“O Poderoso Chefinho” ultrapassa “A Bela e a Fera” na América do Norte

O bebê de terno e gravata de “O Poderoso Chefinho”, o novo filme da DreamWorks, conquistou neste fim de semana o primeiro lugar das bilheterias americanas, deixando para trás “A Bela e a Fera”.

O poderoso chefinho acompanha Tim, criança com muita imaginação que, durante anos, foi filho único e recebeu atenção exclusiva dos pais. No entanto, o seu reinado acaba com a chegada do irmão mais novo. Mas o irmão de Tim não é um bebê comum. Ele sabe falar, usa terno e gravata, tem uma mala, e, na verdade, é um dos gerentes da Baby Corp, a empresa responsável pelos bebês (ou você pensou mesmo que os bebês viam da cegonha?).
É aí que entra a parte mais interessante da história. A missão do pequeno é combater a popularidade dos cachorros, que têm roubado o espaço antes pertencente aos bebês. A disputa entre as máfias dos bebês e dos cachorros faz, mesmo que de forma leve, uma crítica à ideia de se ter animais de estimação substituindo os filhos.
Mas como a animação de Tom McGrath (Madagascar e Megamente) foi feita mesmo para as crianças, nada disso é debatido. O que vale mesmo é a relação entre Tim e o irmão mais novo, que quer acabar com o poder dos cachorros para se tornar de fato “o poderoso chefinho” na Baby Corp, garantindo uma sala de canto com um penico exclusivo e acesso a uma bebida mágica que o deixa eternamente como um bebê, mas com pensamento de adulto. Para isso, ele precisa de Tim.
O verdadeiro simbolismo em torno de O poderoso chefinho está em ensinar as crianças a lidar com a chegada de um irmão mais novo. E só por isso já valeria, mas é um longa engraçado, sendo impossível não se divertir com a relação de amor e ódio entre Tim e o irmão mais novo.

A produção já arrecadou 49 milhões de dólares desde sexta-feira (31), dia de sua estreia, até domingo nos Estados Unidos e no Canadá, segundo cifras provisórias da empresa especializada Exhibitor Relations, publicadas neste domingo.

O filme ultrapassou, na América do Norte, o filme “A Bela e a Fera”, que ficou com o segundo lugar com o montante de 47,5 milhões de dólares no fim de semana, o que eleva sua arrecadação total para 395,4 milhões de dólares desde a estreia.

A terceira posição ficou com “A Vigilante do Amanhã – Ghost in the Shell”, que embolsou 19 milhões de dólares em seu primeiro fim de semana nas telonas americanas.

Logo atrás aparece “Power Rangers”, que faturou 14,5 milhões de dólares, aumentando seu rendimento total para 65 milhões em 10 dias.

Em quinto lugar ficou “Kong: a ilha da caveira” e seus 8,8 milhões de dólares no fim de semana – 147,8 desde sua estreia.

A seguir, os outros cinco filmes:

6 – “Logan”: US$ 6,2 milhões (211,8 milhões no total)

7 – “Corra!”: US$ 5,8 milhões (156,8 milhões no total)

8 – “Vida”: US$ 5,6 milhões (22,4 milhões no total)

9 – “CHiPs: O Filme”: US$ 4,0 milhões (14,3 milhões no total)

10 – “O Zoológico de Varsóvia”: US$ 3,3 milhões (recém estreado).