Relações Duvidosas – Capítulo 13

 

Em quem confiar?

Olaf usa seu kit de primeiros socorros para tentar estancar o sangue de Guilherme.

– Seu ferimento é profundo, mas você ficará bom, não irei te abandonar.

– Eu sei que vou morrer, não perca tempo comigo, vá atrás do Bruce.

– Minha ética diz que devo ter uma conduta honrosa e assim irei ajudá-lo.

– Mas nosso trabalho é cumprir a justiça, eu falhei e desejo que você siga a lei. Estou lhe pedindo, deixe-me aqui e faça a justiça!

Olaf entende o pedido do amigo e toma a difícil decisão de deixá-lo para trás e ir procurar Bruce.

Rosa preocupa-se tanto com Selenator atacando Danilo que esquece de proteger a si mesma e Marina aproveita.

– João Luiz por que fez isso?

– Não podia apenas olhar uma mulher sendo morta, fiz o que minha moral ordenou.

Rosa se emociona:

– Obrigada e me desculpe, essa flecha era para mim.

Bob e Danilo ficam estáticos com a cena comovente.

Dois tiros cortam o clima de reconhecimento ao ato nobre de João Luiz, Marina e Selenator caem no chão.

– Chegamos para ajudar, essas duas não causarão mais problemas.

– Por que vocês estão aqui? Não seguiriam para o oeste?

– Porque lembramos que Asgard e Leo batalharam aqui por perto e nessa distância não teria como

Pandora ter chego à saída da Serra, também vimos a índia Marina antes e agora finalmente a encontramos.

– Vitória, achei sua arma que Asgard tinha jogado para longe quando vocês se enfrentaram.

– Ótimo, dê-me ela.

– Não está comigo.

– Como?

– Não sei fazer muita coisa com a mão esquerda e não sabia que correríamos sério risco de vida aqui após o reality, por isso não peguei a arma.

– Mas é um bobo, sabe em que lugar ela está?

– Sei, venha comigo!

Bob e Vitória separam-se do grupo e vão para o local onde supostamente está o revólver.

Pandora segue ouvindo vozes, mas escuta uma que não é de Jack:

– Finalmente te achei Pandora! Dê meu dinheiro que preciso ir embora urgentemente daqui.

Bob vai na frente e chama Vitória:

– Venha cá Vitória, esta é a Pedreira do Dib.

– Sim, mas quero saber da minha arma.

– Estamos perto, mas antes olhe está paisagem.

Vitória se aproxima de Bob, porém este dá um passo para trás e aponta seu revólver para a gaúcha.

– Sei que você me prejudicou em Survive In The Forest, havia pedido para me dar cobertura e você foi displicente, deixou me acertarem de propósito.

– O que significa isto? Tu me enganastes?

– Sim analfabeta e por um motivo justo, não perdôo quem me prejudica e trai minha confiança. Vou cravar uma bala em seu coração e em seguida vou jogá-la lá embaixo para ter certeza de que morrerá.

Vitória entra em desespero e avança sobre Bob, ela é baleada. Mesmo assim consegue empurrá-lo, mas Bob perdendo o equilíbrio puxa o braço de Vitória e os dois caem juntos do precipício.

Matheus e Santos seguem no rastro do encapuzado de preto, mas não acham nada; apenas afastam-se de Pandora, Leo e Magnus.

– Andamos bastante e nada de avistar o indivíduo misterioso.

– Talvez seja porque esse não era o objetivo.

Matheus muda o semblante de seu rosto e atira na perna de Santos.

Santos não entende o que está acontecendo:

– Por que fez isso?

– Porque tenho ordens a seguir e você precisa ser eliminado, eu não vi nenhum encapuzado de preto, me aproveitei da paranoia de Pandora para conseguir esta oportunidade.

– E quem te deu a ordem de me matar?

– Você é tão inútil que não merece saber, não passa de um invejoso que depois de perder espaço para o Jack no Discovery Channel, teve que assassiná-lo.

– Não matei o Jack, vocês estão punindo a pessoa errada.

– Verdade, pensando bem você não seria capaz de matar ninguém, porém não escondeu sua felicidade ao saber do falecimento dele e que por isso comandaria o principal investimento da casa no ano de 2016. E sei das suas tentativas de matar Jack como quando sabotou o freio do carro dele, não se faça de santo só por ter esse nome.

– Me arrependo do que fiz, era imaturo, queria o sucesso a todo custo e ele fazia questão de dispertar essa rivalidade comigo, mas queria ver o Jack apenas mais uma vez para lhe pedir desculpas.

– Jack não era bonzinho, porém só provocava, nunca fez algo concreto contra você. Não acredito que você tenha mudado e mesmo que tenha é tarde demais, há coisas da vida que não tem volta e sua morte está destinada para ser aqui e agora.

Matheus olha para Santos que mal se aguenta em pé por conta da primeira bala que o acertou e sem remorso nenhum fuzila de maneira fulminante o pobre apresentador sonhador.

– Trabalho feito!

Quem deu a ordem para Matheus? Por que Bruce pediu dinheiro à Pandora?

_

_

Amanhã tem o décimo quarto e antepenúltimo capítulo de Relações Duvidosas intitulado “Laços de Sangue” com mais detalhes do passado de Matt vindo à tona.