar até o ralo para fazer anotações. Dessa forma, ele pode escolher quem tem a melhor chance de vencer.”
  • O objetivo principal de Bolsonaro é usar as eleições para enfraquecer seu inimigo político: o governador de São Paulo, João Doria, o ex-ministro da Justiça Sergio Moro, o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta – e, claro, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seu partido operário. & Nbsp;

Esquerda. O Partido Trabalhista tem muito em jogo nas eleições. Desde as eleições de 2014, o maior partido da esquerda brasileira perdeu apoio em todas as regiões, exceto no Nordeste. “Chegamos ao fundo do poço”, disse o ex-ministro da Justiça Tarso Genro, uma das vozes mais independentes do partido O relatório brasileiro. “O Partido Trabalhista teve seus momentos mais sombrios durante o auge da Operação Lava Jato. No entanto, mostrou que é uma instituição permanente e politicamente forte que pode se esforçar para unir a esquerda.”

  • Uma certa unidade está se formando na esquerda, mas o Partido Trabalhista ainda não está incluído. O Partido Democrático Trabalhista (PDT) e o Partido Socialista Brasileiro (PSB) formaram alianças em 45 cidades de grande e médio porte (incluindo oito capitais). Pode ser um ensaio geral para uma aliança nacional em 2022 que poderia enfraquecer uma chapa presidencial dirigida pelo Partido Trabalhista.
  • Além disso, o partido está mal posicionado em São Paulo – até o candidato radical de esquerda Guilherme Boulos do Partido do Socialismo e Liberdade (PSOL) supera o candidato do partido, Jilmar Tatto.

O drama pantaneiro

Pantanal queima desmatamento
Foto: Mayke Toscano / Secom / MT

O governo federal declarou estado de emergência no estado de Mato Grosso, já que os incêndios florestais continuam destruindo o bioma Pantanal. O governo do vizinho estado de Mato Grosso do Sul também decretou estado de emergência. Até domingo deste ano, 14.500 incêndios foram registrados na região, destruindo 10 por cento de todo o bioma. Uma área maior do que toda a área de Israel foi danificada somente em 2020.

Por que isso importa. O Pantanal é a maior região úmida do mundo e abriga mais de 2.000 espécies de plantas registradas e mais de 1.000 espécies de animais – algumas das quais só existem lá.

  • A região também possui uma das principais bacias sul-americanas. “A região tem uma capacidade enorme de absorção de carbono, o que a torna ainda mais importante no contexto das mudanças climáticas”, afirma Geraldo Damasceno Jr., professor do Instituto de Biologia da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Causas. Além do desmatamento desenfreado, a região sofreu um dos piores períodos de seca. O nível da água em junho – o pico da estação chuvosa – foi o mais baixo em 47 anos.

Turismo. Os incêndios também afetarão a indústria do turismo, que já foi atingida pela pandemia. E o turismo no Pantanal não tem apenas importância econômica, era também uma forma de preservação da vida selvagem. Um exemplo é o Parque Estadual Encontro das Águas, uma reserva onde as onças-pintadas são protegidas. Cerca de 62% do parque já foi queimado.

Despesas. Apesar do aumento nas taxas de desmatamento, o Ministério do Meio Ambiente cortou recursos destinados a agências de conservação.

pantanal
Foto: Lucas Ninno / TBR

Sem tempo para reformas em 2020

Chefes de governo no Congresso anunciaram a ideia de que é possível aprovar reformas importantes para o mercado em 2020. Mas a história diz o contrário. De acordo com um estude De acordo com o think tank Metapolítica, o prazo médio para a aprovação legislativa das emendas constitucionais não é inferior a 246 dias. Em anos eleitorais como 2020, leva ainda mais tempo: 327 dias.

Por que isso importa. Como foi o caso no ano passado, muitas das projeções sobre o andamento das mudanças no Congresso parecem ser o resultado de ilusões, e não de análises reais.

Por que é tão difícil? As emendas constitucionais exigem uma maioria de 60 por cento e devem passar por dois turnos de votação em ambas as câmaras do Congresso. Em um sistema tão fragmentado como o brasileiro, muitas negociações são necessárias. E as negociações não foram exatamente a força deste governo.

  • Além disso, a reforma previdenciária de 2019 foi aprovada de forma relativamente rápida. Mas tem sido muito mais amigável entre as elites políticas do que uma reforma tributária que irá antagonizar muitos interesses conflitantes ou uma reforma do serviço público que irritará um dos lobbies mais fortes em Brasília.

O que mais você precisa saber hoje?

  • Enquanto isso, não mais. Nos últimos quatro meses, o general do Exército Eduardo Pazuello foi ministro interino da Saúde do Brasil – mas na quarta-feira o rótulo provisório será removido de seu cargo. Seu mandato foi duramente criticado por especialistas que denunciaram sua má gestão dos fundos do Ministério. Ele também foi criticado por aprovar a compra de cloroquina pelo governo Droga contra a malária apregoada pelo presidente Jair Bolsonaro como uma “possível cura” para Covid-19, mas sem benefícios comprovados.
  • Covid19. O coronavírus já matou 132.000 brasileiros até agora. Estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) afirma que a pandemia – evento mais mortal da história do país – reduziu a expectativa de vida dos homens brasileiros de 72,5 para 71,5 anos. Os homens representam quase dois terços das vítimas do Covid-19 no Brasil. Ana Amélia Camarano, economista que conduziu o estudo, diz que os efeitos não foram maiores, já que 75% dos que morreram tinham 60 anos ou mais.
  • Vacina. Os ensaios de fase 3 de uma vacina potencial contra o coronavírus desenvolvida pela Universidade de Oxford em colaboração com a empresa farmacêutica anglo-sueca AstraZeneca dobrará o número de voluntários brasileiros para 10.000. “Com mais voluntários, aumentamos as chances de provar a eficácia da vacina mais cedo”, disse Sue Ann Costa Clements, que coordena os testes no Brasil. O estudo foi suspenso na semana passada depois que um paciente do Reino Unido mostrou efeitos colaterais da vacina, mas foi retomado na segunda-feira.
  • Lava-jato. A promotoria trouxe novas acusações de lavagem de dinheiro contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele é acusado de aceitar propina da assembléia da Odebrecht em troca de pesados ​​contratos governamentais. Lula acusou a Operação Lava Jato de realizar uma caça às bruxas contra ele e disse que a investigação estava usando “métodos ilegais” para atingir fins políticos.
  • Rio de Janeiro. O promotor federal acusou Wilson Witzel, o suspenso governador do rio, sua esposa Helena e outras dez pessoas por associação criminosa. O grupo supostamente Fundos desviados originalmente destinados à luta contra o coronavírus no Estado. Witzel nega qualquer irregularidade e disse que a acusação foi uma manobra política. Na próxima semana, os legisladores estaduais votarão sobre a continuação do processo de impeachment contra o governador suspenso.

Leia a história completa AGORA!

Comece seu teste de 7 dias

cadastro

Inscrever-se para

The Post Dois meses para o dia da eleição: O que está em jogo apareceu pela primeira vez na reportagem brasileira.