Donald Trump assumirá uma América dividida: a eleição mais polêmica das últimas décadas

Contrariando praticamente todas as pesquisas (exceto uma para que fosse unanimidade), Donald Trump foi eleito presidente em uma das eleições mais acirradas e polêmicas da história da política americana. Acredita-se, contudo, que a única pesquisa ao qual apontou a vitória do candidato republicano não foi por acaso, a parceria entre o Los Angeles Times e a Universidade de South Califórnia contava com um método diferente ao refinar os resultados. Em termos práticos, os eleitores se sentiam mais à vontade em revelar seu real voto, como não pareceu acontecer em outras pesquisas, ao qual há chances de ter havido omissões por parte dos eleitores de Trump.

donald-trump-e-a-america


09174652679559
Donald Trump é de 1946 (70 anos), nasceu em Nova York, mas faz de Los Angeles sua grande paixão. Estudou na Academia Militar de NY e é fundador da Trump Entertainment Resorts e presidente da The Trump Organization. Em entrevista a Oprah, certa vez, Donald disse que não pretendia se candidatar à presidência, pois isso não era uma intenção sua. Diz que é “um presbiteriano dentro do grupo protestante”, bastante ligado à fé, reitera dizendo que sua religião é maravilhosa.


Figura carimbada na mídia 

Grande personalidade midiática, Donald Trump sempre esteve cercado por holofotes, o que lhe concedeu uma 4jul2004-cena-do-programa-o-aprendiz-apresentado-nos-estados-unidos-por-donald-trump-1471892293303_615x470 estrela na calçada da fama. Inclusive, sua paixão pelo mercado do entretenimento é enorme! No primeiro episódio de The Apprentice, de 2009, ao qual ele apresentava, ficou surpreso ao saber que um de seus “aprendizes” era ligado à área cinematográfica, indagando “isso é muito divertido!”.

Na versão americana do reality O Aprendiz (The Apprentice), transmitida pela NBC, a ostentação pelos patrimônios de Trump, como mansões e empresas, era grande. Um teor de exposição maior do que na versão brasileira com Roberto Justus, por exemplo. Os comentários se davam conta de que Trump julgava os participantes, além da habilidade para com as provas, pela aparência de cada um. Declarações que foram pressupostas pela própria equipe do programa.
Os Batutinhas

Trump também já participou do filme Os Batutinhas (imagem ao lado), como um pai multimilionário. “Você é o melhor filho que o dinheiro pode comprar!”, dizia.


A grande competitividade econômica mundial está evidente daqui em diante

Donald Trump parece estar mais preocupado em deixar a economia americana – que já é a maior do mundo –  ainda mais competitiva. Para que isso aconteça, pretende rever alguns acordos com a China, que também possui uma economia gigantesca.  E para melhorar as condições de competição com a China, Trump diz ser preciso rever uma série de práticas.

Em um dos discursos, disse que forçará os chineses a parar debandeira-usa depreciar a própria moeda e a intensificar padrões internacionais trabalhistas e ambientais, chamando ainda de “atitude negligente” o gigante país asiático em relação às regras de propriedade intelectual e pirataria. Insiste em contestar os números oficiais de desemprego americano, onde diz que os números são consideravelmente superiores. A taxa oficial é de 5,1%, segundo ele chega a 20%.

Trump diz que pretende facilitar,sendo necessário criar um código de imposto mais simplificado, onde quer que alguém que ganhe até US$ 25 mil (cerca de R$ 79,5 mil) anualmente não precise pagar nenhum imposto ou taxa em cima desses valores, apenas que declare. Para as empresas, pensa em reduzir os impostos para 15% e que as multinacionais possam repatriar dinheiro mantido no exterior a uma taxa de 10%.


