Diálogo no Ventre

No ventre de uma mãe havia dois bebês. Um perguntou ao outro: “Você acredita em vida após o parto?”
x

O outro respondeu: “É claro. Tem que haver algo após o parto. Talvez nós estamos aqui para nos preparar para o que virá mais tarde.”
x

“Bobagem”, disse o primeiro. “Não há vida após o parto. Que tipo de vida seria essa?”
x

O segundo disse: “Eu não sei, mas acredito que haverá mais luz do que aqui. Talvez vamos poder andar com as nossas pernas e comer com nossas bocas. Talvez teremos outros sentidos que não podemos entender agora.”
x

O primeiro respondeu: “Isso é um absurdo. Andar é impossível. E comer com a boca? Ridículo! O cordão umbilical nos fornece nutrição e tudo o que precisamos. Mas o cordão umbilical é muito curto. A vida após o parto logicamente está fora de questão.”
x

O segundo insistiu, “Bem, eu acho que há alguma coisa, e talvez seja diferente do que é aqui. Talvez a gente não vai precisar mais deste tubo físico.”
x

O primeiro respondeu: “Bobagem. E além disso, se há mesmo vida após o parto, então por que ninguém jamais voltou de lá? O parto é o fim da vida, e no pós-parto não há nada além de escuridão e silêncio e esquecimento. Ele não nos leva a lugar nenhum.”
x

“Bem, eu não sei”, disse o segundo, “mas certamente vamos encontrar a Mãe e ela vai cuidar de nós.”
x

O primeiro respondeu: “Mãe? Você realmente acredita em Mãe? Isso é ridículo. Se a Mãe existe, então onde ela está agora?”
x

O segundo disse: “Ela está ao nosso redor. Estamos cercados por ela. Nós somos dela. É nela que vivemos. Sem ela este mundo não seria e não poderia existir.”
x

Disse o primeiro: “Bem, eu não posso vê-la, então é lógico que ela não existe.”
x

Ao que o segundo respondeu: “Às vezes, quando você está em silêncio, se você se concentrar e realmente ouvir, você pode perceber a presença dela, e pode ouvir sua voz amorosa, lá de cima.”

x

x

Os argumentos do gêmeo cético são absolutamente lógicos mas, ainda assim, a crença e a fé do outro se mantém inabalável… No final, sabemos qual deles tem razão, não é mesmo?


Esta analogia foi um comentário interessante do leitor/comentarista Hades, que, permitiu postar na Coluna Social.
Participe também enviando seu artigo para e-mail:siterecreio@gmail.com aos cuidados de Rosa.
Maiores informações Aqui

  • Davi Allen

    Muito bom. Parabéns, Hades!!

    • Valeu Davi! Mas eu fiz questão de frisar para a Rosa que esse texto dos gemeos não é meu. Na verdade, meu mesmo é só o comentáriozinho no final… Ainda assim, a Flor me pediu pra postar e eu disse podia, sem problemas.

  • Ótima analogia, parabéns Hades!

    • Valeu Jack! Mas eu fiz questão de frisar para a Rosa que esse texto dos gemeos não é meu. Na verdade, meu mesmo é só o comentáriozinho no final… Ainda assim, a Flor me pediu pra postar e eu disse podia, sem problemas.