Boas-Vindas.

Considerações

Confesso que relutei em demasia a respeito de torna efetiva a publicação desta obra-prima no site. Mas atendendo a milhares  (se não milhões) de pedido do público que sempre foi fã do meu trabalho, cá estou eu publicando este que será meu mais novo best-seller.

Se porventura alguém vier a apontar incoerências, o que eu tenho certeza (e vocês também)  que não existe, não levem a sério, antes disso, lembremos que a inveja faz isso com as pessoas e que não devemos culpa-los por esse sentimento quase inato a alguns seres humanos.

Ouve uma ocasião em que o mágico, personagem principal da peça teve que se ausentar de última hora. Um dos componentes da peça se dispôs a substitui-lo. Não era exatamente essa sua função, mas, diante do imprevisto havia pouco a ser feito e as entradas já haviam sido pagas.

Diria que ele não fez feio. Em uma parte interessante, ele entrou em um caixote, que fora fechado e aberto logo em seguida. Desapareceu. Olhando no fundo do palco, lá vinha ele, nosso mágico de improviso. Como fizera tão rápido? Até mesmo os ajudantes ficaram impressionados com aquilo. Ele surpreendeu a todos.

“Bravo!”, gritava a plateia. “Ele só pode ter um irmão gêmeo”, comentou alguém. “É a única possibilidade”, respondeu o outro.   

Boas Vindas

I

O prefeito chegou cedo em seu gabinete e lá estava Adam a sua espera.

– Adam! Que prazer em revê-lo, há quanto tempo?

– Realmente, já faz um tempinho deste de que deixei a cidade.

– Mas, conte- me as novidades? – perguntou o prefeito retirando um charuto da caixa. – Traz novidades, suponho. – Disse acendendo o charuto

– Aceita um? – Indagou o Douglas Underhood, lançando a fumaça no ar.

– Não, obrigado, eu não fumo.

– Já vi que continua com aquelas bobagens achando que um único charuto vai mata-lo, mas tudo bem, assim sobra mais para mim.

– Mas me conta – continuou ele-  como foi sua estada na Europa?

– Foi excelente, e saiba que também estive em Londres. Bom, creio que as notícias que venho lhe trazer são as melhores possíveis. Sabe! Eu conheci um empresário por lá e tive a sorte de me tornar em pouco tempo uma pessoa de extrema confiança dele, tanto que me tornei um de seus sócios. Contei sobre a nossa cidade e se interessou muito pelo lugar, chegou até a se animar em fazer uns investimentos por aqui. Bem.. fui enviado… digamos… como seu comissário. Alexandre Murphy é o seu nome, Sir Alexandre Murphy.

– Investimentos? Você fala de construir uma filial?

– Creio que seja isso. – disse Adam – E ele me enviou antes justamente para anunciar isso a cidade, como que para negociar, entende? E só depois de tudo pronto ele fará uma visita ao local. Estou aqui literalmente para “preparar o caminho”.

– Sim, claro! e ele faz muito bem tendo tal atitude. Uma viajem de alguém tão importante, para um propósito tão importante, deve ser planejada de maneira minuciosa. Vamos comunicar a população, avaliaremos os impactos ambientais e então faremos um plebiscito para ser votado, quero que tudo seja decidido democraticamente.

– Excelente! Aguardaremos a resposta. Tenha um bom dia, caro prefeito.

– Sir Alexandre Murphy? Por que nunca ouvi falar dele? – perguntou o prefeito a si mesmo. – Claro, esses ingleses são muito reservados.

Anos antes, o agora prefeito quase foi jornalista, chegou a atuar como redator chefe do impresso local, depois viu que aquela não poderia ser a seu ofício. Agora Douglas era o prefeito da cidade de Pineparque e Underhood era o seu sobrenome.

II

Tudo foi feito conforme o prefeito havia planejado, praticamente não houve resistência da população, quase todos foram favoráveis. Tendo já sido avisado sobre a decisão, o nobre cidadão marca sua visita. Restava a Adam fazer os últimos preparativos para sua chegada.

III

Localizada em um ponto bem mais afastado do centro, o prefeito controlava a maior e mais procurada pousada da região, que também a fazia de morada. Era majestosa. Era uma luxuosa construção neoclássica, cercada de chalés, um lago rodeado pelo bem cuidado gramado da hospedagem, havia um pinheiro enorme bem em sua frente, formando uma vista incrivelmente encantadora para quem chegava ou passava por ali. Seja no período de visitas ou em qualquer época do ano, Pinepark House é logo procurada pelos turistas mais abastados que visitam Pineparque.  O lugar ainda contava com um bar exclusivo para os hospedes, onde podia se divertir a noite. Ficava ainda bem próximo à uma queda d’água, ocultada pela vegetação.

