Relações Duvidosas – Capítulo 16

O embate final

Pandora se assusta com o encapuzado de preto voltando a se manifestar:

– É ele de novo, ouvi sua voz, disse que Asgard morreu.

– Não o vejo, Pandora você está delirando, rs…

– Será que estou vendo e ouvindo fantasmas?

Olaf que cuida dos casos policiais relacionados à Survive In The Forest indaga:

– Eu posso explicar, por acaso essa tal pessoa misteriosa tem a voz e/ou aparência do Jack?

– Sim, você também está vendo?

– Não, porque ele só existe para você!

– Estou louca então?

– Está perturbada com sentimento de culpa. As investigações concluíram que Magnus deu um copo água e uma quantidade excessiva de calmantes, então presumo que ouve uma discussão entre você e Jack, isso procede?

– Sim, no mesmo dia que faleceu, ele ouviu uma ligação minha para o Bruce quando chegamos no estúdio. Jack disse que jamais apresentaria uma atração desse tipo, então tentei disfarçar e ele só falou que se visse algo errado, iria revelar a farsa em rede nacional, inclusive dizendo que Leo é o meu filho, pois ele sabia meu nome verdadeiro.

– Foi você que pediu ao Magnus para levar o copo que o mataria?

– Não seria capaz disso, ia tentar mascarar a verdade de outra forma, não o matando.

– Matheus me pediu para levar o copo, foi ele que colocou o remédio. Disse que Jack estava muito nervoso e não ia com a cara dele, assim pediu educadamente para mim fazer esse favor.

– Por que não disse isso para mim antes? Estava achando que ele morreu porque ficou nervoso, pois tinha arritmia cardíaca.

– Você não perguntou.

– Está tudo explicado, foi por isso que Matheus foi o primeiro a encontrar Jack já sem vida, provavelmente deve ter ficado um tempo no camarim, assim que Magnus saiu, para garantir que não teria como reanimá-lo, esperou os batimentos dele pararem e só depois fingiu estar desesperado com a morte.

– Essa parte foi explicada, mas então fiquei falando comigo mesma? Asgard morreu mesmo? Como sei se não vi ele.

– Estava com você quando o tal encapuzado apareceu e sim você falava e respondia sozinha, com sua fisionomia mudando algumas vezes dependendo do que dizia. Tentamos fazer parar, mas você continuava, então passamos a observar e alguns questionaram o que você mesma revelava. Quando fomos atacados por uma flecha, você parou de falar consigo mesma, então aproveitei para dizer que o encapuzado foi embora, pois não havia tempo para explicar o que houve. Depois tentamos novamente dizer-lhe a verdade, mas você estava convicta de que ele era vivo, chegou a pedir para Jack parar de pertubá-la. Agora finalmente voltou ao seu normal.

– Complementando o que Magnus disse, fui eu que disse que Asgard morreu e como você estava de costas, achou que era o ser criado pela sua imaginação.

– Você matou Asgard?

– Não, mas tenho um rádio no meu bolso e estou recebendo informações do agente Gomes, ele está na sede do Discovery Channel monitorando as câmeras. Vim aqui levar o Magnus para depor na delegacia, o pedido de busca deu autorização para utilizarmos as câmeras do programas para localizar nosso suspeito. Mas agora que já o ouvi, vejo que é inocente e temos mais inimigos que apenas o Asgard.

Luis finalmente acha a saída, mas está trancada.

– Parece que ninguém conseguiu sair, ficarei por aqui aguardando.

– Parabéns Luis, acho que só nós sobrevivemos, vamos sair.

Os dois chegam perto do portão e Matheus dá uma coronhada em Luis.

– Pegamos o último, agora que venha o delegado.

Pandora e Magnus levam Leo que está em situação crítica, Magnus fica curioso em saber quais são os inimigos:

– O seu informante passou nomes? Seria bom nós sabermos também, agora que tem certeza que somos confiáveis.

