Brasileiros estão deixando de comprar imóveis e investindo em fundos imobiliários

Para gerações de brasileiros que cresceram sob a perspectiva de uma inflação disparada e da perda de contas de poupança na década de 1980, comprar um imóvel para alugar em seus anos dourados tem sido visto como o destino final da aposentadoria.

Avanço rápido para 2020 e a perspectiva de uma economia muito mais estável do que na turbulenta década de 1980 e as taxas de juros básicas mais baixas já colocaram os brasileiros no sonho de se tornarem magnatas do mercado imobiliário de volta aos trilhos. Como resultado, os fundos mútuos imobiliários brasileiros (FII, em português) estão prosperando.

O número de investidores nesses ativos aumentou de 121.000 em dezembro de 2017 para mais de um milhão em agosto de 2020 – e 99% deles são investidores privados, de acordo com a bolsa B3. Esse crescimento vertiginoso chamou a atenção dos principais participantes e, no final de setembro, a Brokerage XP realizou seu primeiro FII Summit – uma conferência digital com alguns dos maiores gestores de fundos para discutir as perspectivas de mercado para esses ativos.

Juliana Pedroza, Chefe de Relações com Investidores da Habitat Capital Partners, atribui essa incrível popularidade a uma combinação de fatores: As taxas de política mais baixas da história chamaram a atenção para ativos de renda variável (como FIIs), auxiliadas pela crescente disponibilidade de Informações sobre novos produtos financeiros.

Brasileiros estão deixando de comprar imóveis e investindo em fundos imobiliários
Brasileiros estão deixando de comprar imóveis e investindo em fundos imobiliários

Os FIIs também permitem que os investidores se tornem ativos no Mercado imobiliário Você gasta menos dinheiro do que gastaria para comprar um imóvel – sem ter que se preocupar com a administração de uma casa ou contratos de aluguel – e terá acesso a um portfólio muito mais diversificado.

“O brasileiro adora investir em imóveis, é uma tradição histórica. Os FIIs são uma evolução dessa forma de investir”, afirmou. O relatório brasileiro. & nbsp;

Investir no mercado imobiliário: uma mudança de mentalidade

Embora os FIIs sejam uma maneira fácil de investir em imóveis, é muito diferente de possuir uma casa ou um imóvel comercial. Primeiro, existem vários tipos de fundos: fundos que possuem ou administram imóveis e geram receita de aluguel, fundos que investem em empresas imobiliárias e títulos e fundos que investem em outros fundos. Em segundo lugar, são ativos de renda variável.

Este último é provavelmente o conceito mais difícil de definir para os recém-chegados, já que grande parte do apelo dos FIIs é que eles são conhecidos por pagar dividendos mensais sem imposto de renda – uma prática de mercado que muitos investidores acreditam estar a par da constante Receita de aluguel que os objetos de arrendamento podem fornecer. & nbsp;

“Quando você possui um imóvel, os corretores imobiliários não vão bater à sua porta todos os dias para lhe dizer o valor de mercado da casa. Mas você pode consultar o valor de um FII e isso é assustador. Alguns investidores se sentem desconfortáveis ​​com uma perda de 30 por cento, como fizemos isso no auge da crise ”, explica a Sra. Pedroza.

A crise da Covid-19 afetou o FII de maneiras diferentes. Embora o índice de referência desses fundos tenha caído 12,8 por cento no total este ano, os fundos voltados para shopping centers sofreram um golpe ainda mais forte, como se vê no exemplo do General Shopping e Outlets do Fundo de Investimento Imobiliário FII brasileiro A queda foi de 45% desde a última vez em que foi vista no ano passado.

Para a Sra. Pedroza, a necessidade de um portfólio diversificado é uma grande lição da crise. “A grande vantagem dos FIIs é que eles podem ser posicionados em vários tipos de ativos. Mas você precisa de informações, os investidores precisam saber que eles podem até obter um retorno negativo. “

Espaço para crescer

Apesar da incrível expansão nos últimos anos, os FIIs ainda têm muito potencial de crescimento. A capitalização de mercado dos FIIs no Brasil chega a R $ 103 bilhões ($ 18,5 bilhões), mas os REITs correspondentes nos Estados Unidos estão avaliados em $ 1,17 trilhão no total.

A Sra. Pedroza acredita que o mercado brasileiro é capaz de absorver a oferta de novos produtos e que os recursos podem ser recuperados com a reabertura da economia e a retomada das empresas.

Outra oportunidade parece residir em ativos que se concentram em investimentos responsáveis ​​e princípios ambientais, sociais e de governança (ESG). A partir de agosto, o Brasil recebeu seu primeiro fundo desse tipo, o FII Biotic, que vai investir em um centro de startups na capital, Brasília. O fundo visa levantar capital para um centro de tecnologia na cidade. De acordo com No jornal O Estado de S.Paulo, a primeira rodada de doações está prevista para este ano e tem como objetivo arrecadar até R $ 2 bilhões de um total de R $ 5 bilhões.

“[ESG funds] tendem a crescer nos próximos dois a três anos e há recursos disponíveis para isso, mas agora precisamos desenvolver os ativos para os fundos investirmos ”, disse a Sra. Pedroza.

Leia a história completa AGORA!

Comece seu teste de 7 dias

Conecte-se

Inscrever-se para