Brasil perderá 1,2 milhão de empregos no primeiro semestre de 2020

De acordo com o Registro Geral de Empregados e Desempregados do Brasil (preso), um total de 1,2 empregos formais foram perdidos no primeiro semestre de 2020. Este é o pior resultado para o período da série histórica do Ministério do Comércio, iniciada em 2010.

Para comparação: no primeiro semestre de 2019, o saldo de empregos foi positivo: o Brasil criou 408.000 novos empregos formais. A Caged é considerada uma das melhores medidas no mercado de trabalho do país, com 6.718.276 novas contratações e 7.916.639 demissões relatadas entre janeiro e final de junho.

Quão O relatório brasileiro mostrou que a pandemia de coronavírus levará o Brasil a um apocalipse de trabalho. Mesmo as previsões mais conservadoras – como a da Instituição Fiscal Independente (IFI) do Senado Brasileiro – dizem que a taxa de desemprego pode chegar a 14,2% até o final de 2020, depois de ter atingido 11,9% no ano passado.

Com previsões mais pessimistas, o desemprego sobe para 17%. Atualmente, esse aumento do desemprego está aumentando a informalidade, o que pode ser observado em toda a região: a Organização Internacional do Trabalho (OIT) informou que a América Latina perdeu 47 milhões de empregos entre janeiro e julho deste ano.

Brasil perderá 1,2 milhão de empregos no primeiro semestre de 2020Brasil perderá 1,2 milhão de empregos no primeiro semestre de 2020


Apoie este relatório →Apoie este relatório →