– Verdade, eles capturaram os demais que estão vivos e pretendem usar como isca para nos pegar. São dois, um como deve desconfiar é o Matheus e o outro é…

– Danilo Marroni, prazer!

Finalmente inicia-se a última batalha, de um lado Magnus, Olaf e Pandora; do outro Danilo e Matheus; entre eles Danny, Douglas, Luis e Rosa estão presos numa armadilha de corda suspensos numa árvore alta e se caírem no chão, uma arma de frente para eles também amarrada numa corda dispara. Mas Olaf também tem seu trunfo:

– A polícia já está chegando, o agente Gomes enviou imagens das câmeras ao Batalhão Policial, em breve eles estarão aqui.

– Nenhum policial colocará a vida do refém em risco, isso não me preocupa.

– Agora lembro-me que quando saiu na mídia que o Matt premiaria alguém que vencesse uma disputa, nem era reality de sobrevivência e sim um programa estilo “O Aprendiz”, foi você que por e-mail nos deu essa ideia, disse que queria candidatar-se. Matt acabou gostando e assim o projeto foi para frente. Nem passou pela minha cabeça que você estava premeditando tudo.

– Pois estava, porém tinha que ser quieto e precisaria de um vilão para chamar a atenção, foi aí que conversei com Asgard e Superboy. Fizemos um trato, eles comandariam a empresa, e eu viveria sem precisar trabalhar pelo resto da minha vida. Mas raciocinei que precisavámos ser um quarteto, com alguém da própria emissora para nos acobertar e ajudar, foi aí que ofereci um trato ao Matheus.

Ouve-se ruído de helicóptero, Danilo sabe que ao contrário do que disse, cercado por todos os lados será impossível ele fugir. Então ele pensa consigo mesmo:

– Tenho que tirar o delegado do jogo, mas certamente antes de morrer ele irá revidar.

Mas logo seu plano é frustrado, Matheus cai com uma flecha no peito, Henrique vinga sua tribo.

Danilo sabe que perdeu e coloca a arma no chão, Olaf algema o mentor de toda a carnificina. Os policiais chegam e levam todos ao hospital.

O destino de cada um…

Pandora segue sofrendo com seu filho Leo que está em coma desde que foi resgastado e não tem previsão se um dia ele voltará a ter estímulos.

Fica esclarecido que Matt e Superboy morreram soterrados na explosão, Angel foi afogada por Danilo e Asgard foi encontrado pálido e com uma enorme poça de sangue.

Henrique volta ao Pico do Jaraguá; Marina, Selenator e Ricardo descansam suas almas com o ritual indígena.

Vander, Bob, Vitória, João Luiz, Bruce e Santos são enterrados nas cidades em que nasceram.

Rosa e Danny dividem a presidência da Mattbras (a combinação perfeita de planejamento e decisão), Magnus é o segurança particular delas e Luis trabalha na área de propaganda e marketing da empresa, ficando conhecido como Locutor por sua voz marcante no comercial que vai ao ar na TV e rádio.

Matheus recupera-se do ferimento, mas fica com uma enorme cicatriz. Ele divide cela com Danilo, outro condenado pelas mortes na Serra da Cantareira.Os dois sofrem com o rigor do agente penitenciário Douglas que, ao contrário dos demais, prefere não trabalhar na empresa de Matt, por fazer questão de tratar bandido como merecem ser tratados, sem aliviar para nenhum deles.

Guilherme é enterrado com honras militares, Olaf vai ao evento.

E eu? Também estava presente no enterro de Guilherme, graças a esse relatório detalhado chamado “Relações Duvidosas” consegui minha promoção.

– Sei que aqui não é o local apropriado, mas parabéns por ter subido de nível, Jack.

– Jack foi o apresentador que morreu, a partir de agora sou agente Gomes e já espero minha próxima missão.

_

_

Muito obrigado a todos que acompanharam cada capítulo de Relações Duvidosas e em breve estreia “O Articulador”, nova série da Simplesmente Rosa, mesma autora de Segredos da Ilha e Retrato da Morte.