Não à toa foi ela a escolhida por sir Alexandre.  Uma das recomendações feitas pelo dito estimado visitante a Matheus, foi que um local especial fosse reservado só para ele e disponíveis assim teria máximo de sossego. E para que o proprietário não sofresse perdas, compraria todas as vagas, ainda que fosse comum que PinePark House esgotar suas vagas.

Assim foi feito. O prefeito aceitou e se dispôs até a fazer um desconto apesar de estranhar o fato.  Até o número de empregados foram reduzidos. Pelo visto o visitante era muito exigente e reservado. Dizem que ele sempre fazia isso em viagens a negócios, “nunca se sabe quando algo pode vazar”, dizia sempre – pelo que Adam contara.

Passados alguns dias do anunciado, Sir. Alexandre finalmente chega a cidade e se dirige logo a Pinepark House. Parada? Só no aeroporto, e ainda reclamou do atraso de dois minutos do carro que iria busca-lo.

Da janela do carro, contemplava tudo o via pelo caminho, os morros cobertos pela relva, que mais parecia um enorme tapete verde, ou os carneirinhos pastando e os pinheiros: um aqui outro acolá e as vezes ia aumentando a concentração deles, até que não dava para se ver mais nada além de pinheiros.

Já em Pinepark House sir Alexandre, percebeu o quanto sua visita era aguardada. Assim que adentrou numa sala especial de visitas, as figuras de Adam e o prefeito foram os primeiros a serem vistos.  Douglas não pode deixar de observar sua figura majestosa, um sujeito trajando um elegante casaco escuro e um cachecol que lhe cobria até o queixo. Usava um chapéu alto e óculos esfumaçados de lentes arredondadas e uma bengala estilo vitoriano (era óbvio que ele não precisava dela, mas era um símbolo de status social para um cavalheiro clássico inglês, um costume que aparentemente ele resolveu preservar em pleno 1970). O rosto era de alguém já maltratado pelo tempo, mas exibia vigor no caminhado.

– Prazer, Sir. Alexandre Murphy, meu nome é Douglas Underhood, sou o “mayor” da cidade. – Disse o prefeito alegremente.

– O prazer é todo meu – respondeu Alexandre com sua voz tanto rouca e já de cara mostrando sua enorme fluência no português.

– Devo ter lhe despertado curiosidade ao fazê-lo notar que um autêntico cavalheiro inglês domine tão bem vossa língua, mas é que, na verdade, emprego muitos nativos daqui que vão à Europa em busca de emprego. Agente acaba aprendendo com eles.

– De alguma maneira – respondeu o prefeito – o Adam já havia comentado isso comigo antes.

– Ah sim, claro, bom menino! Sabia que não me arrependeria de ter depositado nele tamanha confiança.

– O que lhe fez destinar seus investimentos para Pineparque? – perguntou o prefeito –  Poderia ter indo para qualquer outra cidade.

-Pelo que meu pupilo me contou, Pineparque pareceu uma cidade muito promissora, tendo crescido exorbitantemente num período de dez ou.. 15 anos? É isso mesmo?

– Bom, isso é verdade. – comentou animado o prefeito.

O ajudante veio auxiliar Alexandre com suas malas, sequer chegou a tocá-las, e foi bruscamente repelido por Alexandre.

– Não toque nas minhas malas, – disse Alexandre dando uma forte tacada com a bengala nas costas do moço.

– Peço perdão, senhor, achei que gostaria de ajuda.

Sir Alexandre olhou seu crachá, estava escrito “Jack”. – Eu não pedi ajuda, aliás, não deveria ter entrado aqui, não notou a estima das pessoas nesse recinto?

Foi inevitável o espanto e o clima de desconfiança que se abateu sobre a sala de estar.

O ajudante pediu desculpas mais uma vez e se retirou.

Logo depois de ter acabado a conversa, Sir. Alexandre permitiu que alguém entrasse na sala para leva-lo a um dos melhores quarto, detalhe que obviamente não poderia ser esquecido. Em seguida, deu ordens expressas para que absolutamente ninguém ousasse entrar lá sem sua devida permissão.

