Cientistas dizem que proteger o meio ambiente é fundamental para combater o Covid-19

A proteção dos espaços verdes no Brasil é crucial para impedir a disseminação do Covid-19 no país. Segundo cientistas do jornal O Globo, duas espécies de aves e dois morcegos que carregam o novo vírus corona já foram identificados na Mata Atlântica. Se o desmatamento – que cresceu 27,2% em 2020 – continua aumentando na região, são maiores as chances de o contato com os centros urbanos aumentar. O vírus pode ser facilmente transmitido aos seres humanos.

Estima-se que 90% das doenças infecciosas do mundo tenham sido transmitidas da vida selvagem aos seres humanos devido à destruição de seus habitats naturais. Com a maior biodiversidade do mundo, o risco para o Brasil é ainda maior. Estima-se que 15% das espécies de morcegos do mundo sejam encontradas no país.

“Eles são mantidos em segurança na floresta”, disse Edison Durigon, pesquisador do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (USP), ao O Globo, acrescentando que “o desmatamento e a caça são doenças”.

Ontem, este blog ao vivo informou que o Covid-19 afetou não apenas aqueles que vivem na bacia amazônica, não apenas no Brasil, mas também na Colômbia, Bolívia e Equador. Os pesquisadores dizem que a rica biodiversidade da região pode levar a novas doenças, mas a situação na Mata Atlântica é preocupante devido à sua proximidade com centros urbanos e altos níveis de desmatamento.

Cientistas dizem que proteger o meio ambiente é fundamental para combater o Covid-19Cientistas dizem que proteger o meio ambiente é fundamental para combater o Covid-19
Apoie este relatório →Apoie este relatório →