Bolsonaro faz da Suprema Corte a primeira escolha

Esta semana é a primeira candidata a uma posição no Supremo Tribunal Federal. A proposta do governo para um novo imposto. A dependência excessiva do Brasil de caminhões continua.

Quem Jair Bolsonaro nomeará para a Suprema Corte?

Na sexta-feira, o ministro do Supremo Tribunal Federal Celso de Mello anunciou que se aposentaria no dia 13 de outubro.

Após assumir o cargo em agosto de 1989, o mandato mais longo de todos na mais alta corte no Brasil terminou. O juiz Mello deveria se aposentar em 1º de novembro – quando atingiu a idade de aposentadoria compulsória de 75 anos – e sua decisão de adiantar 19 dias não foi uma decisão trivial, segundo a correspondente em Brasília, Débora Álvares.

  • O juiz Mello está conduzindo uma investigação sobre o presidente Jair Bolsonaro, e quando ele se aposentar, todos os seus casos serão normalmente entregues ao seu sucessor … que será nomeado pelo presidente Jair Bolsonaro. Segundo fontes do Supremo Tribunal Federal, a aposentadoria antecipada do ministro Mello pressionou o presidente Luiz Fux a tirar a sorte para determinar quem vai assumir a investigação.
  • Mesmo assim, funcionários do governo saudaram o anúncio de renúncia, já que Celso de Mello é um dos membros da Suprema Corte que mais se manifestou contra o governo Bolsonaro. No início deste ano, o ministro Mello comparou a atual situação política do Brasil com a O colapso da República de Weimar na Alemanha, quando Adolf Hitler se tornou chanceler.

Por que isso importa. A renúncia do juiz Mello dará a Bolsonaro sua primeira nomeação para a Suprema Corte.

Corredor da frente. Em maio de 2019, o Sr. Bolsonaro tornou-se anunciado Ele indicaria o então ministro da Justiça, Sérgio Moro, para preencher a primeira vaga do tribunal. Esta ponte foi queimada depois que o Sr. Moro deixou o governo acusa o presidente de transgressão. Débora Álvares analisa os principais candidatos à instância máxima do país.

  • Ives Gandra Filho. O religioso Gandra Filho, membro do Tribunal Superior do Trabalho, é um dos favoritos entre os assessores militares de Jair Bolsonaro. Ele é considerado um homem “incorruptível”, que doa metade do seu salário para instituições de caridade e mora em um quartinho de uma paróquia em Brasília. Seu pai disse recentemente O presidente Bolsonaro tem uma opção “legal” para realizar um golpe militarquando ele deturpou um artigo da constituição brasileira.
  • Jorge Oliveira. Se a escolha for feita entre os filhos de Bolsonaro, ela irá para o atual Secretário-Geral – a quem Bolsonaro chama Jorginho (“Pequeno Jorge”). Advogado e policial militar aposentado, Oliveira trabalha para os Bolsonaros há mais de 20 anos e mantém relacionamento pessoal com a família do presidente.
  • André Mendonça. O atual Ministro da Justiça é um respeitado acadêmico jurídico com mais de 20 anos de experiência no gabinete do Procurador-Geral. Ele marcava a caixa “Sejaextremamente evangélico“O que o Sr. Bolsonaro disse será um requisito para ser nomeado para o Supremo Tribunal. Além disso, as ações do Sr. Mendonça como Ministro da Justiça mostraram lealdade ao Presidente – incluindo atos que têm sido amplamente contestados por juristas, como a criação de um Dossiê secreto com informações sobre quase 600 policiais e policiais monitorados por serem autoproclamados “antifascistas”.
  • Outras dicas possíveis. O procurador-geral Augusto Aras e João Otávio Noronha, membro do Supremo Tribunal Federal (segunda maior autoridade judiciária do Brasil), também são polêmicos – embora externamente. O senhor se distinguiu perante o presidente ao se dobrar para agradar ao senhor deputado Bolsonaro nas suas decisões jurídicas. Observadores dizem que esta é uma tentativa de fazer um teste para uma vaga na Suprema Corte.