IV

Alexandre foi instalado em um aposento especial que tinha até uma pequena sala de estar para receber visitas. Deixou suas malas ali e foi primeiro conhecer a parte mais reservada de seus aposentos, que era onde dormia e trocava de roupa. O local separado da saleta por uma parede.

Assim que voltou para pegar as malas e leva-las para a parte mais interna, notou que não se lembrava de que havia deixado a porta destrancada e, ainda, entreaberta. Não, ele tinha certeza que a havia fechado… ou não? Agora sim ele havia e não se esqueceria tão cedo disso, pois não distrairia a tal ponto.

Alguns segundos depois, enquanto desarrumava as malas, Sir. Alexandre teve a certeza de ter ouvido uma leve batida na porta que ele acabara de trancar. Correu rumo a ela e a destrancou o mais rápido que pode, mas tudo que conseguiu ver foi um vulto desaparecendo no corredor e ouvir os passos de alguém que descia apressadamente a escada.

  • Parabéns Magnus!

    Escondendo os talentos…
    Amo mistérios..
    Será que alguém quer acabar com Alexandre?

  • Coitado do Jack, levou um coice…

    O ajudante veio auxiliar Alexandre com suas malas, sequer chegou a tocá-las, e foi bruscamente repelido por Alexandre.

    – Não toque nas minhas malas, – disse Alexandre dando uma forte tacada com a bengala nas costas do moço.

    – Peço perdão, senhor, achei que gostaria de ajuda.

    Sir Alexandre olhou seu crachá, estava escrito “Jack”. – Eu não pedi
    ajuda, aliás, não deveria ter entrado aqui, não notou a estima das
    pessoas nesse recinto?

    Foi inevitável o espanto e o clima de desconfiança que se abateu sobre a sala de estar.

  • Mateus

    Olá

  • Ri muito com as considerações…
    Este Magnus, modesto como sempre…rs.

  • Mateus

    Que ódio dessa vaca dá Bibi

    • Gutrax

      Novela?

      • Mateus

        Sim, AFDQ

  • Tempestade Noturna

    Booa noite…

    • Boa noite, Tempestade!

    • Gutrax

      Boa noite! 😉

    • Mateus

      Boa noite

  • Segunda-feira é o dia…

    • Gutrax

      Da preguiça…

      • Correria…

        • Gutrax

          Do sono, fui dormir 7 da manhã.

          • Nossa, mas dorme durante o dia?

          • Gutrax

            Não, estou até agora sem dormir. 😉

          • Puxa… Tomara que consiga dormir cedo ou descansar hoje…
            Pior coisa ficar sem dormir ou desregular o ciclo…

            Estava tentando lembrar a série que indicaram…

          • Falange

            Eu desrregulei denovo meu ciclo.

          • Oi..
            Boa noite!

          • Falange

            Boa.

          • Gutrax

            Eu?

          • A série foi outra pessoa que indicou, dos anos 20, mas não lembro o nome..
            Os figurinos parecem Cravo e a Rosa..

          • Gutrax

            Você tinha me falado dessa série. Não lembro se comentou o nome dela. ;(

          • Não comentei, mas vou achar, rs.
            Outro dia procurei em listas de grupos antigos até achar uma música que não sabia nem o nome, nem os cantores…
            Vou achar esta série, tomara que preste..

          • Gutrax

            Vou torcer pra ti achar. ;D

          • Quando achar, te conto, rs.

          • Gutrax

            Conte viu! Haha

  • Hoje tem Dancing Brasil!

  • Viram Silvio Santos ontem?

  • Em dúvida ainda de quem foi mais sem noção ontem no Silvio Santos…

    • Gutrax

      Ele mesmo.

  • Apesar do Dudu ser Dudu, achei que ela foi um pouco deselegante com ele, exagerou….
    Silvio também deixa os convidados em uma saia justa…

    • Gutrax

      Kkkkkkkk

      • Deu até pena dele, rs…
        Mas…
        Quando mais coice se dá, melhor…. (Para alguns)

        • Gutrax

          Ele ficou sem jeito? Não assisti.

          • Quer que eu coloque um link aqui?

            Eu senti vergonha por ela, me chateei por ela… Por isso a dúvida…

          • Gutrax

            Hum, me passa.

  • Porque é muito chato mesmo quando ficam tentando te empurrar pra cima de alguém….
    Alguns merecem coice mesmo…

    • Gutrax

      Tô por fora. Mas se você conhece a pessoa, tudo bem. Mas acho que ela nem conhece ele.