O lado obscuro: declarações polêmicas

Mas nem tudo são flores na carreira do magnata americano. Várias de suas declarações foram alvo de críticas, se intensificando, claro, depois de candidato político dessas últimas eleições. Ele não esconde que pretende cortar laços com muçulmanos, onde afirma que as “mesquitas nos EUA deveriam ser vigiadas“, por intermédio de uma lei anti-terrorista, onde “americanos de origem árabe comemoraram os ataques de 11 de Setembro”, diz. E seus questionamentos quanto à isso não param por aí, pois garante que nenhum outro presidente lutará tanto quanto ele contra os extremistas islâmicos, pois o EI “deve ir para o inferno”.

Acusado durante toda a campanha de ser machista, a CNN divulgou um áudio onde  Trump comentava quedonald-trump-equivoco até 30 anos era a idade perfeita para mulheres namorarem e, dos 35 em diante, já era tempo de “sair de cena”. Em um dos comícios em que participou, indagou uma dessas mulheres e a acusou que não era atraente o suficiente para ser assediada. Além da polêmica do Aprendiz, como já citado, onde sua equipe suspeitava que ele escolhia participantes pela aparência.

Um dos pontos mais épicos – e polêmicos – de toda a campanha do republicano foi quando ele falou que pretendia construir um muro pra separar os Estados Unidos do México. Discurso dado em uma visita ao próprio país que pretende se separar, em encontro com Peña Nieto, em 31 de agosto desse ano. E não foi só isso, provocou dizendo que os próprios mexicanos “pagariam a conta”. O ex-presidente do país vizinho recentemente respondeu: “México não vai pagar pela p***a desse muro”.

Imigrantes estão receosos por correrem grandes riscos de serem deportados dos EUA. Estima-se que exista algo em torno de onze milhões de estrangeiros ilegais nos EUA e Trump estaria disposto a não facilitar a legalização em reformas imigratórias que pretende colocar em prática, o que acabaria com a cidadania americana dos filhos de imigrantes (ilegais) nascidos no país americano. E não pretende apoiar quaisquer tipo de forma para legalização da situação desses trabalhadores sem documentos. E para os sírios que pretendem buscar asilo em solo americano, o presidente eleito pretende não facilitar, recusando ajuda. Assim como os muçulmanos, que nem devem ser aceitos.

O fato é que Donald Trump assumirá ciente de que ao menos metade do país não está ao seu lado. Teremos uma América grande novamente, de fato? Próximas cenas do cenário político norte-americano.

  • Dean Winchester

    Ótimo post, Danilo. Essa eleição só prova que o povo americano não deixou se influenciar pelo terrorismo da mídia. O povo não quer saber de mimimi, o povo quer emprego, o povo quer mudança. O povo tem medo do que possa acontecer nos EUA após uma “invasão islâmica”. O povo quer ter o direito de portar armas, como está previsto por direito na 2ª Emenda à Constituição dos Estados Unidos. O povo não quer saber de uma candidata que chega ao ponto de, em um debate, defender o aborto até no nono mês de gestação. Mas não acredito que Trump cumprirá a promessa de deportação em sua totalidade, por exemplo, até pq é matematicamente impossível. Foi um discurso mais simbólico, algo como “nós vamos fiscalizar de verdade as fronteiras”. Mais feliz estou eu por conta das escolhas dos juízes na Suprema Corte, que não penderão para o lado “progressista” da coisa, que relativizou por muitas vezes nos últimos anos interpretações importantes da Constituição.

    Representa também uma forte guinada do mundo à direita. A esquerda está ruindo não só na América Latina (Brasil, Argentina…), mas em todo o Globo. No Reino Unido, a população escolheu a saída da União Européia. Na Colômbia, o povo rejeitou em plebiscito o acordo de paz do governo com as FARC. Um grupo terrorista liado ao Foro de São Paulo. Vê se faz sentido, perdoar um grupo terrorista? O mais interessante é uma coincidência entre ambos os resultados: todos foram de encontro com o que as pesquisas mostravam.

