Ponto de Vista: “Mulher para casar”

Durante uma brincadeira para um canal português do Youtube – SrKazzio, que conta com mais de  5 milhões de seguidores – J. Balvin disse, dias atrás, que:

Rhianna não é mulher para casar, é para curtir muito.

 

Você confere isso no vídeo abaixo:

 

 

Em junho de 2017, Rômulo Neto se tornou um dos assuntos mais citados nas redes sociais depois de uma entrevista concedida para Caio Fischer no canal Bora! no YouTube. Durante a brincadeira do Pega ou Não Pega, Rômulo exaltou a ex-namorada Cléo Pires e descartou Anitta, dizendo:

Acho ela uma puta profissional, guerreira demais, muito competente. Mas não é o meu perfil de mulher. Tem uma coisa na vida que aprendi que é nunca dizer nunca. Não estou falando se vai rolar ou não… Não é o perfil que escolheria pra namorar, casar, ter filho.

 

Você confere isso no vídeo abaixo.

 

 

Muito bem! Temos duas declarações similares que viraram polêmicas nas redes sociais, onde esses “machistas” foram apedrejados com sucesso, sobreviveram e se desculparam pelas declarações que deram.

Mas, o que diferencia uma declaração da outra? Sim, existem diferenças e eu, como mulher, garanto que é grande.

J. Balvin estava no meio de uma brincadeira e o vídeo foi bastante editado, o que pode ter distorcido muito o contexto da coisa, portanto, não creio que caibam críticas mais profundas, apenas achei infeliz ele usar a frase: “não é mulher para casar”. Não é algo gentil de se dizer seja da mulher que for.

Já o Rômulo foi apenas sincero. Anitta não tem o perfil que ele gostaria.  As pessoas têm o direito de escolherem o que querem para suas vidas. Em momento algum ele ofendeu ou depreciou a cantora.

Mas, o que é mulher para casar?

Vou ser sincera e dizer que eu já classifiquei as mulheres dessa forma, mas mudei de opinião quando entendi que o que é ideal para mim pode não ser para os outros. A mulher do seu vizinho é ideal para ele, mas talvez não seja para você.

Por isso, é importante entender que o que existe é mulher e aquilo que você entende como adequado para a sua vida e para a vida dos outros. Compreende o que quero dizer? Aquilo que não serve para você certamente será o ideal para outra pessoa, portanto, sem essa de achar que o que é bom para você é bom para humanidade.

Assim como os homens separam as mulheres nesses dois grupos: casar e se divertir, as mulheres fazem o mesmo com os homens.

Escolher com quem quer se relacionar é um direito de todos. Eu me reservo esse direito.


Texto escrito pela leitora e comentarista

Claudia.