De simplicidade e tradição à modernidade – O sertanejo e sua evolução (e um pouco de country)

Já devem ter percebido que hoje o No Tom está mais caipira do que nunca. Pois bem, hoje falaremos um pouco da Música Sertanejo e também um pouco do Country Music, inclusive como esses dois gêneros surgiram.

Embora a primeira música sertaneja que se tenha registro seja de 1929, com Cornélio Pires, esse estilo musical só veio a ser ter destaque mais amplo a partir do momento em o Brasil inicia seu processo de urbanização, lá pelos anos 40. E assim se despontam as canções de letra bucólica e melancólica, destacando a saudade do eu lírico pela simplicidade da vida no campo. As letras também descreviam a figura do sertanejo “forçado” a deixar sua terra rumo ao grandes centros urbanos. E claro, da viola caipira, instrumento que se tornou o grande símbolo do sertanejo, era indispensável naquela época.

De simplicidade e tradição à modernidade – O sertanejo e sua evolução (e um pouco de country)
De simplicidade e tradição à modernidade – O sertanejo e sua evolução (e um pouco de country)

Veja a seguir um trecho da letra da canção Adeus Campina Da Serra, composta por Raul Torres e Cornélio Pires, e interpretada por Tonico e Tinoco.

Adeus Campina da Serra

Tonico e Tinoco

Campina da Serra, lugar que fui morador
O meu leal coração, muitas delicias gozou
No prazo de pouco tempo o meu gosto se acabou
Despediu e foi embora quem nesta terra morou

A minha rosa dobrada, desta terra retirou
Deu o vento na roseira, minha rosa desfolhou
Quando a rosa despediu, a roseira desmaiou
De paixão e sentimento, os passarinho chorou (…)

E expressar aquela saudade através da música talvez tenha sido uma maneira de reviver, documentar e eternizar tudo aquilo que foi deixa para trás, no campo. E tanto esse trecho de Adeus Campina da Serra quanto a primeira música deste poste foram escolhidos justamente por retratar bem isso, na qual a letra é dotada de uma gigante carga melancólica além de possuir um forte apelo ao rural.

Portanto, cada vez que nos lembrarmos do sertanejo de raiz, o que primeiro deve vir a nossa mente é essa necessidade de exaltar a vida simples rural, e que foi deixada para trás com a crescente urbanização do Brasil no século XX.

Nomes importantes do sertanejo clássico (ou de raiz)

A grande dupla Tonico & Tinoco, embora já cantasse desde os anos 30, só teve seu estouro após os anos 40, depois de terem sido “arrancados” de sua terra. Tião Carreiro & Pardinho, outra dupla importante, deu início aos seus trabalhos nos anos 50. Já o disco mais famoso da grande Inezita Barroso, Moda Da Pinga, foi lançado em 1953. E de para cá, cantores mais novos, como Sérgio Reis e Almir Sater, se inspiraram neles e optaram por preservar as raízes do sertanejo.

Tião Carreiro e Pardinho (Rei do Gado), Chico Rei e Paraná (Canarinho Prisioneiro), Sergio Reis (O Menino Da Porteira), Tonico e Tinoco (Beijinho Doce), Almir Sater (Tocando Em Frente), Chitãozinho & Xororó (Racho Fundo), Rolando Boldrini (Fogão de Lenha), entre outros.

Tocando Em Frente – Almir Sater

Não é difícil perceber que os grandes intérpretes do sertanejo clássico passam muito mais sinceridade ao cantar que a maioria dos cantores da geração atual. Além disso, notamos com mais freqüência que os cantores compunham ou participavam mais da composição das próprias músicas, dando assim mais legitimidade aos sentimentos que eram passados através delas.

Ramificações

Atualmente o que faz grande sucesso são as versões mais modernas desse gênero, com ritmo mais agitado e letra que já não remetia tanto ao rural, como o Sertanejo Universitário e a versão que junta funk e sertanejo, denominada Funknejo. Tais ramificações são fortemente criticadas pelos mais conservadores. E isso com toda razão, já que nelas o sertanejo perde quase toda sua essência, chegando, às vezes, a não possuir nenhum elemento em sua composição que lembre a verdadeira música caipira.

Imagem da dupla de sertanejo universitário, Vitor & Leo

Outra coisa que notamos nessa nova geração, é que grande parte de seus sucessos não são duradouros, muitas vezes vem uma explosão na carreira do cantor ou dupla e logo esse sucesso se desfaz. Ou seja, ele é momentâneo e deixa o artista com o famoso título de “One-hit wonder” (Artista de um só sucesso).

Abaixo estão alguns dos representantes das versões mais modernas.

Dupla Vitor & Leo, Luan Santana, Michel Teló, Jorge e Mateus, Maria Cecília & Rodolfo, entre outros.

O sertanejo também já atravessou eras mais melosas. E como exemplo disso, podemos citar as duplas: Leandro & Leonardo e Zezé de Camargo & Luciano.

O Country

O Country Music é um estilo musical norte americano que nasceu em torno dos anos 20. Influenciado pelo Blues, o Country se assemelha muito ao nosso sertanejo. E nele, o som da guitarra country é indispensável. Cantores caracterizados de cowboy também é frequente.

Enfim, podemos dizer que o country é uma versão americana do sertanejo. E como exemplos de cantores ou bandas country podem citar: Kenny Rogers (The Gambler), Alan Jackson (Livin’ On Love), Shania Twain (You’re Still The One), LeAn Rimes (Blue), Faith Hill (Breathe), Luke Bryan ( I See You) e o trio Dixie Chick (Not Ready To Make Nice).

You’re Still The One – Shania Twain