      • Verdade, culpa do Silvio Santos, rs

        • Gutrax

          Uhum! Kkkkkkkk

  • Anderson

    Oi

    • Boa noite, Anderson!

      • Anderson

        Boa noite. Como vai?

        • Estou bem, e você?

          • Anderson

            De boas….

          • Viu os novos desenrolar do cenário político?

          • Anderson

            Ainda não.

    • Gutrax

      Olá 😉

      • Anderson

        Oi.

  • Gutrax

    O primeiro vídeo, é de menos de 3 minutos.

    O outro, é maior, 30 minutos

    https://www.youtube.com/watch?v=pO-s1p9Hvn8

    https://www.youtube.com/watch?v=YlD88lQxvoQ

    • Gutrax

      Tá bom

  • Anderson

    Ainda essa história da Maisa com o Dudu

  • Anderson

    Pra mim Dudu Camargo é indiferente. Não tenho nada contra mas também não tenho nada a favor. Mas tem pessoas que criam ódio gratuito de uma pessoa que nunca viu na vida e nem conhece…

    • Pra mim também, ele é um pouco sem noção…
      Mas indiferente…

      Dancinhas esquisitas também, rs.

  • Participação da Mais ofuscou Dória, rs.

    • Gutrax

      Ainda bem! Haha

      • Não gosta do Dória?

        • Gutrax

          Não muito.

  • Silvio levou patada da Maisa também, rsrs…

  • Anderson

    Ontem teve eleição na UNE e elegeram uma presidente que não estuda rs

    • Nossa…
      Esquerdista…

      • Anderson

        PCDOB

    • Gutrax

      Que interesse… Mas o que esperar de uma eleição que obriga os estudantes a votar em tal candidato.

  • A culpa foi do Silvio, sem dúvida…
    Acho que ele fez de propósito….

    • Gutrax

      Ele sempre faz isso.

  • Sapatos da Maisa, lindo… Amei….

  • Anderson

    PCdoB domina a UNE mais de 20 anos

    • Gutrax

      É o lema deles. “Ocupem escolas”. Enquanto isso, nem oposição temos.

      • Anderson

        Na eleição de ontem teve avanço pois pela primeira vez a oposição pode disputar…

        • Gutrax

          Sério? Depois das queixas dos deputados, ainda bem. Mas mesmo assim se elegeram?

  • Da raiva quando o Professor tira seus pontos, se o trabalho não estiver de acordo com as ideologias dele…

    • Anderson

      É o que mais acontece atualmente. Na minha época os professores não eram tão ideológicos

  • Gutrax

    Muito boa essa série da Netflix “The Crown”. Mas ainda me pergunto, pra que não preencher toda a tela? AFF, fica esses tamanhos de filme de cinema.

  • Simón

    Boa noite (-:

    • Oi…

      • Simón

        Oi

    • Gutrax

      Boa noite 😉

      • Simón

        Boa

  • Todos falando do Jornal Nacional.

    • Gutrax

      Não gostei muito do cenário.

      • Eu nem vi…

        • Gutrax

          Haha, até discurso do presidente teve.

  • Anderson

    Resultado completo. Eram 4 chapas de situação e somente 1 de oposição

    1- Chapa Frente Brasil Popular: A Unidade é a Bandeira da Esperança 79%

    2 – Chapa Fora Temer, Rumo à Greve Geral Contra as Reformas 14,33%

    3 – Chapa Vem Que a UNE é Nossa 3,09%

    4 – Chapa Fora Temer, Eleições Gerais Já, Mutirão na UNE 1,77%

    5 – Reconquistar a UNE: Por Nenhum Direto a Menos, Fora Temer, Diretas Já! 1,75%

    • Gutrax

      Hum, que pena!

  • Acho que Maisa está certa….
    Cheguei a conclusão.

    • Gutrax

      kkkkkkkk

      • Ela foi coagida, que situação…

        • Gutrax

          Ah sim. 😉

    • Simón

      Tbm acho

  • Temer entrou com uma ação contra Joesley.

    • Gutrax

      Esse Joesley tem algum interesse oculto…

      • Chegando a conclusão que todos eles estão unidos, enquanto o povo se divide…

        • Gutrax

          Bem isso

  • Todos estão enrolando….

  • Anderson

    Hoje é o dia do Cinema Brasileiro. Que esse ano anda mau das pernas..

