Carnaval 2018: Globo descarta “produzir” Carnaval e Dória segue os passos de Crivella

Resultado de imagem para gif carnaval

O assunto Carnaval 2018, continua rendendo… De um lado internautas, em sua maioria, defendendo a posição do atual prefeito. De outro, algumas mídias sempre frisando a religião do prefeito induzindo e levando a população acreditar que a o corte de parte da verba é por motivo religioso.

Chantagem Carnavalesca?

Na semana passada, Crivella, anunciou que cortaria pela metade as verbas para Liesa (Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro), o subsídio da prefeitura em 2018.

Isso representa um corte em torno de R$ 14 milhões na festa do próximo ano. Crivella acha que o dinheiro pode ser melhor gasto em outras coisas, mas causou comoção na cidade.

Em resposta, as escolas ligadas à Liesa ameaçam não desfilar no próximo ano, o que poderia causar um enorme prejuízo ao Rio de Janeiro e, claro, à Globo. Após a ameaça, Crivella (PRB) passou a usar um tom mais conciliador. “Acho que vou criar o bloco ‘é conversando que a gente se entende”, afirmou.

“Estamos enfrentando uma crise e as crianças e as creches são prioridades. Temos de reavaliar e corrigir os custos do ano passado”, disse.

Segundo estimativas, o carnaval do Rio atrai cerca de 1 milhão de turistas e movimenta cerca de R$ 3 bilhões por ano, segundo pesquisa da RioTur.

Em São Paulo, o prefeito João Dória, segue os passos de Crivella. Será que Dória é “crente” também?

O prefeito de São Paulo João Doria, do PSDB, anunciou nesta terça-feira (20) que vai reduzir os repasses da Prefeitura para o Carnaval da cidade em 2018.

Sem revelar valores ou percentuais, o tucano afirmou que o corte nos recursos se referem tanto ao Carnaval de rua, quanto ao desfile das escolas de samba.

Entretanto, disse que o valor total destinado para a festa, não terá redução. Doria espera obter recursos da iniciativa privada para cobrir o montante que o poder municipal deixará de investir.

“Não podemos gastar mais do que aquilo que se arrecada. Não podemos ter uma atitude irresponsável fiscalmente para atender este ou aquele setor. No caso de São Paulo, o carnaval é tão importante como no Rio de Janeiro. E aqui vamos fazer um trabalho ainda mais intenso com o setor privado. Vamos suplementar os recursos que a Prefeitura tiver a necessidade de reduzir com investimento privado. Às escolas de samba e à Liga não faltará o recurso estimado e previsto. Pode mudar o carimbo: ao invés de ser público, será privado. Mas o recurso não vai faltar”, garantiu em reportagem publicada pelo jornal O Estado de São Paulo.

Comentários nas redes questionam o porquê da Rede Globo não financia o Carnaval, já que tem exclusividade de transmissão e é a maior interessada comercialmente no “maior espetáculo da Terra”

A Globo não parece estar preocupada com a decisão do prefeito do Rio, Marcelo Crivella, em cortar em 50% o subsídio do governo municipal às escolas em 2018.

A emissora informou, por meio da CGCom,:

“A Globo investe para fazer a melhor transmissão e cobertura do Carnaval do Rio de Janeiro, e não produz o evento. Estamos confiantes de que a LIESA e a Prefeitura encontrarão o caminho para a realização do maior evento cultural a céu aberto do mundo”.

  • Mesmo com matérias capciosas, a maioria pelo que vi através de enquetes e comentários, não só apoiam, como gostariam que o corte fosse 100%… Carnaval deixou de ser festa do povo a muito tempo… Artistas pegam/pagam caro por lugares das pessoas da comunidade, empresas de bebidas alcoólicas e outras empresas privadas se aproveitam para lucrar em cima da festa “popular”. Artistas, patrocinadores e simpatizantes que paguem se não estão contente com a redução da verba.