O Tribunal de Justiça da internet 2.0

Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank (Foto: Reprodução)
Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank (Foto: Reprodução)

Os dois acima são Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank. O casal também decidiu entrar na polêmica sobre o jovem Júlio Cocielo. Para quem ainda não ficou sabendo, ele teve uma série de tweets feitos há anos ressuscitados após fazer uma piada com o jogador Mbapé, da França.

O casal, que é um dos maiores representantes da luta contra o racismo no Brasil, usou o Instagram para se pronunciar sobre o caso. Bruno, por exemplo, pediu boicote imediato não só das marcas que deixaram de patrocinar o youtuber mas também das pessoas que ainda o acompanham.

 

Um detalhe na rede social de Giovanna, no entanto, chamou mais a atenção. Ao ser questionada por um internauta se Cocielo não pode ter mudado quatro anos após as mensagens preconceituosas, a mulher de Bruno foi enfática: “Não importa de quando foram as declarações de alguém. Era racismo antes, hoje e será sempre”.

 

 

Acontece que, assim como foi com Cocielo e vários outros, a internet não perdoa. Os usuários conseguiram achar entre as postagens antigas de Bruno Gagliasso mensagens e compartilhamentos que hoje em dia são consideradas como homofobia. E até machismo em outra.

 

Os internautas passaram a questionar Giovanna se o marido também não deveria “apanhar” por causa das declarações passadas e perder os patrocínios milionários. Até agora, nenhuma declaração da mulher.


Nota do editor:

É claro e evidente que Bruno não sofrerá as mesmas consequências que o rapaz do comentário sobre o jogador francês. Já ficou bastante explícito que quem faz parte do lobby do politicamente correto pode ter assassinado o presidente americano no passado (eles amariam) que é acobertado.

Foi assim com a nadadora Joana Maranhão, hoje grande defensora dos pobres e oprimidos. Ela teve postagens preconceituosas reveladas no passado e suas desculpas de “mudança” não foram rejeitadas por um só segundo. Eu nem imagino o que seria da Ana Paula do vôlei se tivesse tweets do tipo revelados. Óbvio que a brasileira que mora com os yankees defensora de Trump seria apedrejada em praça pública sem direito de resposta.

Foi do mesmo jeito com o ator José de Abreu, que cuspiu em uma mulher. Repetindo: uma MULHER. Não vi nenhuma militante feminista fazendo campanha na frente de sua casa ou pedindo sua demissão imediata pela Globo. Mas o Danilo Gentili passar uma cartinha no saco é um absurdo. Um crime contra a humanidade.

Dica de página: Ódio do Bem


Abraços, e até quando minha coragem permitir. E agradecimento especial ao Paulo pelo título da postagem, pois tô sem criatividade pra isso nos últimos meses.

Douglas Nascimento

Twitter: dnascimentow