O Feminismo contra a mulher

Os primórdios do feminismo trouxeram diversos benefícios às mulheres como: direito ao voto, direitos trabalhistas, por respeito moral e contra diversas formas de abusos.

Ainda hoje é alto o índice de violência sofrida por mulheres em seus lares, locais de trabalho e áreas de lazer.

Mas o que surpreende é como o próprio movimento feminista tem se voltado contra as mulheres, este movimento que tanto contribuiu/contribui, acaba se perdendo ao discriminar uma grande parcela de mulheres que não compactuam com ideias extremistas do feminismo atual.

O simples fato de uma mulher declarar que é do lar causa grande polêmica atualmente como se fosse a pior coisa do mundo, se entra a palavra submissão então, é uma coisa hedionda.

Para o feminismo extremista atual, a mulher não pode ser frágil, discreta ou tradicional, não pode desejar ter uma família. É taxada como um ser desprezível que não merece respeito recebendo adjetivos pejorativos daquelas que se dizem lutar pelo bem estar e anseio feminino. O tal movimento insiste em colocar a mulher acima do homem, tentando inculcar nas cabeças das mulheres que temos que ter comportamento masculino adquirido por séculos, mesmo que isso interfira diretamente na própria felicidade.

O objetivo de muitas feministas radicais é chocar ao invés de lutar por direitos legítimos. Propagam uma aversão pelo sexo oposto e querem estar “acima” dos homens para mostrar um poder e força física que não tem de fato. Será que as feministas querem exercer de fato profissões de risco ou não tão agradáveis que muito homens possuem?

Tentam  impor atitudes que podem fazer feliz uma parcela, mas não condiz com o desejo de todas e acabam discriminando suas iguais.

Uma mulher forte não necessariamente precisa falar mais alto que um homem para mostrar poder.  Há muita força na delicadeza e fragilidade, e, ser submissa não necessariamente quer dizer alguém sem opinião própria.

Uma mulher para se impor, não precisa levantar uma bandeira, apenas se valorizar sem menosprezar alguém que pode ser importante na sua vida, na construção de uma família  ou carreira profissional. É inteligente ao ponto de não sacrificar sua felicidade com competições inúteis de qual sexo é o mais forte, quem grita mais alto, quem ingere mais bebidas alcoólicas, quem “pega” mais, etc.

Sabe reconhecer a importância de viver bem e feliz sabendo que há momentos para requerer e momentos de ceder para que haja harmonia e equilíbrio ao seu redor. Tanto homens, quanto mulheres são importantes dentro de uma sociedade ou em uma família, cada um exercendo seu papel, empregando suas qualidades e características únicas.

A mulher é um ser único, seja ela liberal ou conservadora. Uma caixinha de surpresas, mas que em comum na grande maioria existe o desejo de ser feliz. E acima de tudo merece respeito, incluindo por si mesma.


“Mulher virtuosa quem a achará? O seu valor muito excede ao de rubis”. (Provérbios 31.10)
“Toda mulher sábia edifica a sua casa; a insensata, porém, derruba-a com as suas mãos”. (Provérbios 14.1