Em busca da verdade

 

Pense em algum assunto agora, qualquer um. Pode ser qualquer tipo de ideologia, qualquer tipo de questão. Não importa em que assunto você tenha pensado, por trás dele existe uma verdade.

A verdade é o fato que está por trás de qualquer questão, é a premissa básica que não pode ser refutada porque se trata da essência de algo. Até as questões mais polêmicas e que dividem opiniões, como a legalização do aborto, possuem uma verdade irrefutável.

Mas encontrar a verdade é uma tarefa difícil, sobretudo quando tratamos de questões fundamentais, como a existência, a vida após a morte e etc. No entanto, ela está lá, sempre esteve, apenas esperando para ser encontrada.

Há aqueles que achem que somos incapazes de realizar tal tarefa, são os Céticos. Eles dizem que “o ser humano não é capaz de chegar ao conhecimento da verdade”, mas não é correto dizer que tal afirmação é uma verdade para eles? Então, no fim das contas, mesmo alegando que isto seja impossível, eles chegaram ao conhecimento de uma verdade – que, no caso, é uma verdade ao menos para eles. É uma contradição.

Ainda assim, mesmo tendo ciência de que somos capazes de encontrar a verdade, é necessário que tenhamos a humildade de reconhecer que há questões sobre as quais jamais conseguiremos tal feito, e que mesmo que saibamos o método correto para encontrá-la, colocá-lo em prática, em alguns casos, transcende nossa capacidade humana. Mas isso não significa que devamos desistir de procurá-la. E o primeiro passo para tal já nos desafia e nos coloca contra a parede…

Nosso maior conflito

Todo ser humano é uma mistura extraordinária de dois mundos: nós temos um lado animal – primitivo e instintivo – e temos a racionalidade que nos diferencia dos animais em geral.

A racionalidade é o que há de sensato em nós, pois ela é o que nos permite concordar ou discordar de algo sem deixar que nossos preconceitos e paixões obscureçam nossa análise. Acima de tudo, ela é o que nos permite, através da reflexão e da lógica, chegar a uma verdade em comum que jaz na essência de todas as questões. Mesmo que esta verdade contrarie nossas preferências, nós a aceitaríamos, por sermos de todo racionais. Mas nós não somos, de todo, racionais. Isso porque há o lado animal, que revela nossas emoções. Como a emoção é inimiga da razão, vivemos em constante conflito.

Em outras palavras, se todos nós fossemos apenas racionais, concordaríamos mais uns com os outros, pois nossa capacidade de chegar à uma verdade em comum, que sabemos existir, seria maior. E como toda verdade é um consenso para quem é racional, haver discordâncias seria impossível.

Como não podemos mudar aquilo que somos, só nos resta realizar um esforço para fazer nosso lado racional imperar e, assim, conseguirmos chegar à verdade. Como chegar à ela?

O Debate

Em um debate, bem como em qualquer conflito de ideias, há apenas um objetivo em jogo: esclarecer um assunto, através do embate de dois pontos de vista, até que se chegue à solução da questão, que é a verdade sobre ela. É assim que deveríamos enxergar tais conflitos; mas, você sabe que temos um lado animal, e esse lado nos induz a achar que um debate é uma disputa entre duas pessoas, e não entre duas ideias. Aqui está o ponto fundamental.

Um debate não é uma disputa de egos, não é uma luta em que há um vencedor e um perdedor. Um debate é um esforço mútuo para que se chegue à verdade sobre aquilo que se está debatendo. É uma colaboração entre as duas partes: eu tenho meu ponto de vista, você tem o seu, e nós chegaremos à verdade ao colocá-los em conflito. Por isso, é correto dizer que o maior meio para se chegar à verdade é debatendo ideias.

Então, não devemos compactuar com essa ideia de que “temos opiniões diferentes, então evitemos a discussão “. A discussão, sendo respeitosa, é necessária para que aprendamos uns com os outros e cheguemos à verdade. Negá-la é recusar-se a evoluir. Mas antes é necessário entender o que serve e o que não serve para um debate.

Cada um tem sua opinião…

Opinião é algo que todos sempre querem ter, mesmo quando não sabem nada sobre o assunto que está em voga(as redes sociais estão aí para provar tal afirmação). Mas ter opinião formada não é o máximo que se pode atingir. Isso porque, uma opinião não é um fato, é apenas uma particularidade. O que devemos ter é o conhecimento real.

Opinião é um julgamento não justificado. Quando a opinião é justificada, evidenciada e provada, ela deixa de ser opinião e vira um conhecimento real. Se quisermos debater com alguém, temos de deixar nossas opiniões de lado e trabalhar apenas com os conhecimentos reais. Afinal, se a verdade é um fato, chegar a ela deve envolver apenas tudo aquilo que é real e verificável. Além disso, a racionalidade, pela qual devemos zelar, é o meio que torna possível, através de evidências, a comprovação de que algo é um fato, e não mera opinião.

Acima de tudo

Agora que sabemos o que precisamos para encontrar a verdade, é necessário ter em mente algumas coisas. Primeiramente, temos que saber que a verdade permanece oculta muito porque esta é a natureza dela e muito porque nós abdicamos da nossa racionalidade e desistimos de procurá-la. Ainda que ela seja naturalmente difícil de ser encontrada, quando nos negamos a nos despir de nossos preconceitos, emoções e preferências para ir em sua busca, e quando tratamos todas as discussões como sendo pessoais e não ideológicas, ela se afasta mais ainda de nosso conhecimento. Daí surgem, por exemplo, os tabus. Já repararam que os maiores tabus são justamente aqueles que envolvem muito das nossas emoções pessoais?

Em segundo lugar, mesmo que se busque a razão em detrimento da emoção e mesmo que se tenha a sensatez de saber debater, é necessário também buscar sempre o conhecimento, para que não caiamos na ignorância.

Mas, acima de tudo, se quisermos encontrar a verdade, é necessário ter a humildade para reconhecer que a ocasião para ensinar é também uma ocasião para ser ensinado.