Covid-19 torna a vida ainda mais difícil para estagiários brasileiros

Antes da pandemia Covid-19 atingir o Brasil, a situação dos jovens profissionais que ingressavam no mercado de trabalho estava longe da ideal. Depois de emergir daquela que foi então a pior recessão da história do Brasil, o país lutou com taxas de desemprego de dois dígitos e um número crescente de trabalhadores informais não registrados. A crise do coronavírus piorou essas perspectivas e, ao mesmo tempo, cortou uma das oportunidades iniciais mais comuns nas carreiras profissionais: os estágios remunerados.

O Centro de Integração Empresarial e Escolar de São Paulo (CIEE São Paulo), organização sem fins lucrativos voltada para o estágio de estudantes, constatou que um

As vagas de emprego para estágios caíram quase 36% no primeiro semestre de 2020. Ao analisar os dados de uma perspectiva regional, o colapso de oportunidades na região Centro-Oeste brasileira foi de 42%.

Uma recuperação preliminar está em andamento desde então, mas os resultados de agosto devem permanecer 40% abaixo dos níveis pré-pandêmicos, de acordo com Marcelo Gallo, superintendente de operações nacionais do CIEE. “Vimos uma recuperação desde junho, mas Não será em forma de V“Diz o Sr. Gallo.

Covid-19 torna a vida ainda mais difícil para estagiários brasileiros
Covid-19 torna a vida ainda mais difícil para estagiários brasileiros

Como explicamos mais adiante O relatório brasileiroEsses números confirmam a hipótese de que o Covid-19 é um geração perdida no brasil. & nbsp;

Efeitos no mercado de trabalho

Os estágios são principalmente um passo inicial importante na carreira, mas também servem como oportunidades de ensino e networking para jovens profissionais, o que significa que a perda desses cargos pode levar a um crescimento atrofiado na carreira no mercado de trabalho. O Sr. Gallo também aponta que a falta de disponibilidade de estágio pode atrasar a formatura, visto que os alunos abandonam temporariamente o treinamento até que as vagas sejam disponibilizadas.

Para empresas de educação, isso pode ser um grande negócio. A Kroton, uma das maiores empresas universitárias privadas do Brasil, aumentou sua taxa de evasão de 6,8 por cento no segundo trimestre de 2019 para 8,1 por cento no ano seguinte. O Grupo Cogna, Krotons Holding, encerrou o segundo trimestre com perdas de 140 milhões de reaisIsso corresponde a uma diminuição de 152 por cento em comparação com os resultados de 2019.

Além disso, esses programas atuam como importantes fontes de renda no Brasil. Um estudo recente do CIEE com mais de 17.000 estudantes brasileiros descobriu que dois terços contribuem para a renda familiar com o pagamento do estágio, que é em média cerca de R $ 700 ($ 130) por mês – cerca de dois terços do salário mínimo nacional. Os alunos usam esse dinheiro para pagar as mensalidades, transporte e refeições.

De acordo com a legislação brasileira, os alunos podem trabalhar até 30 horas semanais em contratos de estágio remunerado, que podem durar até dois anos. Embora os estágios sejam regulamentados por lei, eles não são classificados como empregos formais, o que significa que os alunos não têm direito a funcionários & # 8217; Benefícios normalmente encontrados em contratos registrados. Como resultado, as empresas não precisam pagar verbas rescisórias de estágio ou taxas de seguridade social sobre seus salários, levando muitas empresas a preferir programas de estágio como forma de mão de obra barata.

Transição para um novo normal

Para Gallo, a disponibilidade de estágios deve aumentar à medida que a economia se recupera, o que ele precisa para distribuir uma vacina eficaz contra Covid-19. Como a ascensão do trabalho remoto parece uma tendência permanente, o modelo dos programas de estágio precisa ser ajustado.

“Acreditamos que o melhor modelo de trabalho do estagiário é um modelo híbrido com atividades remotas e pessoais para que possam interagir com colegas e supervisores, pois essa relação social é importante para o seu desenvolvimento profissional”, observa Gallo.

Os legisladores também estão tentando consertar as perdas de desenvolvimento causadas pela Covid-19. Os senadores Mara Gabrilli e Rodrigo Cunha anunciaram recentemente sugeriu uma conta Prorrogar os contratos de estágio de dois para três anos enquanto a emergência de saúde pública continuar.

“Muitos jovens perderão quase um ano de suas vidas. É justo que os prazos sejam estendidos para que eles possam se recuperar das perdas e voltar à vida normal ”, escreveram os senadores.

Leia a história completa AGORA!

Comece seu teste de 7 dias

cadastro

Inscrever-se para