Apenas 15% dos profissionais de saúde se sentem “prontos” para combater o Covid-19

Um estudo da organização Getulio Vargas, entre 1.500 profissionais de saúde pública, mostra que 65% dos trabalhadores da linha de frente não se sentem “prontos” para lidar com a pandemia de Covid-19.

“Os dados mostram que esses trabalhadores, que são críticos para combater o coronavírus, estão em um estado de extrema vulnerabilidade. Faltam equipamentos de proteção individual, informações e apoio do governo ”, diz a pesquisadora Gabriela Lotta, que liderou o estudo. A incerteza entre os profissionais de saúde é maior – apenas 20% deles receberam EPI adequados. “A falta de equipamento adequado – e o treinamento sobre como usá-lo – não apenas os torna mais suscetíveis à infecção, como também aumentam a hostilidade do paciente em relação a esses homens e mulheres”, disse Lotta.

O Brasil registrou pelo menos 137 mortes por coronavírus entre os enfermeiros – mais do que em qualquer outro país.

Apoie este relatório →Apoie este relatório →

Apenas 15% dos profissionais de saúde se sentem “prontos” para combater o Covid-19Apenas 15% dos profissionais de saúde se sentem “prontos” para combater o Covid-19