  • Assisti um filme bem antigo brasileiro, chamado O Cangaceiro.
    Filme bom…

    • Gutrax

      Morto! Kkkkkkkk

  • Dúvida entre Jade e Maitê…
    Mas, prefiro Jade..
    Dancing Brasil…

  • Anderson

    Ganhei hj o livro “Batalha espiritual” de autoria do Padre Reginaldo Manzoti. Dizem que excelente…

    • Já li livros do Pe Fábio de Mello…

      • Anderson

        Estava pesquisando aqui e é o livro mais vendido do país atualmente.

        Tenho costume de ler mais produções acadêmicas

  • Douglas

    Olar

    • Anderson

      Oi

      • Douglas

        Olá, Anderson

    • Simón

      Oi

      • Douglas

        Olá, Símon

    • Oi, Douglas Sam!

      • Douglas

        Olá, Rosa!

  • Douglas
  • Joyce Meyer tem livro com título parecido.

  • Douglas

    Eu gosto dos programas da Jovem Pan

    • Anderson

      JORNAL DA MANHÃ

      • Douglas

        Gosto dele e do 3 em 1
        n gosto muito do Morning Show

  • Douglas

    Quero

  • Anderson

    Novo livro do Professor Villa:

    Quando eu vim-me embora: História da migração nordestina para São Paulo.

    • Douglas

      n me atrai mt

    • Jão

      Esse flopado tosco

  • Douglas

    Temer hoje foi pra União Soviética, Jesus

    • Gutrax

      Misericórdia! Que fique por lá ;D

      • Douglas

        kkkk

  • Douglas, viu você no vídeo do Magnus?

    • Douglas

      Que vídeo?

      • Vou por aqui, desta série/ post.

        • Douglas

          Eu não li ainda.

  • Simón

    Tchau

    • Douglas

      Flws

  • Douglas

    Essa entrevista foi pior pro Joesley

  • Douglas

    Tava na aula de estágio

  • Douglas

    Andreazza > Villa
    ao meu ver

  • Achei o nome da série que indicaram…

  • Oi…

    O nome é “Miss Fisher’s Murder Mysteries”.

    • Gutrax

      Eita nome grande.

      • Pesquisei em séries ambientadas nos anos 20…

        • Gutrax

          Hum. Acho que irei dormir. Tô com muito sono. Boa noite! 😉

  • Lois Lane: A Linguaruda.

    Boa madrugada!

    • Douglas

      olá

  • Douglas

    Acabei de ler/assistir. Muito bom até agora, Magnus. Congratulations. Que será que o Sir Alexandre esconde? Ah, gostei da coisa clássica, inglesa, vitoriana…

  • Luis Rodrigues

    O mistério do Sir. Alexandre vem junto com suas bagagens( Jack que o diga ). O que deverá ter acontecido no momento que o Sir. desarrumava suas malas? Belo gancho para o próximo episódio, parabéns Magnus!!!

  • Douglas

    Governador-geral da República

    Janot trata formalmente o encontro, entre pessoas em pleno exercício de seus direitos políticos, como evidência de ameaça à ordem pública

    Aécio Neves é — ainda — um homem livre. Investigado, mas livre. Senador suspenso, mas cidadão livre.

    Sim. É verdade. Nunca me enganou. Não me enganava quando, posando de vítima, acusava os petistas de abuso de poder econômico em campanha eleitoral. Não me enganará agora, abusador que também foi. Mas esse é juízo pessoal. Não há, porém, qualquer condenação a Aécio Neves — sujeito livre, portanto.

    Escrevo isso, essa obviedade repetida, porque alarmado com as licenças que Rodrigo Janot se concede. O procurador-geral da República — que não raro subjuga o Supremo — é hoje a única autoridade que faz o que quer neste país. Ou haverá outra forma de compreender a ousadia, golpe nas liberdades individuais, de que reforce o pedido de prisão preventiva contra Aécio usando uma foto — divulgada pelo próprio senador — em que este aparece em reunião com integrantes de seu partido?

    É isto mesmo: Janot trata formalmente o encontro — entre pessoas em pleno exercício de seus direitos políticos — como evidência de ameaça à ordem pública, exemplo de “uso espúrio do poder político”. É escandaloso. Porque, ora, é possível — não serei eu a botar a mão no fogo por ele — que haja ações do senador para obstruir as investigações contra si; mas tais certamente não estarão representadas naquela imagem.

    Note o leitor que, na investida de Janot, muito mais que um movimento contra Aécio Neves, vai explícita a criminalização da atividade política. É da ordem da barbárie difundir uma reunião entre políticos como conspiração contra a democracia. Mas essa generalização — que a todos iguala por baixo — serve a um projeto. A reabilitação do PT, especificamente a de Lula, só está em curso porque se enterrou a política na lama.