Consequência. Além da cadeira de Celso de Mello, Jair Bolsonaro receberá pelo menos outra indicação para o Supremo Tribunal Federal antes do fim do mandato – já que o juiz Marco Aurélio Mello se aposentará no ano que vem. Se ele ganhar a reeleição em 2022, Bolsonaro terá mais dois assentos para preencher, o que significa que ele poderia ter quatro nomeações de um total de 11 juízes.


O plano de reforma tributária do governo

Após semanas de negociações, o governo Bolsonaro apresentará ao Congresso sua segunda proposta de reforma do sistema tributário brasileiro, que supostamente incluirá a criação de um novo imposto. De acordo com o Ministério de Assuntos Econômicos, um novo imposto de 0,2% sobre transações financeiras é a única maneira de o governo poder sobreviver em 2021. Em troca, o governo propõe reduzir os impostos sobre os salários.

  • Esta necessidade de maior receita torna-se ainda mais urgente à medida que o presidente Jair Bolsonaro lidera a criação de um novo programa de bem-estar para substituir o salário de emergência por coronavírus definido para expirar em dezembro. & nbsp;

Por que isso importa. A ajuda de emergência teve um impacto muito positivo nos índices de aprovação de Bolsonaro (veja abaixo). No entanto, o governo com problemas financeiros ainda está lutando para estruturar um novo programa para 2021 e além.

  • O novo imposto do governo é uma nova versão do CPMF – um imposto sobre transações financeiras aplicado entre 1997 e 2007. Os brasileiros detestam essa taxa – e o fato de 2020 ser um ano eleitoral dificulta a venda do Congresso.
  • O presidente Jair Bolsonaro assinou o novo imposto – desde que o Ministério da Economia encontre uma maneira de evitar prejudicar sua imagem pública.

Maia. O governo espera que a vaidade do porta-voz da casa, Rodrigo Maia, possa trabalhar a seu favor. Após o sucesso da reforma da previdência de 2019, Maia quer entrar para a história como o porta-voz que, em tantos anos, conseguiu aprovar duas grandes reformas. Mas Maia, que está considerando se candidatar a governador no Rio de Janeiro em 2022, pode não estar muito interessado em adicionar seu nome a um imposto tão difamado.

  • De acordo com fontes no Congresso, Maia provavelmente endossará outro projeto de reforma tributária em discussão na Câmara. Esta proposta combinará vários impostos federais e estaduais em um único imposto sobre valor agregado.

Calendário. Não espere grandes reformas em 2020. A atividade na Câmara diminuirá à medida que os membros participam de campanhas eleitorais locais. E reformas polêmicas geralmente levam meses, mesmo no melhor dos casos.


Mercados

Os preços das ações dos bancos globais caíram na semana passada, depois que uma investigação jornalística descobriu que grandes instituições haviam manipulado intencionalmente dinheiro sujo de até US $ 2 trilhões durante anos. No Brasil, porém, os preços das ações dos bancos subiram. Os analistas estão particularmente interessados ​​no Banco do Brasil, controlado pelo Estado, que viu seus lucros subirem nos últimos anos, bem como em uma carteira conservadora que foca em empréstimos para salários e salários e agronegócios, e grandes reservas no caso as taxas de criminalidade estão aumentando.

Natália Scalzaretto


Transporte rodoviário ainda é um grande gargalo para o Brasil

1 novo estudo O Ministério da Infraestrutura mostra que grande parte do etanol, biodiesel e querosene de aviação produzidos no Brasil ainda são transportados por rodovias. Por causa disso, uma greve de onze dias de caminhoneiros em 2018 quase levou o país à paralisação e resultou em escassez de combustível em vários estados. Desde 2016, o governo federal tenta mapear gargalos e oportunidades no transporte de cargas para estruturar o setor por meio de rotas populares de frete e determinar onde investimentos são necessários – e como um risco pode ser evitado.