    Aqui em baixo, só mais um exemplo de como a mídia agia com Donald Trump. Petistas reclamam da mídia brasileira, mas mesmo as que se mostram minimamente tradicionais, não chegam NEM PERTO do nível de parcialidade como se viu nos EUA. Não hoje, mas no passado já sabemos o histórico.

    https://youtu.be/qoduNVRMof8

    • Que observação incrível! Era a opinião que complementaria o post se ele pendesse mais para o lado opinativo.

      • Dean Winchester

        Nada, ficou ótimo e bem completo.

  • Dean Winchester

    Isso, a mídia está mostrando, hoje, que não tem mais o poder de antes.

  • Dean Winchester
    • Ric

      Nunca

      • Dean Winchester

        Never.

  • Ric

    Me preocupo muito mais com o que Hillary poderia fazer e já fez do que com o que Trump disse

    • Isso é fato. Alguma ideias eram liberais demais que chegavam a ser absurdas. (Vai saber se não era só discurso pra impressionar eleitores, mas melhor nem correr o risco)

    • Dean Winchester

      Sim, principalmente uma mulher corrupta e envolvida, possivelmente, com assassinatos e terrorismo.

  • Ric

    Hillary seria a pior opção para um libertário

  • Ric

    Pelo menos o Bernie não tinha chances

  • Ric

    Ele ia ferrar muito mais com a economia americana, Hillary pelo menos em discurso acreditava em livre comércio e fronteiras abertas

  • Ric

    Bernie ia ser o Hugo Chávez

  • Ric

    Estados Unidos cada vez mais dividos nessa falsa dicotomia, triste

  • Trump é um legítimo americano que já é nacionalista (até demais, às vezes) por natureza. A diferença é que ele não reserva suas opiniões mais íntimas para si mesmo e não quer nem saber o que os outros vão pensar disso.

    • Ric

      Nacionalista demais.. isso…

    • Dean Winchester

      Isso, você pode não concordar com o que ele acha, mas pelo menos você sabe o que ele acha.

  • Dean Winchester
  • Thor

    Só sei que a TV Mofo tá despencando a cada dia

  • Bruce

    Ainda não me caiu a ficha que esse guerreiro venceu! A satisfação por ter visto triunfar um legítimo americano, desacreditado, que esteve lado a lado com o POVO durante toda a campanha, é tão grande que custa caber dentro de mim. Se restam dúvidas de que esse homem fará de tudo para conseguir o melhor por seu país, saibam que se ele resistiu até agora, depois de mais de um ano de ataques COVARDES vindos de todos os lados, ele resistirá bravamente durante seu mandato fazendo o necessário para tornar os Estados Unidos ainda mais fortes. Que Deus o continue abençoando, pois benção maior do que ele e o povo americano receberam terça-feira não chegará tão cedo!

    • TIAO GAVIAO

      OI MIGAOO,SUMIDAOOO.

  • Tempestade Noturna

    Hillary Clinton não era nenhuma santa… mas tenho reservas em relação ao Partido Republicano (de onde Bush pai e Bush filho só pensavam em guerrear) e também ao temperamento do próprio Trump… É certo que ele defende ideais conservadores e patriotas… mas o temperamento do novo presidente é inconstante, é um barril de pólvora prestes a explodir se as coisas não saírem do jeito dele!!

  • Magnus

    (…)onde “americanos de origem árabe comemoraram os ataques de 11 de Setembro”. (Risos)

  • Trump vai ter muito trabalho e vai sofrer muito com a impopularidade. Mas que faça um ótimo governo.

  • Trump para meu alívio parecia estar exagerando em algumas frases apenas para ficar mais popular, hoje na reunião com Obama parecia ser bem mais “normal”, me deixando uma impressão muito mais otimista nesse dia pós-eleição. Espero que faça um bom governo.

  • San†os

    O que se deve fazer agora é criar um plano de governo e minimizar a rejeição!