Início da “Era Edir Macedo” na Record

Um garoto acompanhado por sua mãe está na sede estadual da IURD no Ceará e lá testemunha o pastor Carlos Magno de Miranda, o “Carlinhos”(braço direito de Edir Macedo no Nordeste), pedindo doações aos fiéis para a compra de uma televisão que seria um canal cristão. Carlos Magno dizia para o cinegrafista: “filma aí o pessoal” e o câmera dava um “close” nas muitas e muitas mãos levantadas em resposta positiva para a compra de um canal de TV. E, por todo o Brasil, a campanha para a aquisição da TV Record ganhava força. Alguns anos mais tarde o jovem que apenas estudava e que tinha como hobby ouvir rádio ao chegar da ETFCE (hoje IFCE) recebe a notícia de que uma nova emissora de TV chega na sua cidade. Tudo era novidade e valia a pena conferir, pois já tinha os canais em UHF a MTV e agora a então Rede Record de Televisão (mais tarde chegaria a CNT/ Gazeta). Assim que liga no canal 14 UHF já dá de cara com a Adriana (não a Araújo, mas a de Castro) apresentando o JR [Jornal da Record].

Adriana de Castro, antiga apresentadora do Jornal da Record
Olá, nobres leitores, comentaristas e colaboradores do Recreio. Numa época em que a internet era privilégio de poucos e ainda nem se falava em Redes Sociais; a TV Globo reinava absoluta, o SBT era um forte concorrente da emissora dos Marinhos, e as redes Band e Manchete ficavam na briga acirrada pelo terceiro lugar. Tínhamos uma Record com pouquíssima audiência e com a difícil missão de se livrar da imagem ruim, pois a “poeira” do chute a uma imagem religiosa ainda não tinha baixado. Rede Globo e SBT usaram o Jornal Nacional e SBT Repórter em forte ataque à IURD e à Record. O projeto de expandir o canal 7 de São Paulo para todo o país não estava frustado, mas para isso uma equipe de excelentes profissionais precisava ser montada – afinal, determinação era uma palavra que não faltava no dicionário do dono daquela TV. Será que podemos dizer isso atualmente?
Logo da Record em 1995

Eduardo Lafon era único responsável pelo artístico e programação (entenda que a Record de hoje tem vários caciques e poucos índios). Sua meta era dar credibilidade a um canal que estava sem créditos. E então Lafon tira da Manchete James Rubio e um tal diretor que fará uma diferença enorme na Record (o último episódio dessa série vai impactar). O Cidade Alerta, idealizado por Rubio, se mantinha em 2º lugar no ibope com Ney Gonçalves Dias na apresentação. O programa policial mostrava imagens fortes, mas era conduzida de forma bem séria pelo Ney (diferente de hoje, onde os apresentadores parecem que estão num programa de culinária). Lafon mira no SBT e literalmente acerta em Boris Casoy, que desfalca o TJ Brasil e Hermano Henning assume seu lugar no SBT. Silvio Santos em represália tira Ney Gonçalves do Cidade Alerta e lhe dá o comando do Aqui Agora. A Record já se mostrava uma ameaça as suas concorrentes.

No próximo episódio vamos chegar na cria do Alborghetti e vamos parar nele. A chegada do roedor de audiência representa o marco zero da Record depois da gestão de Paulo Machado de Carvalho. Foi exatamente isso que me fez interessar por televisão. Só lembrando que a partir deste post irei trazer as Curiosidades da TV e no próximo abordarei o atual cenário da nossa telinha apresentando o que cada emissora tem de  melhor e no ultimo episódio desta série emitirei uma nota de agradecimento ao Recreio pois esse Especial marca a minha despedida do site. E falando em Curiosidades vamos lá:
Gil Grissom no SBT? Como assim?
Peraí, você quer dizer que o ator William Peterson que deu vida ao chefe do laboratório de criminalística de Las Vegas estava em um filme no SBT, né? Não, não. Gil Grissom deu as caras no canal do Silvio. É que a a Record exibia diariamente no horário nobre CSI Las Vegas e no sexto episódio da oitava temporada teve um crossover com a série Without A Trace (“desaparecidos”, aqui no Brasil) que era exibido no SBT. O episódio Who and What deu gancho pra Where and Why e como a Record exibia as temporadas e episódios na sequência, o público de casa ficou sem entender nada. Esse Crossover foi show de bola.
Até que enfim
Já que falamos de CSI, o ator George Eads que deu vida a Nick Stokes, finalmente aparece e está no reboot da série MacGyver, grande sucesso dos anos 80 e, até que enfim, uma emissora de TV exibiu um seriado até o último episódio: trata-se da série Everybody Hates Chris (Todo mundo odeia o Chris).
Nostalgia
Surpresa foi um chocolate da Nestlé onde além de gostoso tinha fotos de animais com suas informações onde  o comprador mandava as embalagens do produto pelos Correios e depois recebia o álbum pra colar as fotos. Isso sim era diversão com educação. A cada comercial desse chocolate na TV a gente enchia os olhos e boca d’água.
*Texto sob responsabilidade de Locutor, enviado para o RECREIO.