olhando para frente

  • Desemprego. Na terça-feira, o Ministério da Economia publicará os dados oficiais de emprego de agosto. Na quarta-feira, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística divulgou a taxa oficial de desemprego até julho. Os dados do governo mostraram um saldo positivo entre o recrutamento formal e as dispensas em julho, mas os analistas estão cautelosos sobre tratar os dados como um sinal de recuperação. As taxas de desemprego aumentam à medida que os brasileiros começam a sair do isolamento social – e milhões agora caem em outra categoria: trabalhadores desanimados; H. Quando as pessoas param de procurar emprego porque acham que não vão encontrar.
  • Eleição de 2020. Embora votar seja obrigatório no Brasil, os eleitores podem ignorar seu dever se justificarem sua ausência nas eleições – ou pagar uma multa inferior a US $ 1. Desde o retorno da democracia em 1985, as taxas de abstenção aumentaram de uma eleição para outra, e pesquisas recentes sugerem que a participação eleitoral pode ser historicamente baixo em 2020como resultado da pandemia. Pesquisador Datafolha diz 34 por cento dos eleitores em São Paulo Não se sinta seguro em sair Além disso, não existe um sistema de votação por correspondência no Brasil como os EUA ou nenhum sistema de votação por procuração como a França.
  • Coronavírus. Três semanas após o Dia da Independência, em 7 de setembro, o Rio de Janeiro viu um aumento nas taxas de ocupação da UTI, que agora são 87% – quase 10 pontos percentuais acima do nível de julho. Especialistas afirmam que a inclusão de pacientes com casos graves de Covid-19 na admissão pode estar ligada ao abrandamento do distanciamento social que foi observado durante as férias e que milhares de pessoas migram para praias, bares e restaurantes.

Caso você tenha perdido

  • Bolsonaro. Uma nova pesquisa do Ibope mostra que 40 por cento dos brasileiros Acho que Jair Bolsonaro está fazendo um bom ou ótimo trabalho como presidente. Bolsonaro estava ganhando força entre os eleitores mais pobres e menos instruídos, sugerindo que o salário de emergência de R $ 600 (US $ 107) do coronavírus o tornou mais popular. No entanto, as entrevistas foram realizadas Em frente O benefício foi reduzido pela metade para R $ 300.
  • Economia. De acordo com estudo preliminar do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (IBRE-FGV), muitos setores industriais voltaram a ficar otimistas com a economia brasileira. “Esse otimismo sinaliza que os setores produtivos podem impulsionar a produção”, escreve a economista Renata Mello Franco.
  • Limites. O governo brasileiro suspendeu as restrições à entrada de estrangeiros em todos os aeroportos do país, revogando uma regra de março que proibia o fluxo de turistas para seis estados. Há uma restrição de 30 dias para a entrada de estrangeiros por via terrestre e fluvial. No entanto, os cidadãos venezuelanos recebem uma isenção por motivos humanitários.
  • UN. Discurso de Jair Bolsonaro à Assembleia Geral das Nações Unidas tentou desviar a responsabilidade para a crise ambiental brasileira e a pandemia do coronavírus. O presidente atingiu as comunidades indígenas, “falsos” interesses internacionais e organizações “não patrióticas” para “campanha de difamação brutal”Contra o Brasil – Rejeição de dados oficiais que mostram um aumento maciço de incêndios e desmatamento desde que ele assumiu o cargo.
  • Rio. Na quarta-feira avançou o Congresso do Estado do Rio de Janeiro Processo de impeachment contra o governador Wilson Witzel, que é acusado de desvio de fundos destinados aos esforços anti-coronavírus do estado. Um dia depois, um tribunal eleitoral declarou o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, inadmissível por tomar posse por crimes eleitorais. No entanto, o Sr. Crivella pode se candidatar à reeleição em novembro, já que o caso pode ser arrastado por vários recursos.

Leia a história completa AGORA!

Comece seu teste de 7 dias

Conecte-se

Inscrever-se para

A contribuição de Bolsonaro para a primeira eleição do Supremo Tribunal Federal apareceu pela primeira vez no relatório brasileiro.