Dados de varejo melhores do que o esperado estão alimentando o otimismo do mercado

As vendas no varejo no Brasil aumentaram 3,4 por cento em agosto, o quarto mês positivo consecutivo, de acordo com a Associação Nacional do Comércio. Os novos números levaram a organização a revisar sua previsão de 2020 para o setor de uma queda de 5,7 para uma queda mais moderada de 4,2 por cento.

Sem as vendas de automóveis e materiais de construção, o desempenho do varejo em 2020 seria 2,1 por cento acima dos níveis de 2019.

Os números de agosto quebraram o recorde de outubro de 2014, o que significa que o setor está apenas 0,9% abaixo do acumulado no ano. Dados oficiais mostraram uma rápida recuperação em itens não essenciais, como têxteis e vestuário, 30% a mais que em julho.

Segundo a Associação Nacional de Comércio, a recuperação pode ser explicada pelo programa de ajuda emergencial do governo, que sustentou o poder de compra do Brasil apesar do aumento do desemprego. No entanto, eles indicam que o crescimento mensal deve desacelerar no próximo mês em relação ao ritmo atual.

Dados de varejo melhores do que o esperado estão alimentando o otimismo do mercado
Dados de varejo melhores do que o esperado estão alimentando o otimismo do mercado
Apoie este relatório →
Apoie este relatório →