    _____________

    Escolhido por Dilma Rousseff e reconduzido ao cargo por ela, Janot é hoje — mérito consequente de muita determinação — o homem mais poderoso do Brasil, trabalhador incansável por fazer justiça, guerreiro cujo entusiasmo por acusar poderosos é outro desde que o PT saiu do Planalto.

    Está aí um patriota a quem o impeachment liberou.

    Senhor da agenda que pauta — e paralisa — a vida pública no país, há semanas tem o presidente sob a ameaça de uma denúncia ao Supremo, com cujo ritmo brinca como se fosse João Gilberto com o tempo de uma canção. Nesse período, diariamente, vaza-se à imprensa que talvez a cousa seja formalizada amanhã, mas que, bem, pode ser na semana que vem. Depende. Depende — digo eu — do momento. Do momento político. De um em que Michel Temer se encontre vulnerável.

    Na luta purificadora contra a desgraça da política, causa que atualiza jacobinos em janotistas, Janot se permite desviar do timing da Justiça — que é o próprio compasso do estado de direito — para aplicar a estratégia do lutador que calcula os golpes round a round, toureando o adversário, à espera da brecha por meio da qual encaixar o soco. Uma hora ela aparece. O país aguarda em suspensão. É para nocautear o vampiro, afinal. Ninguém gosta dele. Logo, aplaude-se. Até o dia em que esses métodos se voltarem contra um dos nossos. Aí, será o quê? Estado policial?

    Normal também se tornou que, como num folhetim, surjam — diariamente — novas supostas revelações contra o presidente, vendidas (e compradas) como comprometedoras antes mesmo de que se possa examiná-las. Não importa. Normalizou-se entre nós que se condene — a conta-gotas, numa narrativa cuja técnica única é a sobreposição de acusações — antes de se investigar.

    Nesta fase raçuda, a Procuradoria-Geral da República — que se alçou a quarto poder — atua com paixão sem precedentes, razão pela qual recorre a expedientes que os legalistas, esses ultrapassados, consideram heterodoxos. Por exemplo: admitir e veicular como prova uma gravação não periciada. Qual é o problema?

    Os detalhistas prejudicam o Brasil. Essa é a verdade. Não entendem que o mandato de Janot termina em setembro e que ele é o primeiro procurador-geral da República da história que quer deixar um legado. Qual é o problema?

    Qual é o problema, aliás, no acordo firmado com os donos da JBS, tornados inimputáveis, se em troca o que falam puder derrubar o presidente? É aceitável — no justiçamento — improvisar e queimar etapas do processo legal, se há uma meta maior a ser alcançada. Se para incriminar Temer, por que se apegar a formalismos? Se for possível apeá-lo da Presidência, que mal haverá na licença poética que o faz bandido protagonista do conjunto corruptivo — de matriz e condução petista — que modelou o império dos Batista? Mesmo sabendo que o campeão nacional em que se anabolizou a JBS foi bombado durante os governos do PT, que gravidade haverá no recurso seletivo ficcional que põe Lula e Dilma (e o BNDES) numa nota de rodapé dessa trama?

    Não sem aviso, chegamos ao momento em que um tipo como Joesley Batista diz que Temer é líder da “maior e mais perigosa organização criminosa deste país” — e fica tudo por isso mesmo. Ai, ai…

    Os desconfiados — teóricos da conspiração — atrapalham o Brasil. Essa é a verdade.

    Dificilmente, contudo, atrapalharão o movimento orgânico dos que militam para que Janot se candidate a senador em 2018, pelo Estado de Minas Gerais, na vaga a ser aberta por Aécio Neves. Mas pode ser a governador. Será pelo PT? Ou disfarçaremos numa linha auxiliar? Rede?

    Carlos Andreazza é editor de livros

    Leia mais: https://oglobo.globo.com/opiniao/governador-geral-da-republica-21495112#ixzz4kY7JhpLT
    stest

  • Gutrax

    Alguém vivo?

    • Mateus

      O/

      • Gutrax

        Bom dia! 😉

        • Mateus

          Bom dia

  • Mateus

    Sono

  • Mr Christopher

    Boa Noity

  • Muito bom ver que levou seu projeto a frente Magnus, tem talento, parabéns!

  • Davi Allen

    Adorei a estreia. Parabéns, Magnus!