Covid-19 é o evento mais mortal da história brasileira recente

Nesta semana, o Brasil superou 50.000 mortes por coronavírus, além de mais de 1 milhão de infecções. O Covid-19, chamado de “pouca gripe” pelo presidente Jair Bolsonaro, matou mais brasileiros em apenas 90 dias do que qualquer outro evento da história brasileira recente.

A gripe espanhola matou 35.000 brasileiros há um século. Epidemias como o HIV-AIDS já mataram 48.000 pessoas no país. O número de mortes por coronavírus chegou a superar o da guerra da Tríplice Aliança, o conflito mais sangrento da história brasileira, no qual 50.000 brasileiros foram mortos entre 1864 e 1870.

Com exceção dos horrores da colonização e da escravidão, cuja morte nunca teremos certeza, o Covid-19 é agora o evento individual mais mortal da história brasileira.

Para agravar ainda mais essa tragédia, quase todos os especialistas dizem que o número real de infecções e mortes é significativamente maior que o número oficial, devido à falta de testes e ao fato de vários estados brasileiros estarem tentando esconder seus números. As cidades mais afetadas do país também estão reabrindo.

Covid-19 é o evento mais mortal da história brasileira recenteCovid-19 é o evento mais mortal da história brasileira recente

No entanto, a extensão dessa tragédia era evitável. Mesmo sendo extremamente difícil lidar com essa crise em um país tão grande e desigual como o Brasil, o governo de Jair Bolsonaro fez quase todo o possível para piorar a situação. O presidente rejeitou as diretrizes estabelecidas por seu próprio ministério da saúde e demitiu dois ministros da saúde (o departamento ainda é temporariamente chefiado por um general do exército sem formação médica). Bolsonaro também instigou uma revolta contra estadias em casa e promoveu drogas não comprovadas como “possíveis remédios”.

Em todo o mundo, o Covid-19 já matou mais de 462.000 pessoas e infectou mais de 8,6 milhões. No entanto, a crise não tem fim à vista.

Apoie este relatório →Apoie este relatório →