As areias movediças realmente nos engolem?

Olá pessoas bonitas!!! Vamos atualizar um pouco mais nosso cérebro? Hoje estarei comentando de um assunto que você já deve ter ficado curioso. Todos aqui já devem ter ouvido falar das temíveis Areias Movediças. Comum em filmes de aventura, elas são descritas como superfícies aparentemente seguras para se andar por cima, mas quando um desavisado pisa nelas, logo afunda e é sugado para o seu interior até desaparecer de vista.

Além disso, supostamente, quanto mais você se mexe durante o processo, mais rápido você afundaria. Mas qual é a verdade em tudo isso?

As areias movediças são formadas por uma mistura entre barro ( ou areia), água e sal ( cloreto de sódio). Essas misturas são frequentes nos deltas de rios e em áreas litorâneas, e suas composições físico-químicas fazem sua superfície ter um aspecto bem sólido. O sal acaba sendo a substância que promove uma melhor estabilidade à mistura, mas em algumas situações, certas proliferações de cianobactérias pode cumprir esse papel, em locais com pouca presença de cloreto de sódio ( são areias movediças mais raras, com alguns exemplos aqui no Brasil).

Independente da sua formação, quando alguém pisa nelas, realmente afunda na mesma hora e quanto mais agitada estiver a pessoa, mais rápido ocorre o processo porque o movimento do corpo no meio da mistura faz a crosta se ´liquefazer´ mais, tornando-a mais fluída. Mas o papo de que a areia movediça vai te sugando até você desaparecer de vista não encontra base lógica por um simples motivo: densidade.

Duas pesquisas, feitas em 2005 e 2009 , estudou os processos de formação das areias movediças e sua ação periculosa em acidentes, mostraram, na prática, que essas misturas não são capazes de afundar uma pessoa por inteiro, ratificando o que a teoria já esperava. Ora, todos aqui sabem que o corpo humano consegue boiar, tranquilamente, na água, ou, caso contrário, ninguém seria capaz de nadar, Isso ocorre porque nossa densidade geral é bem próxima da água ( em torno de 1 g/ml).

Uma pedra, por exemplo, irá, prontamente, afundar na água por ter uma densidade bem maior, sem chance alguma de boiar. Agora, considere uma mistura aquosa bastante viscosa, por causa do barro, muito salgada e cheio de diversos outros materiais orgânicos e inorgânicos, solúveis ou não. A densidade dessa mistureba é significativamente superior do que a da água pura, tornando impossível que um humano afunde completamente nela! Só o fato dela ser bem salina já aumenta consideravelmente a densidade da água ali presente e esse tipo de areia movediça costuma ter, em média, uma densidade 2 vezes maior do que a do nosso corpo. Além disso, o estado bem viscoso garante ainda mais estabilidade para o corpo humano ficar imóvel na posição onde estiver boiando. Não importa se você estiver, ou não, se mexendo feito um louco, porque você irá apenas submergir parte do seu corpo na areia movediça. É uma questão de pura Física aplicada.

Porém, acidentes fatais podem, e já ocorreram, por causa da areia movediça, mas não porque a pessoa é sugada por completo para dentro dela e, sim, porque sair dessa mistura é bem complicado por conta própria. Como não dá para nadar em algo tão viscoso, o jeito seria ficar calmo e ir desbravando a areia movediça até sair dela ou inclinar o corpo bem devagar, de forma a melhor distribuir o peso, e ver o seu corpo ir emergindo por completo, até você ficar flutuando por cima da areia movediça. Isso, falando, parece fácil, mas na hora do desespero fica bem difícil. Assim, caso a pessoa se esforce demais e não consiga sair ou pedir ajuda, ela pode morrer por desidratação ou, caso esteja em uma área marítima, a maré da região pode ficar alta e, literalmente, afogar a pessoa com a água do mar.

Resumindo, a areia movediça, independentemente da sua profundidade, não vai te engolindo até você desaparecer porque ela é mais densa que o seu corpo e bem viscosa. E, sim, quanto mais você se mexe, mais você afunda, mas até o limite em que o seu corpo fique em equilíbrio de empuxo com a mistura. Mas, no final, essas armadilhas naturais são bem perigosas e podem te garantir um bom tempo de agonia.

Portanto, sempre verifique placas de aviso e pesquise sobre o local aonde estiver indo. E, sobretudo, avise para amigos e familiares sobre onde você está indo ou, melhor ainda, sempre tenha companhia nas suas aventuras exploratórias. Espero que vocês tenham gostado.

Lembrando que essa foi a última postagem do quadro Cérebro Atualizado. Obrigada por todos que sempre acompanharam o quadro!!!

Beijocassss da Sara!!!

Douglas Nascimento, [03.08.16 14:12]