Acumular silêncios tem seu preço

Algumas vezes, usar o silêncio como resposta costuma ser interpretado como desprezo. Se pensamos no ditado popular que diz: “Não há desprezo maior que não demonstrar apreço”, percebemos como o silêncio pode ser uma arma que fere e machuca, quando usado para resolver conflitos.

Outras vezes, o silêncio é usado para não ferir nem perturbar ninguém, então “nos calamos pra não ferir o próximo”. Alimentamos a ideia de que os demais não são capazes de suportar a realidade, então decidimos que o melhor é ignorar as coisas e deixá-las como elas são.

Fazemos isso mesmo sabendo que, em algumas situações, calar nada mais é do que uma forma de mentir. Uma mentira é sempre uma mentira, independentemente da maneira que a expressemos… com palavras ou não.

É como diz o provérbio, “O silêncio é o ruído mais alto, talvez o mais alto de todos os ruídos.” Mas, quando o silêncio se acumula, gera muito mais dor. É preferível manifestar o que sentimos e pensamos, pois dessa maneira teremos a opção de escolher entre diferentes soluções, e aliviaremos a carga que é lidar com o silêncio.

Com o passar o tempo, seremos capazes de dizer as palavras e dar sentido aos silêncios que deveriam ter sido expressados. Caso contrário, a carga que eles têm ficará muito pesada, até que chegará o momento em que não fará mais sentido reclamar de situações que decidimos ignorar. Então, voltaremos a nos calar, reiteradamente, de maneira temporária ou definitiva, mas sem nunca soltar o peso. A dimensão e a magnitude do silêncio continuarão a nos prender no tempo – presente, passado ou futuro.

Talvez  a melhor opção seja expressar, com respeito e cuidado, tudo o que sentimos, apostar sempre no valor e na verdade das palavras.


“Se eu pudesse aproveitar esse momento para sempre, virar as páginas de minha mente  para outro lugar e tempo, nós nunca diríamos adeus. Se eu pudesse encontrar as palavras, eu as falaria… Eu queria que nossos sonhos estivessem congelados…Então nossos corações não estariam quebrados quando nós deixamos um ao outro ir… Se eu pudesse roubar esse momento para sempre, pintar o retrato perfeito de um sorriso, Então nossa história estaria viva, nós nunca diríamos adeus”. (Never say Goodbye-Hayley Westenra)